,

Doug Clark & Carol Bundy – Os Assassinos Da Sunset Strip

Fala pessoal, hoje trago mais um post da série Serial Killers!!! E hoje em dose dupla, pois trata-se de um casal. Então, apreciadores de histórias de serial killers, aqui vai mais uma. E eu sei que todos são doentios, mas não canso de dizer que são, e esse Doug é um sujeito doentio mesmo! Confira a história e saberá do que estou falando.

Douglas Daniel Clark (nascido em 10 março de 1948) é um serial killer americano. Clark e sua cúmplice Carol M. Bundy são conhecidos como os “Os Assassinos Da Sunset Strip”. Eles foram acusados e, posteriormente, condenados por uma série de assassinatos em Los Angeles.

Carol M. Bundy (26 de agosto de 1942 – 9 de dezembro de 2003) foi uma serial killer americana. Bundy e Doug Clark ficaram conhecidos como “Os Assassinos Da Sunset Strip”, depois de serem condenados por uma série de assassinatos em Los Angeles durante o final da primavera e no início do verão de 1980. As vítimas eram prostitutas jovens e fugitivas.

                                                                     História:

Douglas Clark:

Clark era o filho de um oficial da Inteligência Naval, Franklin Clark. A família se mudou muito durante a infância de Clark, devido ao trabalho de seu pai e, mais tarde, alegou ter vivido em trinta e sete países diferentes. Em 1958, seu pai deixou a Marinha para ser engenheiro civil em uma Companhia de Transporte do Texas. Eles viveram nas Ilhas Marshall por um tempo, voltaram para San Francisco, e em seguida se mudaram novamente para a Índia. Por um tempo, Clark foi mandado para uma escola internacional exclusiva, em Genebra, e mais tarde, fez curso de Academia Militar enquanto seu pai continuava se mudando ao redor do mundo. Quando se formou, em 1967, Clark se alistou na Força Aérea.

Sua vida começou a complicar a partir desse momento e ele foi dispensado da Força Aérea. E começou a trabalhar em outras coisas, muitas vezes trabalhando como mecânico. Mas seu foco era sua “vocação como um atleta sexual”, “o rei da noite solitária”, como ele gostava de chamar a si mesmo. Ele se mudou para Los Angeles e foi contratado como operador em uma fábrica de sabão em Burbank, mas foi demitido por faltar muito ao trabalho e por ameaçar seus colegas de trabalho. Um dos bares que frequentava na área era chamado de Little Nashville, onde conheceu Carol Bundy em 1980. Ele então foi morar com ela, e descobriu que ela tinha fantasias sexuais obscuras, assim como ele.

Carol Bundy:

Carol teve uma infância conturbada. Sua mãe morreu quando ela era jovem e seu pai abusou dela. Então, quando seu pai se casou de novo, ele a mandou para vários lares adotivos. Quando Carol tinha dezessete anos, ela se casou com um homem de 56 anos de idade. Quando ela conheceu Clark, ela tinha trinta e sete anos, e tinha acabado de se separar de seu terceiro casamento, com um homem agressivo e abusivo, com quem ela teve dois filhos. Ela teve um caso com seu patrão, um gerente de bloco de apartamentos, e também um cantor de música country, Jack Murray. Ela até tentou subornar a esposa de Murray para deixá-lo, mas ela não ficou satisfeita com isso e disse para Murray despejar Carol do bloco. Porém, isso não acabou com a paixão dela, e Carol continuou visitando o local onde Murray cantava. Um deles era o bar Little Nashville, onde Carol e Clark se conheceram, começaram a morar juntos e tinha fantasias sexuais semelhantes.

Assassinatos:

Clark começou a levar prostitutas para seu apartamento para terem relações sexuais a três junto com Carol. Uma vez, Clark se interessou por uma menina de onze anos de idade, que morava na vizinhança. Carol ajudou a atrair a garota, usando jogos sexuais e fazendo poses sensuais para fotos. A pedofilia não era o suficiente para eles. Clark então, disse o quanto ele gostaria de matar uma mulher durante o sexo, e convenceu Carol a comprar duas pistolas automáticas para eles usarem. Clark se esforçava para cumprir a sua fantasia de matar uma mulher durante o sexo, e sentir suas contrações vaginais durante os espasmos na hora da morte.

Cynthia Chandler, 16

Os assassinatos começaram em junho de 1980. Clark chegou em casa uma noite e disse para Carol que ele tinha pego duas adolescentes, Gina Narano e Cynthia Chandler, na Sunset Strip (trecho de Sunset Boulevard, Los Angeles), e depois as assassinaram. Ele as ordenou que lhe fizessem sexo oral e, em seguida, atirou na cabeça das duas, antes de levá-las para a garagem, e depois, estuprar seus cadáveres. Ele então jogou os corpos perto de uma auto-estrada, onde elas foram encontradas no dia seguinte. Carol ficou incomodada ao ouvir esta notícia e ligou para a polícia admitindo ter conhecimento dos assassinatos, mas se recusou a dar quaisquer pistas sobre a identidade de Clark. Clark disse para Carol que se qualquer um deles fossem presos, Clark assumiria a culpa, para que Carol ficasse livre.

 

 

 

Cabeça de Exxie Wilson

Doze dias após os assassinatos, Clark matou novamente, e desta vez, Carol não chamou a polícia. As vítimas eram duas prostitutas, Karen Jones e Exxie Wilson. Como antes, Clark as atraíu para dentro do carro, atiraram nelas e jogaram os corpos em uma planície. A diferença foi que desta vez ele levou um troféu: a cabeça de Exxie Wilson, de 20 anos. Ele pegou a cabeça e guardou dentro da geladeira. Dois dias depois, a dupla colocou a cabeça em uma caixa e jogou em um beco. Três dias depois, outro corpo foi encontrado em uma mata em San Fernando Valley. A vítima era uma fugitiva chamada Marnette Comer, que parecia ter sido morta há três semanas. Essa foi a primeira vítima identificada de Clark.

 

 

 

 

Jack Murray

Clark esperou um mês para atacar novamente. Enquanto isso, Carol ainda estava apaixonada por Jack Murray. Ela ia vê-lo cantar e depois tomavam umas bebidas e conversavam, depois, ela voltava a fazer coisas que ela e Clark estavam fazendo. Murray estava avisando e insinuando que ele poderia contar a polícia. Para evitar que isso acontecesse, em agosto de 1980, Carol atraiu Murray para sua van depois de terem visto um “show” de relações sexuais em um bar. Dentro da van, ela o matou e o decapitou. Ela deixou várias pistas para trás, como por exemplo, o fato de que os dois foram vistos juntos no bar e ela tinha deixado cápsulas da pistola na van. Carol não conseguiu segurar a pressão e, dois dias depois, ela confessou a seus colegas de trabalho que ela tinha matado Murray. Eles chamaram a polícia e ela deu uma confissão completa sobre seus crimes e os de Clark.

 

Prisão e Condenação:

Clark foi preso imediatamente e as armas foram encontradas escondidas em seu local de trabalho. Carol foi acusada de dois assassinatos: Murray, e uma vítima desconhecida, cujo assassinato ela confessou ter estado presente. Clark foi acusado de seis assassinatos. Em seu julgamento, ele agiu como sua própria defesa e tentou culpar Carol por tudo, alegando ser inocente. O júri não acreditou nele e ele foi condenado à morte em 1983. Ele ainda permanece no corredor da morte na Califórnia. Carol, por outro lado, fez um acordo e, em troca de seu testemunho, só recebeu uma sentença de prisão perpétua. Ironicamente, Carol morreu primeiro, em 09 de dezembro de 2003, na prisão, com sessenta e um anos de idade, por insuficiência cardíaca.

Foto de Clark tirada em 2007:

Corpos:

Jack Murray:

Van usada no crime:

Arma usada nos crimes (Raven .25 automática):

Exxie Wilson:

Outra vítima:


Bom pessoal, isso é tudo por hoje!
Breve mais posts sobre Serial Killers! Até o próximo post! Abrass!!
E fiquem com essa, Até!!!

Written by Cayky_SPN

Nascido e crescido no interior de Minas, interessado em: mulheres, filmes/clássicos, séries, esportes, livros/quadrinhos, amante do mundo rock/metal e seus derivados (hard, heavy, thrash, death, black e etc)

Comentários