,

Assaltante é morto em troca de tiros em Salgueiro PE

Aeeeeeeeeew, galera bizarra! Tow aqui estreando meu novo super poder cargo de autor nessa bagaça! Quero oficialmente agradecer a todos que deixaram os parabéns, aos meus colegas de blog, e ao chefinho lindo, meu amor Danibrowser, que abriu uma vaga extra pra mim. Prometo tentar dar o meu melhor (e nem pensem que é o cu) para fazer com que o site fique ainda mais interessante do que já é. Ah, e lógico, não posso deixar de parabenizar também os coleguinhas Rayane e Luckey… Vamos botar pra quebrar, galera.

Mas vamos deixar de arrodeio, e partir para o que interessa nessa porra. :)

Para minha estréia, não imaginei algo melhor do que lhes mostrar um bandido que tomou no olho do cu bonitinho. Esse bosta aí, denomidado Sebastião Lopes Ferreira, vulgo “Sebastião Fiapo“, era um dos responsáveis por um assalto que ocorreu no ultimo dia 05, na cidade de Salgueiro, no sertão Pernambucano, no qual, explodiram um caixa eletrônico no banco Satander. Esse, e outros assaltantes (bem acompanhados de suas vagabundas esposas), se encontravam escondidos em um sítio próximo, denomido Sítio Luna.

O que eles não imaginavam, era que apenas um dia depois (06), o Serviço de Inteligência (NIS-3/Salgueiro) da polícia militar, através de uma investigação minunciosa, já sabia que os elementos estavam por lá e montaram uma tocaia. Para encurtar a história, quando os policiais deram voz de prisão, os meliantes inventaram de reagir, e nesse “tei-tei”, Sebastião Fiapo ganhou uma passagem só de ida pras profundas do inferno. Aproveitem as belas imagens abaixo:

É uma pena a polícia só ter matado um. Eu doido pra ver até as putas mortas…

Até a próxima, e espero que gostem! ;)

Written by Peu

Namorado da Miss Sombra, sou apaixonado por voar e por música. Um Pernambucano que gosta de tudo um pouco.
"Sou o coração do folclore nordestino, eu sou Mateus e Bastião do Boi Bumbá. Sou o boneco do Mestre Vitalino, dançando uma ciranda em Itamaracá. Eu sou um verso de Carlos Pena Filho, num frevo de Capiba, ao som da orquestra armorial. Sou Capibaribe num livro de João Cabral.

SOU MAMULENGO DE SÃO BENTO DO UNA, vindo no baque solto de um Maracatu! Eu sou um alto de Ariano Suassuna, no meio da Feira de Caruaru. Sou Frei Caneca do Pastoril do Faceta, levando a flor da lira pra Nova Jerusalém... Sou Luis Gonzaga e eu sou mangue também.

Eu sou mameluco, sou de Casa Forte... Sou de Pernambuco, sou o Leão do Norte.

Sou Macambira de Joaquim Cardoso. Banda de Pífano no meio do Canavial. Na noite dos tambores silenciosos, sou a calunga revelando o Carnaval. Sou a folia que desce lá de Olinda, o homem da meia-noite puxando esse cordão... Sou jangadeiro na festa de Jaboatão

Eu sou mameluco, sou de Casa Forte... Sou de Pernambuco, sou o Leão do Norte."

Comentários