,

Relatos Bizarros #25 e + novidades para o site!

Olá pessoas mais que bizarras deste universo acromegalítico megaloencefalante! Chegamos à vigésima quinta 25ª edição dos nossos queridos Relatos Bizarros, e não só isso! Anunciaremos uma pequena novidade para o site, por enquanto.

Não é algo grande – não por enquanto. Nos próximos meses teremos algumas mudanças. Algumas drásticas, outras nem tanto. O que de antemão posso informá-los é a nossa nova seção: “Perguntas Bizarras”. Não foi decidido ainda a sua frequência, se será semanal, quinzenal ou mensal. Buscaremos responder todos os tipos de perguntas dos leitores EM VÍDEO. Se a nova seção estiver fluindo bem, não haverá motivos para parar, não é mesmo?

Caso queiram, já podem começar a preencher com suas perguntas o formulário abaixo do Perguntas Bizarras.

 

Diante desse cenário de inerentes mudanças, marchemos em direção ao nosso tradicional post: O RELATOS BIZARROS!

Não sabe como enviar o seu relato? Simples, meu chapa!

Há três meios

O primeiro: basta clicar aqui e você será direcionado à nossa página de relatos.

O segundo: envie-nos um e-mail ->[email protected]

O terceiro: basta começar a ler os relatos que, ao final, haverá um formulário idêntico ao da nossa página de relatos para preencher com sua história surpreendente.

A título de esclarecimento: se o seu relato não apareceu aqui, não fique chateado. Nas próximas semanas ele com certeza aparecerá. Eu posto os relatos por ordem de chegada. Basta só aguardar. Semana que vem tem mais, não se preocupem! :)
Seus relatos com certeza aparecerão só basta esperar!

Bora TIMEEEEE!!

 

#01

Nome: Vitória

Cá estou eu mandando mais um relato, espero que dessa vez vá! Obrigado por responder meu comentário Draftl!

Essa é uma das coisas mais sinistras que aconteceram comigo, eu não era fã de terror igual hoje, eu era MUITO cagona, talvez por causa da minha mãe porque ela também era assim. Enfim to enrolando muito mas quero deixar tudo bem detalhado.Na época eu tinha uns 10 anos (hoje tenho 15), eu estava na 4º série, bem destraida na sala de aula, não tinha esse de celular pra passar o tempo, não pra mim né. Sabe aquela hora que você está com tanto tédio que topa fazer qualquer coisa pra se divertir? Então eu resolvi fazer a brincadeira do compasso, já que não tinha nada pra fazer. Beleza, chamei uns amigos, roubei um compasso EUHEUHEH Fui lá eu fazer, um amigo meu não queria me deixar fazer porque era cagão assim como eu, eu não fiz, chamei um garoto aleatório. Esse garoto era um saco, é aquele menino que zoa qualquer um a qualquer hora sabe? Então, adorei ele ter ido fazer porque eu não suportava ele. Hahaha!  A gente começou a brincadeira, eu tava muito zoera UEHUEH tava rindo de tudo, a gente fez tudo certinho e não deu nada, mas ai o menino não tava conseguindo parar, ia dar hora do intervalo então a gente tinha que parar, mas ele parecia tão concentrado naquilo, como se fosse a vida dele sabe? Então todos sairam da sala e ele ficou lá, a gente cutucava, chamava, e ele parecia estar em outro mundo. A gente saiu da sala, e de repente ele levantou, ele saiu correndo atrás da gente, gritando muito e a gente corria dele também, descemos a escada sem olhar pra trás, mas ai do nada o garoto caiu da escada, sei lá foi de repente, ele caiu e meio que ”voltou” ao normal sabe? Ele saiu chorando e falando sozinho. A gente ficou em choque, até hoje eu não entendi o que aconteceu naquele dia, eu acho que nunca vou esquecer. O capiroto encarnou no menino. EUHEUHEUH Beijão até a próxima!
#02
Nome: Pamela

Oi pessoal, minha primeira vez escrevendo para o IÉB. O relato ficou grande mas o estou escrevendo para pedir ajuda, esclarecer certas coisas que estão borbulhando em minha cabeça durante os últimos 7 anos.

O ano era 2006 eu estudava no SESI aqui em Jundiaí minha cidade natal. O dia era 06 de junho de 2006 (ooooh) rs. Era lançamento do filme A Profecia eu estava LOUCA para assistir mas como esperado meus pais sempre religiosos ODEIAM que eu me envolva com esse tipo de coisa e não me deixaram ir. Eu devia tê-los ouvido…

Estávamos na escola em uma aula teórica de Educação Física, todos nós estávamos entediados, até que uma ideia nos surgiu, fazer a brincadeira do compasso. Nunca havia feito então bora né. Tentamos e tentamos e nada, até que eu peguei no compasso, o desgraçado começou a virar, não demos muita bola éramos crianças mas continuamos. Pedimos um nome “Hinólio” foi o que nos apareceu, não sei o significado e nunca ouvi ninguém com esse nome antes, se é que é um nome.

No dia seguinte na escola eu estava super inquieta, nervosa, chorando baixinho, até que subitamente me deu um ataque de pânico, comecei a gritar. Meu professor de geografia me puxa pela mão me levando até outra sala para conversar, ele é evangélico me falou sobre religião, Deus e demônios e que não devemos mexer com tais coisas, e que isso poderia trazer consequências graves não só a mim mas também a quem eu amo. Depois disso nunca mais tive paz na vida, tudo virou de CABEÇA PARA BAIXO.

Passado um tempo minha cachorrinha faleceu nós nunca descobrimos o pq mais a vet falou que dentro dela estava tudo “estourado”, de fato um dia ela havia vomitado cacos de vidro.

Em junho de 2007 nasce minha segunda irmã, não foi nada planejado, mas nós estávamos adorando, era a anjinha de todos, era minha anjinha. Apeguei-me a ela como se fosse minha própria filha. Ela ia crescendo rápido mexendo em tudo.

No dia 21 de novembro de 2008 era o dia em que tudo ia mudar, ágil do jeito que ela era ocorreu um acidente em casa que a fez ir para o hospital, a negligência daquele hospital foi tão grande que 4 dias depois minha irmãzinha veio a falecer por parada cardiorrespiratória. Meu mundo caiu. Eu estava com 14 anos e tive que ser mãe da minha mãe e da minha irmã, meu pai estava tão atordoado que estava focado em reformar nossa casa inteira para não nos lembrarmos de nada de ruim que havia acontecido lá.

Em janeiro de 2008 fui a um cerco de Jericó no dia de cura e libertação. Cheguei lá e não me lembro de nada a não ser de acordar em uma sala com várias pessoas em minha volta tirando minha pressão me borrifando água no rosto. Uma mulher que estava cuidando de mim pediu para ficarmos a sós e me perguntou o que eu havia feito por eu estava carregada de coisas ruins. Ela me disse que eu apaguei e cai, comecei a me debater no chão e tive uma convulsão. Ela me explicou que eu precisava de cura, pois eu havia trazido algo ruim para mim e minha família e o pior foram eles que levaram minha cachorrinha e depois minha irmã.

Ainda hoje sinto, ouço e vejo coisas. Eu durmo com protetor auricular, pois durante anos não consegui dormir, a noite ouvia sussurros e gritos em meu quarto.

Preciso de ajuda para entender o que pode ter acontecido, procurei em diversas religiões de um esclarecimento, mas ainda não o consegui. Em uma delas me disseram que sou um portal (ãhm??)

Beijos e abraços a todos que leram até o final!

– Ao mexer com coisas sobrenaturais, deve-se ter, no mínimo, a máxima precaução. O jogo do compasso funciona como um portal, mas não um portal em si, funciona como um imã porque atrai todos os tipos de seres, bons ou ruins e existem pessoas que funcionam como receptáculo para essas entidades. A forma como elas manipulam as pessoas é bem peculiar mas não é o que pretendemos analisar. Os fatos ruins aconteceram com tanta potência, que desconfio que foi o trabalho de magos negros. Geralmente, quando se possui animais em casa, tudo de ruim recai sobre eles. Eu infelizmente não tenho como ajudá-la pois quando se trata de defesa, eu possuo algumas experiências mas não sei ainda como posso ajudar às pessoas. Entretanto, o que eu lhe aconselharia é inicialmente procurar um centro espírita Kardecista. Entretanto, o que eu lhe recomendaria mesmo é estudar sobre como defender-se espiritualmente. Você é um receptáculo frágil que serve para outros espíritos se apossarem de seu corpo, precisa de defesas espirituais. Um bom conselho é a meditação. Se tiver algo mais que eu possa fazer, estarei listo.

 

#03

Nome: Tenebris

Olá equipe do IEB :)
Já escrevi 2 relatos para o site, mas nenhum dos dois foi aprovado. Escreverei um terceiro, espero que leiam e que aceitem dessa vez.
Em um relato que escrevi anteriormente, eu contei que um dia, há uns 2 meses aproximadamente, acordei no meio da noite com uma mão meio que acariciando minhas costelas (vale notar que eu estava virada para o lado contrario do lado que a mão me tocou). Me virei, surpresa, e vi atrás da porta uma mulher em pé, com a região toráxica descarnada, e suas costelas à mostra. Eu fiquei só encarando, então abri a porta do quarto e ela sumiu.
Depois de uns dias, já meio que esquecido isso, eu tive um sonho. Sonhei que me olhei no espelho, e atrás de mim apareceu uma mulher com cabelos pretos longos. Contei pra minha mãe ( no sonho ) e disse exatamente “ela tá aqui, o nome dela é Priscila.”
Acordei, relatei o sonho pra minha mãe como algo normal, e então esqueci isso.
Mas hoje, acordei de manha com minha mãe assustada. Ela disse que meu irmão, de 9 anos, acordou e viu uma mulher de cabelos pretos longos sentada na cadeira de nosso quarto. Minha mãe disse também que quando ele a chamou, ela entrou no quarto e sentiu um arrepio terrível, na hora que saiu também. Não consegui deixar de lembrar do meu sonho, não tenho medo de espíritos, mas essa situação foi muito curiosa e eu fiquei, de certo modo, impressionada. Não sei se vale contar, mas vou dizer assim mesmo, que outro dia eu achei uma substância branca muito semelhante à ectoplasma em cima do meu violão no quarto. Na hora que vi, não associei ao ectoplasma, limpei simplesmente mas me perguntei da onde tinha vindo aquilo. Agora eu vejo que poderia ter sido mesmo.
Por favor, o relato é real, eu juro. Eu juro mesmo.
Aceitem, por favor.
Até outra hora. :)

– Olá, Tenebris! O seus relatos chegaram só que, pela fila de chegada, ainda não apareceu.  Enfim, geralmente quando há o arrepio causado por essas situações, o ar parece que fica mais denso. O ectoplasma não tem cor mas ele também não é invisível, ele pode sim ter assumido uma tonalidade branca devido a algum motivo. Geralmente as mulheres possuem mais ectoplasma do que os homens pois são têm a capacidade de gerar a vida em seu ventre e, com isso, fazer o elo de ligação entre a alma e o corpo físico do receptáculo, que é o bebê, ainda em seu corpo.

 

#04

Nome: Ana

Essa historia que vou contar marcou muito a infância minha e dos meu irmão.

Quando eu tinha 6 anos morávamos no interior onde não tinha nem água encanada, na verdade não morávamos nos escondiámos. Era dia dos pais minha irmã mais velha e eu saímos logo após o almoço pois tinhámos que ensaiar uma apresentação na igreja que ficava a uns 3 km da chácara onde morávamos.Passado algumas horas eu estávamos na igreja meu pai encostou o carro desesperado e pediu para que nós fossemos com ele. Minha mãe estava deitada no banco de traz do carro desacordada e no banco do carona estava meu irmão que era bebê tinha 6 meses. Nos 2 ficamos assutadas ele pediu para que sentássemos no banco da frente e pegasse o nosso irmão no colo. Ele nos contou que havia levado nossa mãe que é católica a um cemitério, pois ela queria queimar uma vela para  o pai dela que  é falecido. Assim que ela acendeu a vela na tal conhecida cruz grande ela saiu andando entre os túmulos. Papai continuou a rezar seu pai-nosso assim que acabou levou os olhos a procurar pela nossa mãe que estava rolando em cima dos túmulos.Ele então ficou assutado e não entendia o porque dessa atitude, conta ele que tentou levantar ela e ela quis agredi-lo, e ela arrancava e o comia os próprios cabelos  do nada ela caiu desmaiada. Ele estava segurando o bebê ( meu irmão que hoje tem 18 anos) levou ate o carro( corsel vermelho na época carrão) aproveitou e carregou minha mãe nos buscou e fomos em direção a cidade que ficava a 20 km da nossa chácara.No caminho lembro-me que ela acordou e falava com uma voz forte e a face dela estava assustadora, papai dizia para nos não  olharmos.Ela pediu o bebê e conheça a bater no nossos banco e arrancar seus próprios cabelos. A viagem até a casa da nossa vô foi bem assustadora, chegando lá eles trancaram ela no quarto e chamaram um médico para dar um calmante pra ela mas lembro de ouvir os gritos dela e minha avô dizendo que era pra chamar o padre e as freiras. lembro de barulhos horripilantes vindo daquele quarto algo que nunca esqueço. Meu pai nos levou dali. E só no outro dia nos buscou para voltarmos pra casa e  nossa mãe estava normal. Eu escutei ele comentando com pessoas que vinham perguntar o que havia acontecido que naquele dia no cemitério ela viu um bicho rabudo da cor preta em cima da cruz e que ele havia pulado nela.Então meu pai contou também que o padre não resolveu apenas uma curandeira chamada ” Nordestina” que conseguiu fazer ela voltar ao normal que era um espirito ruim que havia entrado no corpo dela.

– Isso acontece. Algumas vezes minha mãe via os espíritos se alimentando nas encruzilhadas devido aos despachos realizados pelas pessoas.

 

#05

Nome: Karla

Então tenho 13 anos moro em Palmital PR, eu não sei mas gosto muito dessas coisas macabre,rituais desde quando eu me entendo por gente…, então sou fanática por isso, quando eu era menor eu se interessei pelo tal jogo do copo(era modinha) que meche com espíritos na quela época acho que eu tinha uns 08 pra 09 anos, eu e minha amigas inventamos de jogar o tal jogo do copo, eu já tinha feito uma vez só q não tinha dado em nada.Então era de tardinha quando fizemos estávamos em em 4 se eu não me enganar, montamos tudo certinho e começamos o ritual, mas na praticamente fui eu que fiz sozinha por que todos estavam com medo… Comecei a fazer perguntas, e perguntei se iria acontecer algo com alguém  na quela tarde, sério tipo o copo apontou pela letra J que era de uma outra amiga minha que eu estava brigada ai eu perguntei “A juliana?” o copo apontou que sim fiquei assustada mas não levei a sério … As minha amigas bom duas delas estavam rezando dizem que na hora do ritual não pode rezar,logo depois encerramos o ritual na boa EU encerrei né como sempre, passou um tempo começamos a discutir que o copo tinha de mexido ! ai minha que estava rezando se afastou um pouco foi na área de churrasqueira fico lá ,eu estava sentada em uma escada, ai ela tava falando que ficou com medo e tal quando passou um vulto perto e tipo que deu um tapa na orelha dela eu vi sério não só eu mas todos que estava na escada !! eu não acredito, mas sumiu na minha frente aquela coisa preta, eu vi com meus próprios olhos ai depois de um tempo a orelha dela começou a ficar vermelha não sei que diabos tinha acontecido. Beleza depois daquilo fui pra casa com algo confuso porra um vulto passou na orelha dela e deu um tapa…, no dia seguinte fui pra escola de boa e lá comecei a comentar com meus colegas do jogo que a gente tinha feito. A menina que eu tava brava veio falar comigo pediu desculpas ai eu perdoei ela por que a gente tinha brigado por coisa boba, toquei no assunto ai ela falou que no dia a tarde tinha saído sangue do nariz dela, tipo naquela tarde eu tinha feito o ritual pra acontecer algo com ela. Eu fico pensando até hoje por que será aconteceu isso ?! será que meus olhos estavam certos?! eu confesso que eu tento fazer esse ritual até hoje pra ver se acontece novamente. Esse é uma das minhas historia :D

– Não use forças que você não pode controlar. Lembre-se, o que você faz aos outros, independente do tempo, torna-se contra você. Quanto a orelha, o que houve foi que o espírito deu um tapa, ué… num foi isso o que aconteceu, então? Vocês podem ter dado a sorte de ter sido um espírito zombeteiro, se fosse um raivoso, não preciso nem dizer o que iria acontecer. Não se vanglorie por fazer o mal, você vai entender isso quando ficar mais velha. Estude e faça o bem porque coisas maravilhosas vão lhe acontecer. 

 

#06

Nome: Yago

Olá, eu vi contar o que aconteceu comigo no dia 28/05/2013 (Terça).

eu não acredito muito sobre o sobrenatural, eu sempre falo: “Só acredito vendo”, e praticamente, foi isso que aconteceu!

 

Bom, antes do ocorrido, uns 3 dias antes eu vinha sonhando com coisas estranhas, precisamente sobre morte.

No dia do ocorrido, eu estava dormindo e sonhando com algo estranho demais. Eu estava numa festa grande de família (que acontece todos os anos, e tinha acontecido no domingo) e minha tia estava com um vestido longo, branco e um pano branco nos ombros. Ela começou a girar e falar: “Eu vou ver quem tem fantasmas nessa família” e assim, ela foi passando por todos! Mas quando ela chegou em mim, eu simplesmente senti algo levantar minha perna esquerda e fez dobrar minhas costas. Mas o pior que não ocorreu isso apenas no sonho, mas na realidade também!

Nessa hora eu percebi que estava dormindo e não conseguia acordar, mas quando acordei, minha perna estava levantada! Como alguém estivesse levantado ela.

Acabei me levantando da cama e fazer minhas tarefas em casa.

Durante todo o dia eu fiquei pensando sobre isso e também vi muitos vultos. Senti que alguém me observava o dia inteiro também!

O melhor de tudo, eu não senti medo, apenas curioso se foi tudo real ou algo psicológico!

 

Bom, é isso! Minha possível experiência sobrenatural! :)

Abraços.

 

#07

Nome: Paloma

Boa Noite, bizarrentos

Meu relato é sobre uns acontecimentos que foram de um período de 3 dias direto.

– Primeiro eu nunca acreditei nessas coisas de fantasmas, entidades, etc…Já o meu namorado ele acredita bem nessas coisas entende até já se envolveu com bruxarias…

– Bom, em uma noite qualquer, fomos dormir, no meio da noite láhh pela madrugas, eu acordei num susto pois, alguém puxou meu pé, mas daqueles puxões fortes, pensei…nossa!! aconteceu alguma coisa…

Levantei, mas não tinha ninguém, só meu namorado “roncando” naquele sono pesado…

Bom deitei pensativa no que tinha acontecido e consegui dormir com a conclusão que foi um daqueles sonhos (aqueles que pensamos que caímos e acordamos sabe??). Comentei isso para o meu dito cujo ele falou que foi só um sonho e rimos da situação.

– Outro acontecimento foi quando, estávamos se preparando para sair, quando juntos estávamos no espelho se ajeitando, nisso os dois juntos olhamos para o reflexo do fogão e por incrível que pareça a tampa da panela estava uns 10 centímetros acima da panela e quando nos viramos para tal confirmação ela desceu… “isso me arrepia ate hoje”. Aquele dia ficamos em silencio não queríamos comentar, até por que um dia ele me ensinou que quanto mais você comenta mais você sente ou algo assim…

– O ultimo foi o mais assustador, logo depois de deitar um pouco antes de cair no sono estávamos conversando, ao fim da conversa decidimos ir dormir, me abracei nele, mas logo me virei pro lado e ficamos de costas um para o outro, e foi quando sentimos alguém deitando no nosso meio, sim foi ASSUSTADOR, eu congelei sim eu congelei e gritei AMORRRR ele de súbito virou para mim me abraçou e disse só dorme…

 

Eu fechei os olhos, senti o calor dos braços dele, mais eu chorava, chorava mais ainda por saber que não era só eu que sentia ou que viu a panela, era alguma coisa nos incomodando, ou estar me testando?? eu sei que eu e ele no outro dia oramos, mas não pra nenhum santo ou algo do tipo ate porque  eu não sou devota nem sigo grandes santidades, só sei que pedimos para que tudo aquilo acabasse.

– Quando você tem esse sentimento de cair, é porque o espírito está voltando rápido para o corpo. O engraçado é que eu me vi retornando outro dia e acordei dessa maneira, achando que estava caindo. Eu até fiquei rindo depois, hahaha! Aqui em casa, quando eu era recém-nascido, quando minha mãe fritava bifes e outras carnes eles flutuavam da panela. Veio uma benzedeira, uma rezadeira, sei lá o que era, aqui em casa, e os problemas não mais ocorreram. Existe uma explicação bem lógica pra essa “atração” de pensamento. E a pergunta que fica: e essas coisas bizarras, acabaram?

 

#08

Nome: Arthemio

olá estou aqui falando sobre meu relato… vamos lá!!  Eu tenho 11 anos mais não sou de falar mentiras ok!!    Eu quando tinha 8 anos fui pro sitio da minha tia la tinha uma mata aberta, ai todos nos (Eu , 2 primos , 2 tios e 1 tia ) estavamos caminhando  e ao mesmo tempo amarrando cordas pra saber o caminho de volta , enquanto a caminhada nos vimos muitas diversas coisas bizarras como Vestidos pendurados em arvores altas cabelos pelo chão ossos diversos ossos eu perguntava oque era eles falavam que era um antigo cemitério !!  voltando a trilha de cordas nos ficamos muito  assustados até de mais eram 3 cordas juntas que nos colocamos para ficar bem melhor de ver as 3 cordas estavam juntas trançadas emaranhadas CHEIAS DE NÓ !! DEPOIS DE TUDO NOS VOLTAMOS PARA MINHA CASA QUE SÃO 2 ANDARES !! EU IA TOMAR BANHO PENSANDO NAS COISAS QUE EU VI”” MESMO ASSIM EU FIQUEI TRANQUILO!! FOI QUANDO EU ESCUTEI BATIDAS NO ANDAR DE CIMA EU PENSEI QUE FOSSE MEU IRMÃO (ELE SIM E DE PREGAR PEÇAS COMIGO)  EU FUI VER NÃO TINHA NADA MANO ACREDITA?? NÃO…. POIS ACREDITE MEU IRMÃO ESTAVA DORMINDO MINHA MÃE E MEU PAI ESTAVAM NA CAMA AI EU  FALEI MEU DEUS OQUE SERÁ QUE FOI??? ME PERGUNTAVA SEMPRE!! EU MESMO ASSIM COLOQUEI O MEU PIJAMA E FUI DORMIR ! NESSA HORA ESCUTEI OS TAIS BARULHOS NO ANDAR DE CIMA ! EU QUIS ACREDITAR QUE ERA MEU IRMÃO ! QUANDO DE REPENTE UMA COISA BRANCA QUE ACHO QUE ERA UMA ALMA MALIGNA APARECEU NO CORREDOR QUE VAI DIRETO PRO MEU QUARTO E A COZINHA VESTINDO O VESTIDO VERMELHO QUE EU VI PENDURADO NO ALTO DE UMA ARVORE !! JOGUEI 2 TRAVESSEIROS MAIS DE LÁ N SAIA DAI EU SAI CORRENDO PARA A ESCADA PARA IR PRO QUARTO DOS MEUS PAIS !! AI EU CONTEI TUDO!! NO DIA SEGUINTE EU ACORDEI MUITO BEM FIS UMA REZA ORAÇÃO MUITO BOA COM MEUS PAIS !! DAI NA OUTRA NOITE NÃO VI MAIS NADA BIZARRO OK ESSE E O MEU RELATO BIZARRO !!  Aviso:  se tiver algo ou auguem te assustando faça uma oração ao nosso senhor que tudo passara !! ok e e isso

– Todos, eu disse, TODOS, os tipos de rezas são feitiçarias. Existem as feitiçarias boas e as feitiçarias más. Independente do que a igreja fala, a oração é uma feitiçaria sim, as palavras possuem poder que atuam em diversas frequências e vibrações.

 

#09

Nome: Daniel

Olá pessoal bizarro.

 

Meu nome é Daniel e moro no interior de SP, não sou muito bom em relatos mas vou tentar ao máximo detalhar o que aconteceu comigo, tenho vários relatos interessantes a contar. Por hora vou contar um que mais me intriga até hoje.

Na época eu tinha 8 anos e meu primo 3 anos mais novo que eu era meu vizinho o meu primo era muito levado e sempre estava em casa para brincarmos mas eu não gostava que ele ficasse brincando com meus brinquedos pois ele quase sempre acabava estragando e ele sempre cantava uma música da XuXa que até hoje tenho a porra da música em minha cabeça.

Um belo dia minha mãe me deixou na casa do meu primo e não me lembro onde ela tinha ido, mas logo quando cheguei meu primo me perguntou se ele podia brincar com o caça e o jipe dos comandos em ação(Tenho até hoje os dois eram meu xodó)normalmente eu falaria nem fodendo mas neste dia eu simplesmente o peguei pelo braço o levei até minha casa é o deixei brincando pela manhã inteira.

Na época meu tio administrava o bar do clube de campo de uma multinacional aqui da cidade e como era periodo de férias iamos sempre lá passar a tarde e neste dia me lembro de cada detalhe do que aconteceu quando entramos no carro a farra que estávamos fazendo e chegando lá ele me pediu para fazer uma máscara ninja com a camiseta dela, Depois disso fomos até a quadra que tinha por lá, estava eu, meu primo, uma sobrinha dele (sim, apesar de ter 5 anos ele já era tio hahahaha)é uma irmã dele, estávamos brincando de Karaoke e ele estava embaixo da trave quando derrepente eu começo a subir na tabela de basquete e pulo na trave de futebol neste momento em minha mente tudo ficou escuro e só me lembro do grito das pessoas e minha visão volta mas tudo continua em preto e branco vejo uma poça de sangue e ele já não está mais lá ai outro momento de branco e quando volto a mim já estou no carro de volta para casa e chorando que podiam me prender que tinha matado meu primo.

Um mês após o ocorrido estou em casa deitado no sofá assistindo TV minha mãe está na cozinha preparando o almoço, da cozinha para sala tem um corredor quando derrepente sinto um arrepio que correu do dedo do pé até o ultimo fio de cabelo e vejo meu primo correndo pelo corredor me chamando para brincar (igual ele fazia quando era vivo) entrei em desespero e chamei minha mãe e ela tentando me acalmar pedi para ligar para meu pai e pedi para que ele voltasse do trabalho e ele voltou e contei tudo a ele, meus pais são muitos esclarecidos em relação a tudo isso e isso me ajudou a entender as coisas, meu pai acendeu uma vela e deixamos uns doces, me levaram a uma bezendeira mas não me lembro do que ela me disse e assim que voltamos para casa os doces não estavam mais lá.

Este acontecimento em particular ainda me tira algumas horas de culpa e olha que isso aconteceu em 1988 e acho que vou levar para o resto da minha vida é o mais importante é que ninguém me julgou por isso e ainda somos grandes parentes e vizinhos.

Para fechar esta historia um outro fato que acredito que Deus é justo (quero deixar claro que não tenho religião, mas acredito em um ser maior)Anos depois uma vizinha é presa por trafico de drogas e ela estava grávida e minha tia faz parte da pastoral em minha cidade e fica com a criança é a criança se assemelha muito ao meu primo que faleceu Loiro do olho claro, depois de muita briga judicial ela conseguiu a guarda definitiva da criança é eu sou muito apegado a ele e todos adoram ele ele já grande é muito feliz hoje.Louca a historia ,não?coincidência?Destino…não sei

Tenha mais Historias, mas fica para a proxima…Grande abraço a todos

Vixi! Espero que esteja tudo bem hoje em dia.

 

#10

Nome: Mirella

Bom, meus relatos são muitos. Pra começar, sou bruxa nata, nada que eu tenha escolhido.

Desde criança eu sempre tive umas visões, eu dizia pra minha mãe que tinha um “menininho” lá em casa. A casa era enorme e eramos apenas 3 (pai, mãe, eu) o que acarretou à venda logo mais. rs

Quando fiz uns 13 anos começou a porra toda. Eu vivia enfurnada

Um dia ao ouvir um DVD do Slipknot (emprestado, que eu nem gostei), enquanto tocava a “heretic anthem” comecei a rir do nada, deitei na cama rindo e do nada levantei de novo, como se tivesse voltado ao meu corpo, já sem rir. Achei estranhíssimo na hora.

Quando fui ao psicólogo, ele me fez voltar nessa cena e vi um vulto preto passando no quarto.

Outra cena foi um dia à noite. Eu morava numa casa grande com minha família. Um dia resolvi dormir sozinha no quarto dos meus irmãos enquanto eles dormiam no quarto ao lado com minha mãe e, ainda em um outro quarto, estava minha avó. O sono deles é super leve.

Fechei a porta enquanto todos deixaram as dos seus quartos aberta e tenho certeza de que não havia nenhuma janela aberta que pudesse fazer vento dentro de casa, pois estava frio.

A porta de madrugada se abriu e eu esperei um pouco… chamei minha mãe gritando várias vezes e NINGUÉM ouviu.

Ainda tenho muitos sonhos premonitórios e os famosos déjà vus, além de sensações de enjoo ou vontade de chorar quando está pra acontecer algo de ruim comigo ou alguém muito próximo.

– Espero que, caso algum dia estejamos perto um do outro, você ria – e muito. Assim eu vou saber que tem alguma coisa boa me esperando. rs

 

Agora, caso queiram, preencham o formulário com o seu relato bizarro.

Written by DraftL

O que está em cima é igual ao que está embaixo e, o que está embaixo, é igual ao que está em cima, para realizar os milagres de uma coisa única.

Comentários