, , , ,

O Livro Egípcio dos Mortos

E aew, bando de éguas mancas adorados leitores, tudo na paz? Estive assistindo este documentário noite passada, e achei ele bastante interessante, assim, optando por compartilhar com vocês. É um documentário sobre o “Livro Egípcio dos Mortos”, que é bastante intrigante para nós, nos dias atuais.

O documentário mostra como foi achado o único exemplar intacto e totalmente preservado desta obra, e que foi salvo graças às habilidades de um contrabandista de antiguidades, dentre outras importâncias em torno do mesmo.

Por que para todo egípcio era importante ser enterrado com um exemplar deste livro? O Livro dos Mortos (cujo nome original, em egípcio antigo, era Livro de Sair Para a Luz ) é a designação dada a uma coletânea de feitiços, fórmulas mágicas, orações, hinos e litanias do Antigo Egito, escritos em rolos de papiro e colocados nos túmulos junto das múmias. O objetivo destes textos era ajudar o morto em sua viagem para o outro mundo, afastando eventuais perigos que este poderia encontrar na viagem para o Além. (Trecho retirado do Livro dos Mortos – Wikipédia)

Enfim, o documentário tem 1:30:00, e vale a pena cada segundo. Então, pegue a pipoca, o refrigerante, e aproveite o vídeo.

Usuário Android ou iOS clique AQUI.

Espero que tenham gostado, afinal, IÉB também é cultura! :D

Ah, de antemão quero lhes adiantar que não sei se amanhã eu postarei, pois é o dia marcado para os protestos em algumas cidades Pernambucanas, e até em estados vizinhos, e eu estou escalado para missão de patrulhamento e prevenção, por tanto, nem imagino se terei algum tempo livre. Já deixarei um post pronto aqui, só aguardando ser colocado no ar, mas caso nem assim eu não consiga postar, deixo aqui minhas desculpas antecipadas.

Até a próxima. Beijo na bunda! :P

Written by Peu

Namorado da Miss Sombra, sou apaixonado por voar e por música. Um Pernambucano que gosta de tudo um pouco.
"Sou o coração do folclore nordestino, eu sou Mateus e Bastião do Boi Bumbá. Sou o boneco do Mestre Vitalino, dançando uma ciranda em Itamaracá. Eu sou um verso de Carlos Pena Filho, num frevo de Capiba, ao som da orquestra armorial. Sou Capibaribe num livro de João Cabral.

SOU MAMULENGO DE SÃO BENTO DO UNA, vindo no baque solto de um Maracatu! Eu sou um alto de Ariano Suassuna, no meio da Feira de Caruaru. Sou Frei Caneca do Pastoril do Faceta, levando a flor da lira pra Nova Jerusalém... Sou Luis Gonzaga e eu sou mangue também.

Eu sou mameluco, sou de Casa Forte... Sou de Pernambuco, sou o Leão do Norte.

Sou Macambira de Joaquim Cardoso. Banda de Pífano no meio do Canavial. Na noite dos tambores silenciosos, sou a calunga revelando o Carnaval. Sou a folia que desce lá de Olinda, o homem da meia-noite puxando esse cordão... Sou jangadeiro na festa de Jaboatão

Eu sou mameluco, sou de Casa Forte... Sou de Pernambuco, sou o Leão do Norte."

Comentários