,

Apenas mais um dia num hospital sírio

Opa, comboio de sibitos baleados queridos leitores! Tudo bem com vocês? Adianto que nós do Isso É Bizarro estamos preparando algo especial pra vocês nesse mês de Setembro, e por uma causa nobre. Não vou falar muito agora, mas digo que nós autores estivemos conversando, e o que surgiu até agora promete. Em breve, estarei preparando um post explicando tudo direitinho. Garanto que vocês não perdem por esperar! :D

Vamos ao post. Por incrível que pareça, essa é mais uma dica do fiel leitor Leley Oliveira. Hahahahahahaha. Sim. Fiel leitor, e parceiro de postagens aqui nessa birosca no site, mais conhecido como Sweeney Todd.

E este vídeo, eu dedico a você que reclama pra ir trabalhar no frio. Que vive chateado porque seu carro tem 5 anos de uso… que pensa que a vida não tem sentido porque a última mulher que você arrumou era uma vagabunda. Pra você, que grita aos 4 cantos que vive fudido, que não é feliz e que não tem paz um dia só em vida. O que você me diz das pessoas desse vídeo? Saiba você, que CADA PESSOA DESSA está ali lutando apenas pelo direito de viver! Sem mais… sem pensar em carro, em trabalho… sem pensar sequer se terá o que comer quando/se conseguir sair dali. Aprenda a agradecer pelo que tem, e coloque em sua cabeça que por mais ruim que esteja, ainda poderia ser pior. Taí a prova.

O título do vídeo é “Cenas horríveis do interior de um hospital da Linha de Frente Síria”. A descrição, diz apenas “Eu pensei que eu tinha visto de tudo na Síria. Em seguida, vem isso”.

 

Usuário Android, iOS ou Windows Phone clique AQUI ou AQUI (fonte original).

Por hoje, é só. Desejo a todos uma ótima quarta feira. Sugestões no [email protected] ou no Facebook.

Até a próxima. Beijo na bunda. :P

Written by Peu

Namorado da Miss Sombra, sou apaixonado por voar e por música. Um Pernambucano que gosta de tudo um pouco.
"Sou o coração do folclore nordestino, eu sou Mateus e Bastião do Boi Bumbá. Sou o boneco do Mestre Vitalino, dançando uma ciranda em Itamaracá. Eu sou um verso de Carlos Pena Filho, num frevo de Capiba, ao som da orquestra armorial. Sou Capibaribe num livro de João Cabral.

SOU MAMULENGO DE SÃO BENTO DO UNA, vindo no baque solto de um Maracatu! Eu sou um alto de Ariano Suassuna, no meio da Feira de Caruaru. Sou Frei Caneca do Pastoril do Faceta, levando a flor da lira pra Nova Jerusalém... Sou Luis Gonzaga e eu sou mangue também.

Eu sou mameluco, sou de Casa Forte... Sou de Pernambuco, sou o Leão do Norte.

Sou Macambira de Joaquim Cardoso. Banda de Pífano no meio do Canavial. Na noite dos tambores silenciosos, sou a calunga revelando o Carnaval. Sou a folia que desce lá de Olinda, o homem da meia-noite puxando esse cordão... Sou jangadeiro na festa de Jaboatão

Eu sou mameluco, sou de Casa Forte... Sou de Pernambuco, sou o Leão do Norte."

Comentários