Papua – Nova Guiné: Chocante Documentário! (Parte 1)

Imagina reunir em um país só tudo (ou quase tudo) o que você já viu aqui no Isso É Bizarro?

Este é um documentário produzido em 1970 e guaraná de rolha, mostrando a realidade nua e crua e inclusive assada de um país onde a maioria da população é indígena e seus indigestos hábitos permaneciam até então. Prepare-se para uma longa viagem através de rituais surpreendentes.

Como o documentário em sí tem bastante tempo de duração, farei alguns “highlights” sobre o que você encontrará em cada capítulo… Prepare your guts!

Capítulo 1 – Highlights:

CANIBALISMO:

Uma indígena come os restos mortais de seu falecido marido… de semanas atrás. O narrador relata que o cinegrafista vomitou várias vezes, e o operador de som desmaiou, deixando o equipamento gravando sozinho, tamanho era o fedor e a atrocidade da cena.

“FUNERAIS” RITUAIS:

Apesar do tenebroso fedor e do alto risco de infecção por doenças, os indígenas mantem os corpos de seus mortos o mais próximo possível por semanas á fio, até os corpos começarem a despedaçar. Imagine o agradável aroma desta situação dentro de uma cabana situada em uma floresta quente e húmida? Prepare-se, porque fica pior, bem pior:

BANHOS DE SECREÇÕES PUTREFATAS:

Se você pensou que não podia ficar pior… Você está errado: Pra eles, suco de carniça é o que há para lembrarem-se do ente querido: O corpo libera líquidos e secreções da putrefação em estado avançado, e os familiares literalmente tomam um banho com essa podreira. Durma com essa!

ESCARIFICAÇÃO “ESTÉTICA”:

Mesmo nas áreas “menos selvagens” do país, os costumes tribais não são totalmente abandonados: Cortes na pele com espinhos, ervas, tinturas e madeira em brasa são comuns entre as mulheres para enfeitarem-se em busca de um marido.

MUTILAÇÕES INFANTIS:

Desde muito cedo, as crianças e jovens das tribos são submetidas á mutilações características de cada tribo, e neste quesito o narrador acaba sendo mais que irônico: “Um nariz com quatro furos respira melhor…” .

“APROVEITAMENTO” ANIMAL:

Ozzy Osbourne comeu cru, mas poderia ter recebido uma verdadeira aula com estes nativos: Um único morcego pode significar uma boa saia com sua pele, e ainda por cima render um excelente churrasco! Desperdício? Que nada!

Agora que você já sabe o que esperar, a decisão é totalmente sua: Aperte o play por sua conta e risco:

Aguarde a parte 2, será postada em breve.

119 Comentários nesse post. Comente!

  1. FIRST – Fala sério, interessantíssimo, ameii o post ,

    R. Neves / Responder
    • "amei o post" huuuuuuuuuuum essa coca é faaaaaanta!

      É o mesmo que dizer "Ai isso é esplendido" kkkkkkk toma jeito guri(a)!

      Juarez / (in reply to R. Neves) Responder
  2. Vamos ver logo comento mas já to curtindo antecipadamente

    Gilbert killer / Responder
  3. Só me lembrei de Resident Evil 5 rs rs

    Juão / Responder
  4. Que bizarro do caralho!

    DieNNy / Responder
  5. Eu creio que ainda tem muita coisa que agente não viu e com certeza faz esse dai parecer filme romantico!

    Principalmente em certos locais totalmente distantes do continente africano…aquilo é um paraiso para os produtores deste site!

    W.Braga / Responder
  6. Para quem andou sumido alguns dias, voltou arrasando neste documentário. Muito bom Eduardo.

    joyceloiane / Responder
  7. Chocante, sim. Talvez, os hábitos tenham se modificado com o tempo. Para nós, q tentamos abolir todos os cheiros corporais pode parecer nojento ( e é….arghhhhhhhhh….) mas, no grupo social desses aborígenes tudo tem o seu significado. Parabéns pelo post, Eduardo. Conhecer os hábitos dos nossos ancestrais mostra o qto evoluímos.

    Lady Jeans / Responder
    • Concordo com Lady Jeans….

      Repugnante par gente sagrado e cultural pra eles… por mim tdb contanto que eles continuem bem longe de mim XD

      Orivaldo / (in reply to Lady Jeans) Responder
  8. Muito bom o video, a parte sobre as homenagens aos mortos com certeza é a parte mais forte do video. Mas achei muito sem noção a música que passa no momento que fala sobre a vaidade do povo. Parabéns cara pelo video, bom mesmo!!!

    Carlos Júnior / Responder
  9. megaputaqueparível

    Gleydison / Responder
  10. Muito interessante esse post, é impressionante ver que ainda existem pessoas vivendo de forma pré histórica. Também admiro a coragem dos caras que fizeram este documentário. O que não consigo imaginar é a fedentina que deve tomar conta do lugar. O máximo que já senti foi o cheiro de alguém morto há 36 horas, e vou dizer que já é foda! Imagina passar uma semana sentindo o "aroma" e se banhando no "caldinho", além de comer uns pedacinhos (recheados de bichinhos)? PQP

    Smoking_girl / Responder
  11. Posta ai o video do cara que enfiou o peixe no marques de rabicó e a equipe do centro cirurgico filmou tudo. foi colocado ontem no youtube.

    Leandro / Responder
  12. Meuuuuuuuuuuu…. q nojoooo…. rs ÓTIMO POST…beijoos

    elianeAvelar / Responder
  13. Excelente! Baixei pra assistir na hora do almoço (é sério!) Eduardo, vocês poderiam fazer um post sobre os épicos faces/traços da morte? Esses filmes fizeram a infância/adolescência do pessoal dos anos 80.

    Wagner Rocha / Responder
  14. Eu sei que é a cultura deles e tal , mas a parte da pessoa podre e eles se banhando sei la com aquele líquido dela foi muito nojento.

    Dan / Responder
  15. Um post muito agradável para se ver antes do jantar, no feriado do Dia do Trabalhor. Obrigado, sr. Edu.

    Breno Ruy / Responder
  16. Como dizem, não existe certo ou errado. Tudo depende do ponto de vista.

    Luna del Parla / Responder
  17. Isso está bem longe de ser considerado uma cultura. Pra mim isso se chama ignorância.

    Comer os restos dos entes queridos, mutilar o corpo… Mesmo se eu fosse um fanático religioso e minha suposta religião pregasse isso, com certeza eu não iria fazê-lo.

    Bruno / Responder
  18. ……..SIMPLESMENTE INSANO.

    E para essas pessoas que colocam PIERCING acho que vocês estão

    fazendo do jeito errado aprendam com os verdadeiros profissionais deste vídeo insano.

    Sinto pena dos URUBUS pois nunca sobra nada para eles.

    E o que o BOTICÁRIO tem a dizer dessa fragrância cadavérica.

    E se para eles está tudo bem quem sou eu para critica-los.

    chacal@chacal / Responder
  19. Tanta coisas bizarras pelo mundo ainda pra serem descobertas

    Meu avô me contava historias da decada de 40/50

    quando estavam começando a abri estradas no centro oeste e norte do brasil

    ele disse que indios sequestravam e comiam os operarios da rodovia

    onças invadiam as tendas e levavam ainda vivos as pessoas arastando

    cobras sucuris de 12 metros

    matando pessoas

    isso sim seria uma historia boa pro site

    so pesquisa que voces acham

    posta isso no site vai ser legal

    joao vitor / Responder
  20. Eu tenho quase a absoluta certeza de que o tio e a tia das empadinhas de carne humana saíram dessa tribo.

    kkkkk

    Black / Responder
  21. Eu não tenho o costume de escrever e postar comentários, prefiro ler apenas, os comentários alheios, mas mais cedo ou mais tarde eu teria que falar que acho você o máximo Eduardo !
    Beeeijos e continuem sempre fazendo sucesso !

    Aline / Responder
  22. Meu, esse post tem sido um dos melhores pela inovação. Parabéns! Quando eu pensei que já tinha visto de tudo putz que pariu me vem esse post ultra fodástico! Porra bicho, mas tomar banho com secreção foi o estopim…

  23. Muito bom ..

    Esperando a segunda parte :)

    a parte ali do nariz puts

    Lucaao / Responder
  24. insisti uma semana com a patroa pra ela fazer um manjar com calda de ameixa…………….E VCS CONSEGUIRAM ESTRAGAR MINHA SOBREMESA……………puta falta de sacanagem……..kkkkkkkkkkkkkk

    laudison / Responder
  25. Olá a todos!
    Primeiramente gostaria de parabenizar pelo importantíssimo post.
    Chocante sim, para nossa sociedade. As categorias socioculturais desse povo em específico, desde os maneira como se vestem até os rituais funerários, são totalmente diferentes das nossas.
    A rica diversidade etnica existente no nosso mundo as vezes nos chocam, pois estamos tão acostumados com padrões e normas sociais da nossa sociedade, que quando nos deparamos com cenas iguais as estas, logo, pensamos que essas pessoas são “selvagens, “irracionais”… Toda esse tipo de crítica é, infelizmente, muito aceito nos senso comum da nossa sociedade, que, segundo nós msm (e para nós msm), somos mais “evoluídos” do que eles, e isso nos leva, muitas vezes a não conhecer e reconhecer outros aspectos circuntanciais que são mais relevante para eles do que para nós.
    Acho que a partir deste ponto devemos justamente nos propor a procurar entender que para esse povo aborígene tudo isso tem significados de representação simbólica, que tem tudo haver com a sua sociedade. Com isso, cabe a nós, respeitarmos essas diferenças e procurar manter o bom senso sempre.

    doido / Responder
  26. Assisti esse documentário qndo fazia faculdade. IéB!

    Bakanaum / Responder
  27. Essas musiquinhas de fundo de antigamente fazem até um documentário sobre pandas parecerem macabros, pqp.

    Y. Victor / Responder
  28. Parabéns Eduardo, o site tá só crescendo. Quando comecei a ver, éramos poucos, mas agora, a Bizarrice tá tomando conta do Brasil!!! Os posts estão ficando mais profundos, com temas mais variados. Sucesso a todos!

    MaurícioBH / Responder
  29. Matéria súper interessante, principalmente pq é a primeira vez que leio uma matéria do Eduardo que não tem vagabundo furado de bala, acidente com mortos e suas vísceras pulando pra fora do corpo. Não que esteja reclamando, mas pegou leve dessa vez… Hahahahah

    Cachorro Louco / Responder
  30. é um ótimo lugar pra passar as ferias.é um documentario antigo e,muinto bom para vermos como os costumes lá ficou bom com o passar do tempo.

    s.s / Responder
  31. Eduardo, post espetacular! Ansioso para assistir a segunda parte!

    Parabéns!!!

    Rafael / Responder
  32. Na boa.. nessa sociedade miserável e nesses dias mis miseráveis ainda que vivemos o

    Geovani / Responder
  33. Na boa.. nessa sociedade miserável e nesses dias mais miseráveis ainda que vivemos esse é um costume que apesar de ser macabro demonstra o respeito que as pessoas tem com o seu próximo (claro que comer restos dele é foda), pois esse mundo é enorme e cada povo tem seu costume e sua maneira, e as vezes o que é estranho para a maioria de nós e perfeitamente normal para outras culturas, assim como alguns com certeza vão criticar aqueles caras furado o nariz dos meninos ou aquelas tatuagens esquisitas nas meninas… pra eles nosso modo de vida deve ser ou é a maior esquisitisse. Pq afinal o que é realmente o "normal"!

    Ps: Esse narrador é muito foda!!!!

    Geovani / Responder
  34. PQP, excelente post Arrow!

    Vi todo o vídeo e realmente é chocante ver essas coisas. Os comentários do narrador é que dá a graça do vídeo kk

    Lara / Responder
  35. Realmente, os hábitos de higiene são deploráveis… para nós.

    Para eles, é situação totalmente normal.

    É a diferença antropológica entre nós e eles.

    Achei o vídeo fascinante e nada chocante, visualmente falando, com certeza pelas imagens serem antigas e a nitidez não ser tão grande como a dos vídeos atuais. Por exemplo, a decapitação do sujeito com serra elétrica me chocou muito mais.

    Curti a moda íntima masculina, eles têm muito bom gosto. =)

    Iroha / Responder
  36. muito bom conhecer a cultura de outras pessoas '-'

    guilherme / Responder
  37. =O , Sinistro..

    Iara xavier / Responder
  38. POOORRRAAA EDUARDO!!! EXCELENTE POST CARA!!

    "Reverencias para você"

    ótimo post! Excelente!

    Vou ficar aguardando ansiosamente pelas outras partes…

    MUITO 10, CARA! MUUUITO 10!

    Não vou poupar elogios, fdp! kkkkkkkkkkkkkk

    DraftL / Responder
  39. ele demora pra postar, mas quando posta é só coisa show

    Kenedy / Responder
  40. interessante demais parabéns ! incrível é pensar q com com certeza tribos como essa também estiveram e quem sabe ainda estão presentes não só na Africa mas aki no Brasil tmb

    july / Responder
  41. Verdade pqp! kkkkkkkkkkkk

    thodes / Responder
  42. Tu acha que sinceramente vou sentar na frente dum micro pra procurar vídeo dum fiadaputa que enfiou um bagre no próprio olho de thundera? Ora faça-me o favor!

    KKKKKKKKKKKKKKKKK!!!! Não mas sério agora: Sem link não me adianta.

    Manda o link que daí eu posto.

  43. Eu não discrimino meus fãs de forma alguma, independente do gênero.

    Portanto, deixa o cara em paz.

  44. Cada louco com sua loucura

    Ótimo post

    só esperando pela 2° part

    ;)

    JucaCaruaru / Responder
  45. Cara, tá no nível social e cultural de uma ameba heim?

    Primeiro por discriminar o cara por uma frase.

    Segundo, e se o cara for gay? Sua observação é tão "esplendida" que é o mesmo que falar "Ui, esse Eduardo gosta de garotas heim?! kkkkk".

    O seu comportamento pode não influencia no sentido da sociedade, mas reflete a sua importancia para ela.

    No mais, muito bom o post Eduardo! Poucas décadas atrás pessoas viviam nessa cultura (ainda vivem?), acho que dá pra perceber que não é a inteligência pessoal nossa que nos avançou, e sim o contato social. Interessantisímo!

    Rafa / Responder
  46. Cara, eu penso nesse lance de ser cultura deles e tal. Sinceramente, Nova Guiné não é Brasil e não posso dizer o que fazer lá, mas por aqui, nossos índios são isolados pelo governo, e acredito que é uma atitude errada.

    Deveriamos inseri-los na sociedade, como cidadãos normais e não especiais. A cultura pode ser mantida/se tornar religião, ou qualquer outra solução que a sociedade deles possa usar. Deveriam existir projetos de inserção e adaptação à sociedade moderna para eles, e não reservas para "manter a cultura". Estão mais para objetos patrimoniais do que cidadãos.

    Na região onde vivo, existem algumas reservas indígenas, e boa parte dos mais velhos são bebados vendedores de bugingangas em beira de estradas, e os mais novos estão insatisfeitos com a realidade que vivem e são "educados" para manter. Não querem continuar isolados, querem se misturar, e tenho certeza que seriam capazes de adaptar e manter a parte importante de sua cultura. Em partes, vejo religiões como o candomblé como um exemplo.

    Rafa / Responder
  47. ainda bem que ainda não criaram um dispositivo(ainda) que transmita cheiros e sabores via internet,poque senão muita gente,inclusive eu, iriam desmaiar kkkkkkkkkkkkkkkkk!

    Post nota 10!

    Lucas / Responder
  48. Meuu…q vídeooo loucooo, comer alguém da família em estado de decomposição, passar a secreção do corpo dele na pele, Q TENSOOOO… rs …Eu com as 9 tattos q tenhu acho q não senti tanta dor qnto aquela garota…

    e o piercing dos caras então meu Deus… qndo coloquei o meu no nariz doeu pra caramba… imagina ador q eles sentiram…. mas é legal conhecer um pouco mais sobre a cultura e a crença de outros povos…

    PARABÉNS PELO POST….

    eliane / Responder
  49. Acho muito interessante este tipo de documentário e por mais chocante que seja penso que estas tribos não deveriam perder estes costumes, faz parte de suas culturas e por isso deve ser preservado. Sei que muitos podem não concordar mas com certeza acho esses costumes do vídeo muito mais interessantes do que ver culturas tribais como estas serem destruídas pelo homem branco. Ou alguém aqui gostaria de ver esses indígenas usando Nike e comendo lanches do McDonalds?? Tenho certeza de que alguém aqui já viu o clipe "America" da banda alemã Rammstein!!!rsrsrs

    Eu / Responder
  50. Eu to tão FELIZ…

    Dia 12 d maio eu vou fazer 18 anos…dai ñ preciso mais entrar ilegalmente aki no Blog…

    #Ho emoção…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk….o/

    Thay / Responder
  51. iradooooooooooo

    posta logo o segundoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

    lol

    iuAHSIUHAsiHAUSIHIAs

    Lívian / Responder
  52. Parte 2… AGORA!

    Henrique / Responder
  53. What?

    É nessas horas que o IÉB podia liberar imagens pra postarmos,pois eu iria colocar essa imagem….
    http://download.ultradownloads.com.br/wallpaper/2

    deneralmeida / Responder
    • Porra Dener?

      Mesmo que fosse possível liberar a postagem de imagens para visitantes (não admins): Tu ia me postar um WALLPAPER DE 1920X1200.JPG direto na index??? Porra!!! Quer me foder, me beija antes, caraio!

  54. me lembrou resident evil 5 [3]

    Ice knight / Responder
  55. .animal esse documentario Eduardo parabens!!!!esse eu assisti comendo um pao com linguiça…ehheheheeh..

    renan / Responder
  56. Oi Wagner…

    Gostaria de te dizer alguma coisa sobre aquela sequencia de documentários chamada Faces da Morte, baseado nas minhas próprias experiências. O Traços da Morte eu não ví.

    Quando eu era garoto, a moçada assistir o Faces da Morte (ainda no tempo do VHS) era uma espécie de "Ritual de Passagem", pra provar que o cara era corajoso :-).

    O sujeito alugava, assistia geralmente acompanhado (ah ah ah), e muita gente ficava grilada com aquilo, e dormia de luz acesa por algum tempo… Estou falando da turma de uns 14, 15 anos lá pelos idos de 1987, quando a fita foi lançada aqui no Brasil e não existia acesso a esse tipo de conteúdo em lugar nenhum. Geralmente o carinha chegava todo cheio de prosa dizendo que assistiu o filme, mas não dizia que ficou tão impressionado que não dormia direito depois. Se for ver bem, muita gente hoje na faixa de uns 40 e poucos anos já assistiu aquilo quando era jovem. Foi um verdadeiro fenômeno infanto-juvenil. Eu mesmo sou um dos que assistiu no auge da polêmica toda, de tanto que se falava no assunto.

    Bom, passado alguns anos, eu fui descobrindo coisas meio constrangedoras sobre o Faces da Morte, como por exemplo o fato de que muita coisa era encenada por atores com a intenção de parecer um documentário real. Do que me lembro, posso destacar algumas passagens:

    * A câmara de gás e a cadeira elétrica são encenações. Nos Estados Unidos, é proibido por lei filmar e transmitir ao público imagens de execuções. Se for notar, por exemplo, na hora da cadeira elétrica, tanto o cenário em volta, o preparo do condenado e o ritual de execução são bem diferentes do real.

    * Aquela sequencia grotesca dos caras comendo cérebro de macaco é fake. Na hora de decapitar o bichinho é um boneco, e o que é servido para os "convidados" na verdade é couve flor cozido e pigmentado de vermelho para parecer com o cérebro real. O próprio produtor do filme, o tal Conan, disse que uma das mulheres passou mal na filmagem, mesmo sabendo que era comida normal sendo servida na hora. Cá pra nós, ainda bem que era tudo falso.

    * Aquela babaquice do ritual de magia negra, que matam uma moça, lhe arrancam o coração pra comer e tudo acaba em suruba, foi encenação com sangue cenográfico e outras primarices do gênero.

    * O sujeito que salta do prédio por ter levado um fora da ex esposa, é um boneco sendo jogado de poucos andares, onde o foco da câmera era bem próxima ao cara antes de saltar, mas quando salta uma câmera de bem longe filma o boneco caindo.

    Já faz tempo que eu assisti, e do que eu lembro, as autópsias eram verdadeiras, alguns acidentes e imagens de violência também, mas, o que fica em mente agora, é que um pseudo documentário que chocou tanta gente, tinha um monte de cenas produzidas por atores com o propósito de parecerem reais, e apresentadas como reais. Muito tempo mais tarde o produtor deu uma entrevista revelando que misturava ficção com realidade, muita coisa era aproveitada de reportagens feitas por emissoras jornalísticas que cediam as imagens. Se derem uma pesquisada dá pra encontrar a entrevista do produtor falando sobre os bastidores.

    O que se encontra hoje em dia em sites que mostram a realidade, é muito mais barra pesada do que o que se mostrava naqueles filmes. Mas, não se nega o mérito daquilo servir de inspiração para os sites que existem hoje e mostram tudo na real. E o Faces da Morte cumpriu bem o seu papel de chocar e criar polêmica entre os que assistiram. E todo mundo que assistiu, se propunha a ver o que era mostrado lá, então atendeu as espectativas do público. Eu concordo com você no que se refere a sugestão de postar, tanto o Faces da Morte quanto o Traços da Morte aqui nesse site. Afinal, eles são os vovozinhos do gênero realidade nua e crua, e não se deve negar que o conjunto da obra é bem interessante. Por que não postar?

    É isso amigo, abraço e tudo de bom.

    Claudio / Responder
    • Comentário mais que abrangente… Simplesmente esclarecedor!

      Até porque sou dessa mesma época (Faço 34 Anos agora dia 16 de maio), e o "rito de passagem" que o Claudio descreveu é REALMENTE o que acontecia.

      Eu realmente nem sabia que havia ficção naquela produção, eu havia visto Faces of Death a muito tempo atrás e naquela época óbviamente eu não tinha o olho clínico e senso de absorção de detalhes que eu tenho hoje em dia… Então, pra mim era e sempre havia sido TUDO REAL até onde eu lembrava.

      Obrigado pela explicação e por favor, comente sempre!

  57. "Por que com quatro buracos vc respira melhor" interessante…kkkk

    ZET / Responder
  58. Queria saber como colocar foto como no seu.

    weder / Responder
  59. otimo post… hum

    é agora que agente vomita?

    alex / Responder
  60. Como nada mais surpreende hoje em dia, achei o documentário excelente de cunho informativo e cultural daquele povo. Bem legal.

    internetejakulator / Responder
  61. Porra! O mlk sendo perfurado no nariz e a música de tranquilidade: "Boiabadin, boiabadan, boiabadiiiiii uaaaannnnn… boiabadiiii, boiabaadaaannn boiabadiiiuaaannnnn" ?

    Essa parte pra mim foi a mais chocante. O resto foi molezinha. E bem que o morcego poderia estar vivo, né?

    DraftL / Responder
  62. Em primeiro lugar: Falaí Edu, como vai, guerreiro? Há alguns dias não tenho comentado mais as publicações , porque aqui em Sampa a correria e o trânsito são "bizarros!" rssss.

    Agora com referência ao documentário em questão, podemos perceber o choque cultural, pois quem garante q para aqueles povos, nós tomadores de banhos diários ( apesar de que alguns não tomam banho todos os dias, rss), escovadores de dentes, consumidores de perfumes entre outros cosméticos, enfim com nossos costumes católicos e ocidentais, tidos como "civilizados", não sejamos considerados toscos e bizarros para eles. É sábio e sadio socialmente respeitar as culturas diferentes e que no caso aqui é interessante conhecer estas formas de cultuar os mortos, bem como suas tecnicas de iniciação e aceitação no meio de sua sociedade. É no mínimo curioso, apesar de nos chocar um pouco.

    Para encerrar só gostaria de mencionar o narrador…PQP! Que cara engraçado, todo culto, desenvolvendo bem suas idéias, através de um texto claro e bem pronunciado e mais legal: sarcástico!! Especialmente quando se refere as moças da tatoo no rosto, como "as três beldades" kkkkkkkkk Talvez ele queira se referir aos padrões da tribo, mas mesmo assim ficou com um sentido de ironia!!

    Parabéns, graças ao seu post, tivemos a chance de saber um pouco mais sobre culturas distantes e bem diferentes das nossas, principalmente no trato com os mortos. Abraço, irmão e até a próxima.

    Omar / Responder
    • FAAAAAALA BROTHER!

      Poxa, legal mesmo que você gostou, cara! Mas já partindo pra opinião pessoal, eu penso um pouco diferente:
      Pra MIM, eu penso: Toda cultura que NÃO PREJUDIQUE O SEMELHANTE e principalmente NÃO FAÇA MAL é considerada válida. De outra forma, me soa á ignorância (Não no sentido de brutalidade, mas sim no sentido de falta de conhecimento, entende?)… E daí fica a questão: Se alguém provar á eles por A+B que banhar-se com secreções putrefatas de cadáveres, e ingerir carne humana provoca doenças… SERÁ QUE ELES CONTINUARIAM A EXERCER ESSA CULTURA, AGORA DESCOBRINDO QUE FAZ MAIS MAL DO QUE BEM?

      É como algumas religiões: Algumas são boas, outras atrasam a evolução do indivíduo, e algumas ainda dependem da interpretação sadia do praticante…

      Só minha opinião! Mas deixo aí a questão.

      Grande abraço e volte sempre!

  63. isso bizarro só que no pernamboco um trio vendia coxinha,impada.de carne umana a cidade e Garanhuns.pe eles venderão aqui na Paraiba.na capital João Pessoa.hoje estão preso……………………….. Sousa pb. 03/05/12.

    ERLANDO CARNEIRO / Responder
  64. não creio. A tribo majini da cidade de kijuju ainda está viva? mesmo depois de eu ter massacrado wesker.

    Mal consigo ver seus movimentos kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

    Chris redfield / Responder
  65. Realmente, uma das coisas mais incríveis que já vi…

    Mas agora imaginem um documentário indiano, por exemplo, filmando o que acontece com as vacas aqui no Brasil e no fim, as mesmas pararem nos pratos da maioria dos brasileiros…

    Eles teriam a mesma reação que estamos tendo quando vimos algo diferente da nossa cultura e costumes…

    Não sabemos o que é certo e errado neste mundo…

    Sei que não é a ocasião, mas estou postando o link do Wasted Blood pra galera que curte rock!!!

    youtube: http://youtube.com/WastedBloodWB
    facebook: http://facebook.com/WastedBloodWB

    Isso é Bizarro tá cada vez melhor…m/

  66. Muito bem. Após um ano vendo / lendo o IeB e cerca de seis meses comentando, o Eduardo foi o cara do site que conseguiu postar algo que me fez ter ânsia de vômito.

    E olha que leio / analiso sites assim desde os meus 16 anos, já preparando-me para a faculdade (que comecei aos 19 / 20 anos).

    Parabéns mesmo!…Uuuuurgh ><

  67. Quando eu acho que já vi de tudo,mais eu percebo que não vi nada..tenso…e será que fica pior na segunda parte?

    Patrícia / Responder
  68. Muito bom essa postagem, isso mostra o que a globo nunca iria mostrar, e a mesma coisa da novela o "caminho das indias" so mostra a parte bonita do pais mais não mostra a verdade sobre o rio ganges,

    Faces da morte / Responder
  69. Caro filho de Ogum, logo meu irmão, Edu.

    Fico feliz em saber sua opinião, pois a partir do pensamento de nossos semelhantes podemos reformular questões, até então enebriadas. Concordo plenamente com vc irmão, mas não acredito que sejamos capazes de mudar o pensamento daqueles povos "semi primitivos", ao menos em curto ou médio prazo. Eu diria Edu, que é como convencer aquelas pessoas que frequentam certas igrejas evangélicas e que creem numa tal de salvação da alma, doando fortunas para o pastor, rssss, digo, a irmandade! Mas sua forma de pensar é válida, pois antes a ciência "catequiza-los" oferecendo-lhes salvação física (com um plano de saneamento básico e higiene) de que algum "iluminado" dizer que aquelas pobres almas devem aprender a oração Pai Nosso, escravizando-os social e psicologicamente (mesmo porque financeiramente é quase impossível, dada sua condição) .

    Portanto Edu, mesmo que continuassem com a loucura, mesmo assim, lá fundo de suas mentes ficaria uma dúvida se aquilo é realmente benéfico e assim, com o tempo, talvez depois de algumas gerações, eles mudassem seus costumes. Esta é minha humilde opinião.

    Parabéns irmão, pela forma que vc enxerga as coisas e o brigado por me fazer refletir sobre este ponto. Bom , e sempre que possível estarei por aqui, adquirindo e dividindo conhecimento. Abraço Guerreiro!

    Omar / Responder
  70. Edu, na boa.. sem palavras mesmo. O vídeo é bizarro, chocante, dá pra ficar alguns dias com essas imagens na cabeça.. Mas, será que a alguns milhões de anos atrás a nossa espécie também não partilhava de iguais crenças e rituais?! Como será que esses povos criam esses hábitos, de onde surgem essas crenças, quem colocou na cabeça desses seres que esses hábitos e rituais vão levar a algum lugar?! Cara.. é foda.. Parabéns pelo post.

    the_morais / Responder
  71. What?

    nem cara eu iria postar imagens de resoluções pequenas na verdade foi uma cagada essa imagem tem 1900×1200 eu digitei no google esse meme e escolhi essa kkkk,mais fica a dica seria bacana,as vezes só a maneira q escrevemos não é suficiente para demonstrar a nossa expressão…abraços

    deneralmeida / Responder
  72. descrimina o first pelo menos?

    Brunih / Responder
  73. realmente, esse post é um dos melhores que eu ja vi aqui no IEB e um dos mais interessantes, continue assim!

    Leandro Scalia / Responder
  74. Eu estava justamente assistindo esses dias minhas velhas fitas vhs do faces da morte e também acho que o traços da morte, e fiquei bastante "chocado" em ver que fui enganado por muitos anos…Mas é bem isso que o Claudio falou, era tu assite o faces da morte tu é fodão! hehehe. Bons tempos em que tocava sepultura na vitrola e faces da morte no vhs enquanto eu fazia um trabalho de ciências…

    Jeferson / Responder
  75. Lembra um mantra né?! Show de bola.

    internetejakulator / Responder
  76. Eu conheço o clipe Amerika, aliás, muito bem produzido. Você escolheu bem a música pra comparar com o tema do post. Gosto muito do Rammstein.

    Eu fazia um curso de alemão e por influência da professora em pouco tempo todos os alunos passaram a curtir o Rammstein. Te sugiro assistir a um clipe chamado Engel (Anjo). É uma música que mostra que todos nós temos um certo "lado negro da força", ah ah ah. Tanto o Amerika quanto Engel, além de outros clipes da banda, podem ser encontrados no Youtube pelo canal "Mundo Rammstein". Lá o cara postou os vídeos com legendas em português, que na minha singela opinião, está bem traduzido. Está dada a dica extensiva aos demais amigos aqui do site que curtem rock feito com capricho. Ah, Haifisch (tubarão) também é um tremendo som. Vale conferir.

    Vielen Danke mein Freund und guten nacht!

    Claudio / Responder
  77. Ah! O First tem MAIS:

    TEM MAIS É QUE SE FODER! kkkkkkkkkkkkkk

  78. Eu sei bixo… Tava era tirando onda contigo! kkkkkkkkkkkkkk

  79. Ahh… então Eduardo é filho de Ogum? Bem me parecia, o arquétipo…Ogum-ê pra vcs, e Okê pra mim!

    Alan Lopes / Responder
  80. Ôpa, só pra constar…eles ainda SÃO da nossa espécie…

    No mais, o costume de comer defuntos também existia por aqui, e o sentido é absorver a essência do falecido ( exemplo dos nossos índios, que só comiam valentes, pra absorver a valentia)… é associação de idéias.

    Alan Lopes / Responder
  81. Já ia dizer isso , ele merece o esculacho pelo first e não pela provável opção sexua l.

    Vhamil / Responder
  82. Poisé, Omar véio de guerra… O GRANDE PORÉM é que nos dias atuais, o que não falta é "missões catecistas" católicas indo para Papua- Nova Guiné Á RODO!

    • Verdade Irmão! rssssssss Quando me referi a vc como sendo filho de Ogum foi por minha conta e risco, desculpe se pareceu petulância!! rsssss . Também me desculpo com o Alan Lopes aí de cima, foi mal!! Tal tratamento é porque vc Edu é um cara que luta, corre atrás da verdade e tem coragem de dizer o que pensa. Mas devo confessar que mesmo eu crendo na filosofia Kardecista, alimento algumas dúvidas no meu coração e tenho a consciência de que a morte é misteriosa e fascinante e às vezes me pergunto se foi Deus que nos fez sua imagem e semelhança ou se seria o contrário, o homem na busca pela perfeição criou um Deus semelhante a si, humanóide? Para terminar esta porra de filosofia, kkk, só quero citar uma frase profunda pronunciada por Sócrates (o filósofo grego, não o jogador do Corinthians rsss) instantes antes de se suicidar tomando a cicuta: " Se é verdade que a morte é uma grande casa onde o gênios do passado se encontram para discutir idéias, ótimo assim poderei gozar uma eternidade de saber ( e com isso ele tomou o primeiro gole do caraio do veneno!)…entretanto (prossegue o sábio) se a morte for o sono sem sonhos que eu dormia antes de nascer, que assim seja" (depois disso tomou o restante da meleca e foi pro saco!) Sendo assim Edu, seja vc ateu, crente, budista, eleitor do Tiririca, etc será sempre meu amigo, a quem respeito e considero! Tamo junto guerreiro!

  83. Não costumo postar, apenas leio os comentários das pessoas daqui do forum, mesmo visitando-o quase que diariamente, mas, MUITO BOM o post Eduardo. Nós seres humanos somos muitos "interessantes", o que foi postado aqui é apenas uma parte ínfima do que acontesse nessas e outras tribos, é aquela velha frase, "Cada lugar um lugar, cada lugar uma LEI".

    ótimo post…

    Diogo Santos / Responder
  84. Deu até um arrepau no piu… HSUHSAUHSAUSHA!!

    Quem sou eu, perto de um dos mestres criadores como vossa senhoria? :-)

  85. É cada uma que aparece… Ótimo/Nojento/Impressionante post, caro Eduardo…

    Peu / Responder
  86. Ainda bem que eu nasci no Brasil e não na Papua-Nova Guiné!

    Este post foi monumental. Muito bom. Já aprendi muita coisa com

    este site.

    NoBody / Responder
  87. Foi só eu que notei um excessivo enfoque por parte do cinegrafista nos seios das mulheres, principalemente na cena da tatuagem?

    Lucas / Responder
  88. what?

    Proximo post ebtão hehehehe

    deneralmeida / Responder
  89. Sinceridade?!

    É uma das coisas mais perturbadoras que eu já vi nesse bendito site… E olha que aqui tem um arsenal do capeta… A cultura deles é completamente diferente da nossa e não podemos comparar ou discriminar, mas que é chocante…Isso é…

    Bicuinha / Responder
  90. pqp só um caixinha meu ficou pegando quase eu estourava o outro $: KKK, muito bom o video!

    Lucio Brasilino / Responder
  91. de certo modo é legal ser o first,pq ele na verdade estava aqui antes de todos,pra ver se tinha algum post novo.

    matheus / Responder
  92. tu é gay que eu sei!!!

  93. Mas eu vi esta série. Nem um post bem posterior à ela, de fetiche por vermes, fez-me vomitar. Talvez porque eu tenha assistido a todos os filmes da "franquia" Guinea Pig.

    Clap clap, IeB u,u próximo desafio: fazer-me nunca mais querer acessar sites assim. Ou desmaiar. Level: Ninja 999999999999999999999999999999999999.9!

  94. Foi petulância não! Até porque não disse nada que não fôsse verdade.

    Abração!

  95. vei….que nojo mano… IMAGINA UMA MINA DAR BEIJO NESSE MALUCO KKKKK VISH

    rafa... / Responder
  96. Em nenhum momento eu falei que não eram da nossa espécie. Releia o comentário (:

    the_morais / Responder
  97. Pois é cara, muitas pessoas compartilham dessa sua visão de que o índio ainda vive isolado e talz, que não quer se "integrar", etc… Mas não é isso que eu vejo, claro o índio sempre foi marginalizado desde o começo da construção do nosso país atualmente, e isto trouxe grandes mudanças abruptas para a sua sociedade e sua cultura. Porém, em meio a todas as mais brutais adversidades, não pense que ele foi submisso a tudo isso, o povo indígena daqui sempre lutou pelo seu direito, que foi surrupiado primeiramente pelo colonização, império e continua até hoje se reproduzindo na república brasileira, que prefere não escuta oq esses povos tem nos dizer sobre o eles e sobre o seu movimento.

    Hoje a falácia da democracia, unida com o capitalismo, embora sirva para privilegia uns e prejudica outros, pelo menos na lei somos todos iguais, logo, os indígenas estão incluídos nesse cruel projeto "moderno" também, que lhe garante direitos e deveres, e neste ponto eles não estão à parte, são, assim como nós, representante desta sociedade, só que no caso deles, por questões socio históricas, como eu já lhe avisa dito, não estão sendo ouvidos.

    Vejo, em minha cidade por exemplo, que existem índios urbanos, vivendo e representando sua cosmovisão e suas culturas, e convivendo e negociando com tudo qto é tipo de modo de vida urbano lhe ofereça, seja ele ruim o bom. Porem isso não lhes tornam nem mais nem menos índio do que aquele que vive "lá longe", no "meio do mato", usando cocar e se pintando. Mas diante de tudo isso ele, o indígena deve ser respeitado como individuo, e deixar-lo viver como eles querem, e não ditar como eles devem viver.

    Infelizmente é muito triste ver que nossa sociedade ainda pensa que eles como "objetos patrimoniais" e não cidadão de direito. Toda a realidade indígena, no nosso país, sempre esteve em conflito com todas instituições de poder e de controle da nossa sociedade, e grande parte de como eles vivem hoje é um reflexo por conta desses tipos de coerção.

    Doido / Responder
  98. Querendo ou não querendo eles vivem assim e são bem diferentes de nossa cultura, mas ainda sim isso é a cultura deles, e mesmos com todas essas "bizarrices" eles não podem ser considerados "doentes" ou "ignorantes".

    São apenas seres humanos que vivem em uma sociedade totalmente da nossa. E eu acho essa diversidade fantástica!

    doido / Responder
  99. Isso não é cultura é ignorância! Esse povo vive na era das trevas!

    Franklin Martins / Responder
    • Isso não é ignorância. É cultura. Quer um exemplo mais suave? Você comer no Japão chupando o macarrão não é falta de educação. Já aqui.
      E aí? Vai dizer que é diferente? É cultura.

  100. Só sei que aquele suco de defunto deve ser melhor do que monange.

    Larissa / Responder
  101. foiiii incrivel cara!!! só vidrada nesse site agora

    naty / Responder
  102. Thanks!

Deixe seu comentário