,

Caso Yoki: Fotos de empresário Marcos Matsunaga morto por Elize

 

Um crime que aconteceu no dia 20 de maio, chocou a todos por sua crueldade. Tudo começou quando uma sacola foi encontrada em Cotia – São Paulo, com partes de um corpo, e logo outras foram encontradas nas proximidades, após uma investigação foi constatado que era o corpo do empresário Marcos Matsunaga, 42 anos, executivo da empresa Yoki.

Entenda o caso Yoki

Logo de início alguns fatos se tornaram estranhos, como o fato do corpo estar conservado e com um tiro nas costas, a forma de como estava, esquartejado e em sacolas espalhadas. Com a investigação a polícia logo chegou a primeira suspeita de ter executado friamente o empresário, e para a surpresa de todos, foi a própria mulher da vítima, Elize Matsunaga, 30 anos, ela própria confessou ter matado e esquartejado o marido.

Segunda Elize, os motivos para o crime foram ciúmes e brigas, o empresário vinha se relacionando com uma garota de programa desde do início do ano, chegou inclusive a dar um carro a ela. Na última briga do casal, Marcos chegou a chamar Elize de “fraca” e “prostituta”, isso segundo ela foi a gota d’água para realizar o crime.

Elize

Elize é ex-garota de programa, e deixou a profissão após conhecer Marcos, com quem estava casado a três anos. Chegou inclusive a se formar em direto. Em um site de acompanhantes, se descrevia como uma “loirinha muito carinhosa”.

Vídeo

Um vídeo do prédio onde o casal morava, divulgado pela Polícia Civil, mostra quando o empresário Marcos Matsunaga chega ao prédio, e pega o elevador para seu apartamento. Depois imagens mostram apenas Elize voltando com três malas grandes de viagem, e após algumas horas ela volta sem nenhuma das malas.

Crime

Depois ser descoberta como a autora do crime, Elize falou em detalhes para a Polícia como executou o marido Marcos.

No dia 19 de maio, após uma discussão do casal, Elize pegou a arma que havia ganhado de presente do marido, uma pistola 380 e fez um único disparo fatal. Guardou o corpo em um quarto por cerca de dez horas, como a rigidez cadavérica  já estava grande, Elize usou seus conhecimentos cirúrgicos e esquartejou o corpo, separando os membros inferiores, superiores e a cabeça. Depois colocou tudo em três malas de viagem, e foi desovar em Cotia – São Paulo.

Written by Danieu

Fundador do IÉB, o administra desde 2007, e não viu nem 1% da bizarrice do mundo.

Comentários