,

A Observação Quântica

Saudações leitor. Hoje vos trago algo um tanto intrigante perante cientistas de todo o mundo. A Física Quântica surgiu como a tentativa de explicar a natureza naquilo que ela tem de menor: os constituintes básicos da matéria e tudo que possa ter um tamanho igual ou menor. Em outras palavras, pense o seguinte: tudo o que é maior do que um átomo está sujeito a leis da física que chamamos de “física clássica”. Por exemplo, elas sofrem a atração da gravidade, as leis da inércia, ação e reação, e por aí vai. Mas quando analisamos tamanhos menores que um átomo, tudo muda e as regras da física clássica já não valem mais. Foi preciso então admitir que era necessário outras leis para lidar com essa realidade, e também uma física totalmente nova, que ficou conhecida como Física Quântica.

8636355_orig

Sem muitas delongas, uma de suas maiores curiosidades é a de que o comportamento no mundo subatômico se altera de acordo como o observamos. Ou seja, um elétron, por exemplo, pode mudar seu comportamento simplesmente pelo fato de estarmos o observando (medindo)!

8636355_orig

EXPERIMENTO DA FENDA DUPLA

Segue um vídeo bastante didático que pode esclarecer um pouco mais a respeito desse fenômeno

 

GATO DE SCHRÖDINGER

204Schrodinger
Erwin Schrödinger

Schrodingers_cat.svg

Esse efeito bizarro também foi proposto por Erwin Schrödinger, em 1935. Trata-se de uma experiência imaginária, na qual um gato, no papel de cobaia, está vivo e morto ao mesmo tempo! Sua intenção era mostrar como o comportamento das partículas subatômicas parece ilógico se aplicado numa situação fácil de ser visualizada, como um gato preso numa caixa fechada. Na situação proposta por ele, a vida do animal ficaria à mercê de partículas radioativas. Se elas circulassem pela caixa, o gato morreria; caso contrário, ele permaneceria vivo.

A história fica maluca mesmo quando analisada de acordo com as leis do mundo subatômico, segundo as quais ambas as possibilidades podem acontecer ao mesmo tempo – deixando o animal simultaneamente vivo e morto. Mas e se um cientista olhasse para dentro da caixa? Ele não veria nada de mais, apenas um gato – vivo ou morto. Isso porque, segundo a física quântica, se houvesse o mínimo de interferência, como uma fonte de luz utilizada para observar o fenômeno, as realidades paralelas do mundo subatômico entrariam em colapso e só veríamos uma delas. Por isso, nem adianta tentar realizar a experiência na prática. Abaixo segue um vídeo que descreve o hipotético experimento. Coloque em tela cheia para ver toda a legenda.

Sempre somos os observadores, mas as vezes nos identificamos tanto com os eventos que até perdemos o aspecto de observador. É por isso que o material fica completamente perdido, e podemos fazer as coisas sem o observador. Os dados da física mostram que o objeto propriamente dito é na verdade uma simplificação do que chamamos de “lá fora”. Quando olhamos para partículas atômicas e subatômicas ou matéria atômica e subatômica de qualquer forma, o que descobrimos é que o jeito que olhamos pra pra isso realmente muda as propriedades do que observamos lá fora.

Não é sabido na mecânica quântica como nos comportar como observadores do mundo, não sabemos como nos tratar como observadores, como outra parte do sistema físico que estamos descrevendo. O único jeito que se sabe fazer mecânica quântica é com a fórmula tradicional de manter o observador fora do sistema que ele está descrevendo. Quando você o coloca lá, aparecem todos esses paradoxos, e se torna forçado dizer na mecânica quântica coisas como; “o livro está fazendo isso por causa da mecânica quântica, e eu vejo isso porque estou lá e vejo, e é melhor não tentar analisar a segunda parte da frase para aplicar a mecânica quântica nela porque não vai dar certo”.

É por isso que existem duas leis diferentes da evolução dos sistema físicos; uma que se aplica quando não se está olhando para ele; e a outra quando se olha. Não vamos colocar numa fórmula matemática o ato de um observador consciente chegar numa resposta. As pessoas dizem: “A câmera grava e pronto”, está filmado, foi gravado. Porém você esqueceu de uma parte da equação; alguém tem que olhar a fita. E até alguém olhar a fita, nada foi gravado!.

Você muda o comportamento de uma fenômeno quântico só pelo simples fato de observá-lo. A chave para entender esse efeito é lembrar que a cada observação ou medição ocorre um colapso da onda quântica. Os sistemas em questão envolvem uma lenta transição de um estado para outro. Ao observar constantemente um tal sistema, provocam-se colapsos constantes para o estado inicial, e ele nunca completa a transição para o outro estado.

 

Espero que tenham gostado. Até a próxima

Facebook: Mach IeB

 

Written by Mach

Eu faço bolos tbm, encomendas pelo email [email protected]

Comentários