,

Usada como prostituta, fêmea de orangotango é salva na Indonésia

Não, você não leu nada errado. É inacreditável onde a perversidade humana pode chegar, não é mesmo?

Pony, a orangotango prostituta

Parece que na Indonésia alguma rapaziada não fica satisfeita com o fato dos orangotangos poderem estar extintos já em 2015 devido à destruição massiva do seu habitat natural causada pelo crescimento desenfreado de plantações de óleo de palma, e muito menos com o fato disto ter causado a morte a 50,000 orangotangos em apenas duas décadas. Não, para o bicho homem isto não chega. Então o que fazer? “Ah já sei” – diz um iluminado indonésio de olho fisgado numa orangotango fêmea mais roliça e felpuda- “vamos pegar nas “macacas”, abrir um bordel e violá-las como se não houvesse amanhã até que caiam para o lado mortas de exaustão”. E assim foi. As fêmeas são capturadas, presas em casas preparadas para o efeito e abusadas sexualmente por tudo o que é taradinho da região. Uma lástima.

Escrava sexual, uma orangotango fêmea chamada “Pony” foi salva pela Associação Protetora dos Orangotangos, na vila de Borneo Apes na Indonésia. Pony foi encontrada com o pelo raspado e cheia de picadas de mosquito, numa casa de saliência. Maltratada, ela estava presa por uma corrente de aço a uma parede e deitada num colchão todo manchado. Segundo o “Jornal de Notícias”, Pony era a preferida dos homens que frequentavam o local, em busca de sexo.

Há um ano, a associação tentava resgatar a fêmea. Considerada a “galinha dos ovos de ouro”, ela tinha segurança forte. Sempre que alguém tentava salvá-la, sofria ameaças com armas.

A associação conseguiu arrecadar dinheiro suficiente para pedir ajuda a 35 policiais e contratar homens armados com fuzil Ak 47, para, enfim, convencerem a “dona” de Pony e os homens da vila a deixarem a orangotango ir embora.

news-11-2

Um documentário sobre isso foi feito em 2006, e você pode assisti-lo abaixo:

Enviado pelo leitor/amigo Kleber

Written by Danibrowser

Fundador do IÉB, o administra desde 2007, e não viu nem 1% da bizarrice do mundo.

Comentários