,

Em Bauru/SP, vigia mata mulher e se suicida

A Polícia Civil investiga um caso de homicídio seguido de suicídio ocorrido ontem de manhã em Bauru. O vigia Isac Ferreira Gândara, 26 anos, atirou no pescoço de Aline Lopes Côrrea Almeida Manfrinato, 28 anos, e, em seguida, efetuou outro disparo na própria cabeça. Os dois foram socorridos por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) até o Pronto-Socorro Central (PSC), mas não resistiram.

O cenário da tragédia era de muito sangue, onde Isac e Aline caíram após os disparos. O carro da vítima, um Hyundai/Veloster, estava estacionado com a porta do passageiro aberta. A bolsa, uma mala e o par de sapatos dela também estavam jogados no chão.

Câmera de segurança mostra a discussão entre autor e vítima

A arma usada por Isac, um revólver calibre 32 com numeração raspada, foi encontrada na calçada. A mochila e o capacete do vigia também ficaram encostados no muro de uma empresa.  “As imagens ds câmeras praticamente tiram qualquer dúvida da Polícia Civil sobre a dinâmica dos fatos. As imagens revelam que a vítima parou com o veículo, desceu empurrando uma mala com rodas, que continha objetos pessoais dela, e, neste momento, ela foi abordada pelo autor. Não dá para falar que foi de surpresa, porque ele chegou de frente e a abraçou”, esclarece o delegado

As imagens da câmera de segurança também mostram Isac fazendo Aline voltar para o outro lado da rua, onde o carro estava estacionado, momento em que ele efetua um disparo e ela cai. Em seguida, ele se ajoelha e efetua disparo contra a própria cabeça.

A reportagem teve acesso a uma gravação que mostra o exato momento em que Isac pega no braço de Aline, fazendo-a cair no chão. É possível ver que ele a ameaça com algo na mão direita, provavelmente sua arma.

O vídeo abaixo foi filmado após o ocorrido. No vídeo, um homem chuta brutalmente a cabeça do assassino, no chão. Assista:

  • Testemunhas

Uma testemunha, que terá a identidade preservada, passava pela rua. Segundo ela, a mulher chegou com o carro, estacionou e desembarcou. Ao atravessar a via, o suspeito teria vindo ao encontro dela e a arrastado até o veículo. “Os dois se envolveram em uma discussão e, durante a briga, o homem mostrou o revólver. De repente, ele atirou nela e a beijou. Depois, deu um tiro contra seu próprio ouvido e caiu em cima da moça”, contou.

“As investigações dão conta de que ele não mora e nem trabalha por ali. Ela (Aline), por sua vez, costumava ir ali visitar alguns clientes. Não sabemos se ele estava seguindo-a ou se houve um encontro marcado. Uma moto que ele estaria usando não foi encontrada”, salientou Kleber Granja.

O caso foi registrado como homicídio e suicídio. Nos próximos dias, a Polícia Civil ouvirá familiares dos envolvidos, com o objetivo, principalmente, de estabelecer relação entre autor e vítima.

O corpo de Aline foi velado em uma sala da Funerária Reunidas e seria sepultado hoje, no Cemitério da Saudade, às 14h30. Já o corpo de Isac seria transferido para Minas Gerais. A reportagem esteve no velório de Aline na noite de ontem, mas os familiares, sob forte comoção, preferiram não se manifestar.

  • ‘Abre o portão, pelo amor de Deus’

A moradora de um prédio disse ter entrado em desespero ao ver, de sua lavanderia, Aline sendo ameaçada. “Ela gritava por socorro e ninguém fazia nada. Fiquei desesperada e comecei a gritar: ‘abre o portão para ela, pelo amor de Deus’. Decidi descer para ajudar mas ouvi um tiro. Entendi que já tarde”, contou.

Jacqueline Salgado, de 39 anos, é moradora de outro prédio próximo. “Ouvi os gritos de horror. Desespero ao extremo”, lembrou. “Sou escritora e já escrevi crônicas policiais, mas nunca quis ser parte de um cenário desse”, completou.

  • Relação?

A vigia de um prédio que fica em frente à Praça da Paz contou à reportagem do JC que Isac permaneceu sentado em um banco da praça por algum tempo. Segundo a vigia, parecia que ele a conhecia. “Ele passou pela gente e deu bom dia. Logo depois, aconteceu o crime”, disse.

Segundo a Polícia Civil, Isac morava com os tios no Mary Dota, já trabalhou como vigia no Fórum e, atualmente, foi contratado por uma empresa de segurança. Ele é natural de Itamarandiba, em Minas Gerais, para onde seu corpo seria levado.

Já Aline era casada, sem filhos e proprietária de um salão de beleza no Mary Dota. Ela prestava serviços de manicure e cabeleireira também a clientes do Jardim Panorama. “Uma testemunha presencial afirmou que viu ele chamar ela pelo nome, o que indica que eles já se conheciam. No entanto, foram apreendidos os celulares de ambos para que a perícia verifique se há ligações ou mensagens trocadas recentemente entre eles”, acrescentou o delegado Kleber Granja.

  • Bíblia

Na mochila de Isac, peritos encontraram diversos medicamentos. Entre carteira, cartões e dinheiro, um objeto chamou a atenção: uma Bíblia pequena. Em sua página do Facebook, Isac postou mensagens de revolta e tristeza como: “se sentindo irado”, “Não importa onde eu estiver nunca vou te esquecer”, “Só curtindo a brisa pensamentos a ‘milhão’” e “se sentindo perdido”.

O texto com as informações dessa matéria são do site http://www.jcnet.com.br/

Written by Danibrowser

Fundador do IÉB, o administra desde 2007, e não viu nem 1% da bizarrice do mundo.

Comentários