, ,

Gloomy Sunday – A Canção dos Suicidas

Gloomy Sunday ou (Domingo Sombrio) é uma canção que foi escrita pelo pianista e também compositor húngaro Rezsõ Seress, em 1933.
Dizem as más línguas, que essa canção possui algum tipo de mensagem, subliminar ou não, que levam pessoas que a escutam ao suicídio. Tudo começou depois do suicídio de Seress, seguido de uma onda de suicídios por onde quer que a música passasse.

Ao chegar nos EUA em 1936, a “Hungarian suicide song” como era chamada , foi alvo de grande exploração publicitária e tornou-se assim um sucesso! A melodia é muito depressiva e desesperante. A letra nos passa uma leve sensação de angústia.

Na época, o jornal New York Times, publicou:

Budapeste, 13 de janeiro. Rezsoe Seres, cuja canção triste “sombrio domingo”, foi acusada de tocar fora de uma onda de suicídios durante 1919/1930, já terminou a sua própria vida como um suicídio, foi aprendido hoje.
Autoridades divulgado hoje que o Sr. Seres saltou de uma janela de seu pequeno apartamento aqui no domingo passado, pouco tempo depois do seu 69º aniversário.
A década dos anos trinta, foi marcada por uma grave depressão econômica e da turbulência política que estava a conduzir a II Guerra Mundial. A melancólica canção escrita por Mr. Seres, com palavras pelo seu amigo, Ladislas Javor, um poeta, declara no seu clímax, “Meu coração e tomei a decisão de acabar com tudo.” Foi culpa de um aumento acentuado nos suicídios, húngaro e funcionários que finalmente proibido. Na América, onde Paul Robeson introduziu uma versão em Inglês, na qual algumas estações de rádio e boates proibiam o seu desempenho.
Mr. Seres queixou-se de que o sucesso de “sombrio domingo” na verdade aumentou a sua infelicidade, pois sabia que ele jamais seria capaz de escrever um segundo hit.

– New York Times, 1968

Abaixo, um vídeo no YT com a suposta música em sua versão original. Será que ainda hoje faz efeito?

Esse post foi uma dica da leitora Bá_shamble. A fonte foi o nosso parceiro MedoB ;]

Written by Danieu

Fundador do IÉB, o administra desde 2007, e não viu nem 1% da bizarrice do mundo.

Comentários