,

Doença misteriosa faz crescer unhas em vez de pelos nos poros de mulher americana

Shanyna Isom, 28 anos, da cidade de Memphis, nos Estados Unidos, deixou os médicos perplexos, com uma doença misteriosa. Em vez de pelos, ela tem unhas humanas crescendo dos poros. O problema da moça a impede de caminhar direito e de realizar as pequenas tarefas do cotidiano, informou o “Daily Mail”.

Em 2009, ela precisou tomar esteróides para controlar uma crise de asma. Algumas horas depois, ela estava com o corpo todo irritado, e erupções pretas cobriram as pernas da americana. Ela recebeu tratamento para diversas doenças, desde eczema, até infecção estafilocócica, mas não apresentou melhora.

 

Shanyna iniciou um tratamento em 2011, na cidade de Baltimore. Os médicos descobriram que as erupções na pele eram mesmo unhas humanas. A americana produz 12 vezes mais que o número normal de células epidérmicas em cada folículo. Isso sufoca a pele dela.

A doença de Shanyna ainda não foi diagnosticada, mas os médicos já conseguem controlar os sintomas.

Shanyna agora consegue caminhar com uma bengala e, às vezes, caminha sozinha. “Os médicos testaram doenças de A a Z e todos os resultados foram negativos. Até agora, sou a única no mundo com a minha doença”, disse ela.

Com a doença, Shanyna ficou cheia de dívidas, já que o seguro não cobre todo o tratamento, e paga apenas cinco das 17 medicações que ela utiliza. A conta chega a mais de R$ 500 mil, e ela conta com a ajuda da família, amigos e até desconhecidos, para seguir adiante com o tratamento.

Ela também criou a Fundação SAI para arrecadar dinheiro para seu tratamento, mas teme que não seja capaz de continuar. Shanyna espera que a fundação seja capaz de levantar dinheiro suficiente para cobrir as suas despesas médicas e ajudar outras pessoas na mesma situação.
Ela disse: “Se isso significa ajudar alguém, eu estou disposta a passar por isso”.

Dica do leitor Fabricio Luana | Fonte: Diário Insano

Written by Danieu

Fundador do IÉB, o administra desde 2007, e não viu nem 1% da bizarrice do mundo.

Comentários