, ,

Relatos Bizarros #02 (ATUALIZADO)

Olá queridos leitores bizarros! Um bom dia, boa tarde e uma boa noite à todos vocês que me amam e que me odeiam mas investem seu precioso tempo lendo meus posts! #AqueleAbraço
É neste dia especial que teremos mais um Relatos Bizarros alcançando a sua surpreendente marca de 2º post dessa franquia que deu tão certo em Bollywood.

Não sabe como enviar o seu relato? Simples, meu chapa!

Ha três meios

O primeiro: basta clicar aqui e você será direcionado à nossa página de relatos.

O segundo: envie-nos um e-mail -> [email protected] <- esta é a melhor forma para compartilhar conosco alguma foto/vídeo do evento.

O terceiro: basta começar a ler os relatos que, ao final, haverá um formulário idêntico ao da nossa página de relatos para preencher com sua história surpreendente.

O 17º relato (o último) é meu. Então espero que os senhores leiam e me dêem uma explicação. Desde já agradeço a todos!

ATUALIZAÇÃO****

Bom pessoas, se o seu relato não apareceu aqui, não fique chateado. Nas próximas semanas ele com certeza aparecerá. Eu posto os relatos por ordem de chegada. Basta só aguardar. Semana que vem tem mais, não se preocupem! :)
Seus relatos com certeza aparecerão só basta esperar!

 

Começemos com o relato da nossa leitora pernambucana, Isa.

#01

Nome: Isa
Localização: Pernambuco
Bom, isso aconteceu com a minha mãe, quando eu tinha uns 5, 6 anos. Nessa época, meu pai trabalhava em outra cidade. Só voltava no fim de semana. Então minha mãe ia dormir comigo e com a minha irmã (mais nova do que eu) no mesmo quarto. Tudo bem até aí. Até que em uma noite, quando já estávamos deitadas, começou um barulho das portas dos armários da cozinha sendo abertas e fechadas com força. Quando o barulho passou, ela se levantou e foi acendendo todas as luzes da casa, até chegar na cozinha. E estava tudo normal lá. Nada fora do lugar.
Ela voltou para o quarto. Algum tempo depois, o barulho recomeçou, mas dessa vez eram as portas do guarda-roupa, que estava no quarto ao lado do nosso. Novamente, quando terminou, ela olhou a casa toda e nada encontrou.
Ela ficou apavorada, rezando, sem conseguir dormir, claro. No outro dia, eis que aparece lá em casa, uma antiga colega de escola dela. Essa colega era espírita. Minha mãe não a via há tempos. A mulher disse que, do nada, começou a pensar muito na minha mãe. Daí, ela (minha mãe) contou o que aconteceu na noite anterior. A moça disse que eram espíritos perturbados e convidou minha mãe para ir aos encontros (sessões), o que ela prontamente recusou (ela é católica).
A partir desse dia, meu pai sempre vinha dormir aqui em casa e isso nunca mais aconteceu.

Toda vez que a minha mãe conta essa história para alguém, pergunto se não foi um sonho, mas ela diz que não, que realmente aconteceu.

– Realmente muito estranho. Me lembrou do filme Atividade Paranormal.

Nosso próximo é para aqueles que também curtiram o depoimento do nosso leitor Kiga sobre a paralisia do sono.

#02

Nome: Lucas Di Baggio
Localização: São Paulo – SP
Olá leitores do IEB. O que eu tenho a partilhar com vocês é um relato e também um pedido de ajuda. Há alguns anos atrás, quando eu tinha uns 16 anos, durante duas semanas eu todas as noites sonhava com um homem que sempre me pedia dinheiro e eu nunca tinha dinheiro pra lhe dar. Logo depois da semana de sonhos, alguns primos meus chegaram da Itália, e queriam porque queriam conhecer o centro de São Paulo, de tanta insistência, resolvi ir dar uma volta com eles… Decidi que iríamos passar no mercadão e comer algo, como nosso café da manhã, fomos, em seguida, fomos fazer umas “”comprinhas”” na 25 de Março, hahaha. Em meio à tanta gente, correria, eu acabei perdendo R$ 20,00 e – apesar de quase impossível isso acontecer aqui em são paulo -, eu senti me cutucar e dizer:
– Ei, você deixou o seu dinheiro cair, tome aqui!
Quando olhei pra trás, pra pegar o dinheiro, deparei com o homem que estava presente nos meus sonhos. Eu fiquei muito assustado, e agradeci pela gentileza daquele rapaz. Depois do ocorrido, eu nunca mais sonhei com esse homem, e também nunca mais o vi naquela região do centro de SP, já que sempre dou uma passadinha por lá. Eu particularmente nunca cheguei a contar pra ninguém, já que de tão bizarro são os fatos, muita gente acharia ou irão achar que estou mentindo. Mas eu sinceramente me senti muito mal com isso, mexeu um pouco com o psicológico… Agora fica a pergunta: Algum de vocês, leitores do IEB, sabem algo relacionado à sonhos com pessoas desconhecidas que a gente sem querer acaba vendo elas? Se alguém tiver, estarei disposto a ler todos os comentários pra ver se acho algo relacionado à isso, ou alguma pessoa que também teve sonhos parecidos. Obrigado por lerem, abraços!

– Embora alguns venham achar que você está mentindo, outros com certeza poderão amparar e dar-lhe uma posição sobre o ocorrido. Infelizmente eu não posso dar nenhuma luz ao ocorrido. Espero que alguém dessa nossa multidão possa nos ajudar. Ou melhor – esclarecer-lhe-o.

Vamos às luzes!

#03

Nome: Klavor VII
Localização: Pedro Leopoldo – MG
Bom,meu relato e meio simples e estranho,para falar a verdade acho que essa foi uma das 3 coisas que já me aconteceu de estranho,apesar que essa foi a mais estranha para mim.

Bom,eu morava em uma casa ate grande, já que na época meu pai tinha um bom emprego,a casa tinha dois banheiros,um dentro da casa e uma na varanda da casa,que na verdade era assim,havia a casa com uma cozinha ao fundo,depois da cozinha uma varanda com tanque pra lavar roupa um banheiro e mais um barracão de fundo com 2 cômodos.Bom dia de madrugada me deu uma vontade de ir no banheiro,normal para uma criança de 12 anos,que era a idade que eu tinha quando isso ocorreu,bem saiu do meu quarto que ficava ao lado da cozinha,passei pela cozinha a acendi a luz da varanda e do banheiro, já que da cozinha dava pra fazer isso,que era bem legal quando tinha visita na minha casa que elas iam ao banheiro a noite eu sempre apagava a luz,mais enfim eu fiz isso e fui na banheiro,e como era de madrugada eu não fechei a porta,usei o banheiro tranquilamente,ae fui lavar a mão e tinha um espelho,e pelo espelho notei que meu cachorro esta correndo feito um loco,ele era loco na verdade,era um Pastor Belga que são bem brincalhões,eu olhei para o cachorro e gritei ele,ele parou,então voltei a lavar ao mão e quando olhei para o espelho vi algo parecido com uma bola branca passando no quintal eu olhei para o quintal e não havia visto mais nada e quando eu olhei para o espelho novamente ele estava embasado,tomei um tremendo susto e sair correndo,custei dormi aquela noite,mais para minha sorte isso nunca mais ocorreu.

– Onde você mora existem terrenos baldios próximos ou uma grande presença de matas? Geralmente esses fenômenos ocorrem em lugares onde a noite é muito escura e deserta e há a presença de mato alto. Existem diversos relatos de luzes atacando pessoas, se comunicando com elas e avistamentos. Mas qual seria a sua essência? Desconhecida!

Nossa senhora! Vamos para a próxima!

#04

Nome: F. Martins
Bom, como grande fã do site vou escrever um breve relato

Quando eu era pequeno, estava brincando com minha bicicleta no corredor do quintal de casa, quando surgiu em minha frente uma imagem que parecia ser Nossa Senhora,
aterrorizado corri chamar minha mae…e quando fomos ver juntos a imagem tinha sumido
nao consigo descrever a imagem com ricos detalhes, mais me lembro q santa era formada por fumaça e havia alguns reflexos em volta eu qdo pequeno nunca fui mto religioso..hj em dia sou ateu (MUITOS VAO CRITICAR E/OU QUESTIONAR) porem acho o fato estranho entao resolvi relatar a toda comunidade do IEB
Acho que uns 10/12 anos depois estou expondo essa historia para tanta gente. Alguns nao acreditam, fique a seu criterio

bom depois de escrever td isso to me sentindo um membro do site entao nao pode faltar a musica AUSHSAUSUH

PS: BELA INICIATIVA DO IEB”

– Sempre existirão os crentes e os céticos. O que eles falam para você, só você pode digerir ou não, deixando suas palavras serem levadas pelo vento. E partindo de um ateu, os mesmos vão te chamar de “herege”. (Momento piada inteligente)
Quanto ao vídeo, curti DEMAIS! A voz e o arranjo ficaram muito bons. Me agradaram muito.

Um outro relato curioso de um de nossos leitores céticos.

#05

Nome: Luiz Arapauque
Antes de tudo deixo claro que esse relato tem um peso maior para mim que, sempre fui cético e extramamente seguro em minhas crenças.

Meu relato é simples porem vem sendo o motivo da minha tese para faculdade, em meados de 2007 eu começava minha faculdade de psicologia e tinha em minha turma um grande amigo de infancia que nao via ha anos, tinhamos pela frente o famoso Sistema Programado de Avaliação (SPA) e logo após a maior festa da faculdade que curso, o grande Pós-SPA da psicologia. Pedro (chamarei ele assim) estava comigo na festa e saiu para buscar algumas amigas, bateu o carro e faleceu, teve traumatismo craniano, estava sem cinto e morreu na hora.

Pois bem, foi ai que começou o que chamo de “”inferno pessoal””. Fui em um churrasco semanas depois, e uma senhora espirita passou mal em minha presença dizendo que tinha um garoto de 20 e poucos anos, andando comigo pois estava perdido. Logo fiz a conexao e senti pela primeira vez em 22 anos “”medo”” acerca desses assuntos sobrenaturais, procurei o centro espirita de minha cidade e todos constataram a mesma coisa, que eu carregava um amigo comigo, e que meu amigo estava a procura de seu caminho, estava vagando perdido nesse “”plano””.

Eu como bom cético que sou até hoje, nao dei bola até quando (essa parte é a chave da historia, porém dificil de acreditar, talvez nem eu acreditaria se nao fosse comigo). Cheguei do meu serviço e ao entrar em casa Pedro estava sentado no sofá, com nosso jaleco da psicologia. Eu virei o rosto 2, 3, 4 vezes, e ele continuou lá, somente quando fexei meus olhos e totalmente travado e tomado pelo desespero eu abri e ja nao tinha mais ninguém. Hoje faço uma tese para meu TCC sobre vida após a morte e o efeito do luto em nosso cerebro.

Bom é isso, dificil de acreditar eu sei, mas foi a coisa mais bizarra que aconteceu comigo, porque pra mim bizarro nao é o comportamento animal do ser humano, bizarro é o que aparentemente nao é plausivel.

– “pra mim bizarro nao é o comportamento animal do ser humano, bizarro é o que aparentemente nao é plausivel.” – Luiz Arapauque
Pois é, “há mais coisas entre o céu e a terra, Luiz, do que pode sonhar tua vã psicologia”. Originalmente esta é uma fala de Hamlet que, ao invés de Horácio, substitui por Luiz e psicologia. Não gostaria que os leitores tomassem essa passagem de uma forma ácida, porém, como reflexiva. Particularmente gostei muito desse relato pois quem vos fala é um formando em psicologia que, assim como todos nós, está em busca de suas respostas.

#06

Nome: David
O ocorrido foi a muito tempo atrás, quando eu tinha em média uns 7 anos de idade.
Em um fim de semana a noite eu e a maior parte dos meus familiares estávamos na casa de meu tio (que era muito próxima a minha casa e a casa de minha avó – para ser mais exato logo ao lado), os adultos estavam jogando baralho enquanto eu e meus primos jogávamos Mortal Kombate no super Nintendo. Após isso me cansei de jogar e resolvi ir para casa, mas percebi que não tinha ninguém, então decidi ir para a casa de minha avó, onde também se encontrava minha mãe. Sai pela porta e como não luz, minha visão era mínima.
Lembro que eu não a criança mais corajosa, pelo contrário eu tinha medo da própria sombra, no entanto este dia eu estava sem medo, então enfrentei a penumbra confiante. A distância era curta, dei alguns passos olhando para baixo e como sempre minha cabeça estava viajando em outro lugar.
Quando cheguei em frente a casa de minha avó que por sinal também não tinha luz me deparei com uma menina muito bonita, aparentava ser um pouco mais velha do que eu, ela estava flutuando no ar e com um vestido que cobria seus pés, a cor de sua pele e do seu vestido eram branca com pequenos tons de azul claro, ela reluzia. Como já disse eu era extremamente medroso, porém eu fiquei olhando-a por 10 segundos em média.
Então pensei: “”O que estou fazendo?!””. E sai correndo igual um louco para casa do meu tio… Por fim eu dormi lá mesmo e quando acordei não contei a ninguém, pois ninguém levaria a sério… Uma semana depois eu contei e não levaram a sério de toda forma, exceto meu irmão que se borrou de medo.

Isso aconteceu a uns 14 anos atrás e conto essa história até hoje, haha (assustar a criançada). A alguns anos atrás contaria isso confiando na veracidade, mas o fato é que tudo ocorreu a tanto tempo que me pergunto se não foi apenas um sonho.
Vai saber, mesmo assim é uma ótima história.

– Este relato me lembrou deste vídeo:

Este próximo é um tenebroso encontro com um espírito.

#07

Nome: Igor
Localização: Bahia
Aconteceu em RONDONIA , mais eu moro atualmente na bahia. “Bom. não sei como começar, era uma tarde de sexta feira dia 5 aproximadamente 5 horas . Quando eu e meus tios decidimos ir para o sitio.
As horas passaram , quando deu 19:00 [7 horas] falaram que eles ia embora , pois eu ainda estava pescando , e não me acharam , e eles acharam que eu fui embora já
so que não tinha ido , e eu retardado fiquei sozinho no sitio as 19 horas. Já estáva tudo
escuro e minha unica alternativa era ir embora sozinho, minha casa ficava uns 20km do sitio, eu ia morrer até chegar lá por que sou gordo(nada contra).
Portanto ai vou eu embora na escuridão da noite , eu andei normalmente, quando derrepende faltando uns 10km pra minha casa eu vejo uma mulher de branco na rua (ISSO NÃO É BRINCADEIRA) eu claro fiquei com medo por que todo gordo é medroso (nada contra) e eu fui ficando com medo, e fui me desviando da rua e entrando no mato pra passar longe dela, pois quando eu ia me virando ela ia me acompanhando com seus olhos.
Até quando eu entrei no mato ela se virou e disse algo, só que não dava pra escutar , por que não saia algum tipo de som. Até que ela veio atraz de mim, e eu fechei os olhos para não ver e me abaixei, eu abri os olhos e vi que ela tava na minha frente, tipo rindo por que eu so um idiota , com medo de um espirito que não pode me tocar(mais eu sou esse cara) quando eu me levantei e esse espirito
fez um sinal no ar do tipo isso >,/,< tipo de videogame,não sei , e quando ela fez isso ela sorriu denovo, e eu me cagando de medo. Foi quando eu sai correndo e ela veio atraz de mim sem movimentar nada do tipo “”voando como o super homem”” so que em linha reta, foi quando vinha um carro e ela misteriosamente sumiu, e algo me puxou pra traz e eu não conseguia seguir em frente, e tipo me travou , foi quando eu cai, e esse homem do carro me ajudou não sei como.
E ele me levou até em casa, e até hoje eu lembro dessa mulher.” Sou gordo sim

– Só não entendi os direcionais do videogame. Talvez estivesse tentando dar um Shoryuuken.

Esse próximo é muito mais estranho. Trata-se de uma distorção do tempo ou premonição? Ou apenas um esforço mental? Vejamos

#08

Nome: Luis
Localização: Buenos Aires
Sempre fui um cara cético sobre qualquer coisa sobrenatural, mas até hoje nao explico como isso aconteceu. Eu estudo medicina, e tinha prova de embriologia, eu estudei como de praxe a semana anterior e fui fazer a prova. Cheguei em casa pregado depois da prova e apaguei na cama. No outro dia acordei tomei café e assustei ao ver no celular que o dia nao havia passado, como se eu vivesse novamente o dia da prova, nao comentei com ninguem pois achava que havia sonhado com tudo aquilo e era apenas um deja vu. Mas quando peguei a prova, era exatamente igual a que eu tinha feito, percebi que nao havia sonhado (eu acho) e tirei um 10…ja sabia as questoes.
Os dias seguintes foram todos normais.
Foi tudo um sonho? Será que a semana de forte esforco mental de estudo para um prova bem dificil condicionou meu cerebro a fazer algo ainda nao compreendido pela ciencia atual? O importante foi que eu tirei um 10 e eu queria que isso acontecesse mais vezes

– Que é estranho é mas gostaria que isso acontecesse comigo na hora da apresentação da minha monografia. Estaria mais do que feito e satisfeito.

Nesse próximo o nosso “amigaum” tava ouvindo a rádio do capeta. 666 FM.

#09

Nome: Dener
Localização: Ribeirão Preto
Bom minha história começa em 2009 quando eu e meus amigos descidimos ir em um parque de diversão que se instalou em Ribeirão Preto,até ai tudo bele, fomos ao parque zuamos pacas e depois ficamos um tempo em um bar perto do parque,saimos de lá era proximo da 00:00.Quando o rádio do carro do meu amigo que pertençia ao avô dele que já era falecido começou a ficar em várias frequencias aleatórias estações que nunca conheciamos e muito xiado e interferençias dai meu amigo brincando deu um soco no tape dizendo:”essa porcaria era do meu avô” (de tão velho era toca fitas ainda rsrs) derrepente fcou um som agudo distorçido muito semelhante a um grito e a rádio ficou na estação 666 ninguem acreditou tirei uma foto pra provar,como era um celular sem flash a qualidade ficou tosca mais ai está a prova pra quem duvidar.

– Pra quem duvidou, ó a foto aqui embaixo:

Este outro relato foi do nosso leitor carioca Tainan Torres que viu uma boneca se movimentando (Toy Story? Vudú?)

#10

Nome: Tainan Torres
Localização: Rio de Janeiro (NOSSA CIDADE MARAVILHOSA =D)
Bom o meu relato é sobre a segunda coisa mais estranha que aconteceu em minha vida,minha tia chamada Vilma estava com um problema serio mas ela não ligava muito e por esse problema ela não podia beber cerveja e outro tipo de bebidas alcoólicas que passava mal então com esse descuido ela foi para no hospital e seu estado era critico,eu não tocava no assunto sobre isso e nem me lembrava até que em um certo dia na quinta serie com 13 anos meu amigo estava brincando comigo e ai eu fico triste e preocupado derrepente e digo a ele “pow cara para ae,minha tia ta em coma no hospital” ai ele fala q foi mal,minha condução chega e me levando até em casa eu olho pra uma estatua na pista e sinto uma tristeza passando por mim e ai quando chego em casa recebo a noticia pelo meu irmão de que ela faleceu. Como eu disse,eu nem ligava pra o que aconteceu com ela e nem passava pela minha cabeça sua situação no hospital e já o primeiro caso estranho que aconteceu comigo foi de que quando pequeno eu não aguentava ver o filme “A boneca Assassina” (Dolly Dearest) então certo dia fui ao quarto de meu amigo quando tinha uns 6 anos e ai eu me deparo com algo que até hoje nunca esqueço,eu vi a boneca se movendo de baixo do guarda roupa dele,eu sai correndo na hora e voltei la depois e ela já não esta mais lá,foi muito real pra mim tanto que nunca mais esqueci.

– Creio eu que por ser uma criança de 6 anos a imaginação borbulhante deve ter influenciado em alguma coisa. Algum psicólogo poderia nos dar um parecer?

No relato seguinte uma possível aparição ou algo mais? Como em um dos relatos anteriores, isso é o exemplo do que o carinho e amor podem causar no pós-vida. Visitas bizarras.

#011

Nome: Claudia
Localização: Belo Horizonte
Bom gente realmente não sei se isso é bizarro mais foi uma coisa que aconteceu comigo e me marcou bastante, quando eu estava na escola mais precisamente na sétima serie não só eu como todas as garotas queriam ficar ou pelo menos conversar com os meninos do segundo e terceiro anos os populares na verdade, eu tinha essa sorte, todos os dias eu sentava no mesmo lugar na hora do intervalo e um menino que tinha o apelido de Tim sempre ia conversar comigo nem que fosse um pouquinho, e eu super ficava me achando, e ele sempre fazia e falava praticamente as mesmas coisas, ele pegava uma mecha do meu cabelo que naquela época era bem cacheado e ficava enrolado no dedo, e dizia:” vc vai ficar muito bonita”, agente conversava mais um pouco e ele voltava a ficar com os amigos dele, ele era uma pessoa muito querida na escola por todos: alunos, diretoria, professores todo mundo, e todos os dias na hora do intervalo eu sempre o via e sempre conversava com ele.
Um certo dia mais precisamente uma quinta feira eu sai para o intervalo e sentei no mesmo lugar como de costume, dessa vez só foi diferente pq já tinha uns 05 dias que eu não ia para aula pq eu estava com dengue, fiquei o recreio inteiro esperando o Tim aparecer na verdade eu só tinha ido pra aula por causa dele, quando o recreio tava quase acabando eu vi o TIM ele veio perto de mim eu comecei a falar, falei que eu tava com dengue e que por isso eu tinha faltado que eu tava com saudade dele e ele não falou nada só ficou lá enrolado o meu cabelo no dedo dele , como ele sempre fazia, o sinal avisando que eu intervalo tinha acabado bateu eu me virei para ele dei thaul e fui pra sala…
Porém no outro dia fui chegando na escola e vi um monte de gente com uma camisa com a foto do Tim e atrás escrito Saudades eternas eu não acreditei no que eu tava vendo no primeiro momento, achei que fosse uma brincadeira de muito mal gosto, mais tinha algumas pessoas chorando sei lá muito estranho, acabei chegando perto de uma menina e perguntando o que tinha acontecido e ela me informou que aquela era uma blusa que eles tinham feito pela missa de sétimo dia do Tim. Fiquei transtornada como isso era possível depois acabei sabendo de tudo o Tim foi morto com 03 tiros bem próximo a escola pelo namorado de uma menina que ele estava supostamente ficando…
Juro que é verdade gente e eu até hoje não sei o que aconteceu, não consigo entender eu vi ele 01 dia anyes da missa de setimo dia , isso já faz mais de 07 anos mais eu ainda me lembro como se fosse ontem, tenho muito medo dessas coisas e prefiro pensar que isso foi só uma alucinação da febre que a dengue causa sei lá…. Mais no fundo eu sei o que eu vi…

– Posso estar equivocado mas dependendo do nível espiritual da pessoa ela tende a partir mais rápido deste mundo. Entretanto, quando se gosta e tem um carinho por outra, essa viagem tende a ser adiada. Muito interessante! O que eu busco nestes relatos é o esclarecimento, se alguém puder esclarecer através de qualquer ótica, seria de enorme ajuda.

Neste próximo é um dos tipos de relatos que eu mais gosto. Os que tem algo a ver com o céu.

#012

Nome: Breno Almeida
Localização: Pernambuco
O meu relato é sobre um dia chuvoso de uma plena quinta feira de madrugada. Eu moro em Pernambuco e na época estudava no 1º grau do ensino médio, tinha acabado de voltar de uma prova muito extensa e cansativa. Me deitei em torno das 5-6 horas da noite pretendendo acordar no outro dia, como de costume. Porém, em no “”meio”” do meu sono, acordei com clarões fortes. Assustado, vi que estava chovendo bastante e deduzi que eram relâmpagos. Era em torno de umas 3-4 da madrugada.Como de costume, fui ao banheiro tirar a água do joelho e dormir de novo. Porém, quando saí do quarto ( um OBS aqui para que, a porta do meu quarto dá em uma janela.) Vi uma coisa que até hoje desperta minha curiosidade. Raios de cor laranja e luminosidade bem forte, “”caindo”” logo atrás de um prédio vizinho. Corri para acordar minha avó. ( que é curiosa perante esses fenômenos naturais {ou não}.) Presenciei todos os fenômenos dessa noite, ao lado dela. Sim! Não foram apenas os raios.. mas depois de “”longos”” 2 minutos, o mais surpreendente ocorreu. Esferas luminosas laranjas começaram a cair logo atrás do prédio vizinho. Minha avó simplesmente os chamou de “”anjo””.( tente imagina-las como uma fonte de luz em que não se tem forma certa, mesmo se assemelhando a uma esfera com uma aura laranja ao redor.) Não creio que seriam anjos… sou bastante cético em relação a isso. Porém, também não creio que sejam Meteoritos ou fragmentos de um, pois eram grandes e muito luminosas. Fiquei de pé ali por mais ou menos meia hora após os eventos, tentando ver algum tipo de “”clarão”” ou “”som de impacto”” após a passagem das esferas. Mas elas simplesmente sumiram no horizonte. Fomos dormir logo depois do evento, com uma pulga atrás da orelha.

No dia seguinte, enquanto eu estava no salão de festas do meu prédio com alguns amigos, vi uma esfera semelhante a da noite anterior, porém de uma cor “”branca””.

Até hoje não tenho certeza do que foi aquilo. Cheguei a concluir que era “”lixo espacial,”” depois de uma pesquisada. Porém, hoje me pergunto se não presenciei um caso de OVNI, pois a teoria de que “”lixos espaciais”” teriam cruzado a atmosfera e “”aterrizado”” em minha cidade, não explica o fato de que RAIOS LARANJAS estejam caindo próximo ao acontecido. Deixando assim…mais uma pulga atrás da orelha.

Tirem suas conclusões!

– Eu tenho quase certeza de que possa ter sido algum fenômeno natural que os meteorologistas podem deduzir o que tenha acontecido. Adoro estes assuntos sobre ufologia mas é preciso ser cético inicialmente para não deturpar uma possível investigação. Meteorologistas do nosso IssoÉBizarro: NOS AJUDEM!

Agora termos um encontro com a criptozoologia e depois chegaremos até uma possessão demoníaca. Relato muito bom e curioso!

#013

Nome: Daniel Alves (Barcelona?)
Localização: Manaus
Olá bizarreiros!!! Meu nome é Daniel, tenho 18 anos e atualmente moro em manaus. Mais o que vou contar aconteceu numa cidadezinha chamada Óbidos, no estado do Pará em 2009, quando eu morava lá. Vou logo avisando, não vou economizar muito em detalhes por isso pode ser que seja uma grande leitura para alguns. Então se estiverem lendo isso é porque a equipe do IEB achou que vai ter gente que vai ler até o final. Não sei. Mais garanto que quem ler vai achar interessante.

Então, Óbidos é uma cidade, apesar de pequena, bem antiga, uma das primeiras do Brasil. É conhecida como a garganta do Rio Amazonas pois é a unica cidade que todas a embarcações são obrigadas a passar por lá. Por falta de interesse mesmo, não sei nada sobre a história da cidade, mais sei que já tiveram várias batalhas ou guerras (sei lá) entre povos ou extraterrestres (também não sei) pois bem na frente da cidade tem um vale bem grande chamado serra da escama e bem em cima tem 4 ou 5 canhões bem grandes apontados para o rio amazonas (procurem fotos no google). Pois é, coisa boa não foi. Enfim, a cidade é um verdadeiro baú de contos e lendas. Durante os 5 anos que morei lá, ouvi bastante histórias de aparições de pessoas que morreram na guerra e tal, história de cobra grande, lenda num sei de que, história num sei de que, etc etc etc. Se eu for contar cada história que ouvi lá vai chegar dia 21/12/2012 e eu não termino. Mais vou contar as mais bizarras que eu SEI que é verdade, por que uma teve várias testemunhas e a outra eu estava presente.

1ª história: Bicho que ninguém sabe o que é.
Bem, não sei exatamente quando foi, acho que por volta dos anos 70 ou 80, teve um naufrágio na frente da cidade. Foi assim: o barco ia chegando de madrugada no porto e na ocasião tinha dado uma falta de energia elétrica na cidade e, obviamente, não tinha luzes. Não sei o real motivo que levou o barco a afundar bem frente do porto mais sei que as pessoas que estavam no barco e que não conheciam nadaram em direção contrária a cidade porque viram algumas luzinhas do outro lado do rio, que na verdade eram comunidades que usavam energia a motor. Bem, aconteceu que a grande maioria dos passageiros morreram bem próximo ao porto. (quem quiser ver algumas fotos das vítimas ta aí o link da reportagem que eu não li http://www.tribunadacalhanorte.com.br/news/maior-tragedia-da-amazonia-naufragio-do-sobral-santos-completa-30-anos/) Morreram de 250 a 300 pessoas nesse naufrágio. Bizarro né?? Não. Até aí blza, tudo dentro da lógica.

No outro dia estavam lá os mergulhadores no resgate dos corpos. Segundo o Senhor que me contou essa história, seu Mariano, um senhor de idade, vizinho de um amigo, que estava presente no resgate, um dos mergulhadores viu uma criatura com braços comendo os corpos das vítimas. Antes que alguém diga que era um peixe, deixa logo eu falar: nunca vi gente pra conhecer mais peixe do que paraense. Ainda mais um mergulhador experiente no assunto. Então, particularmente, não acredito que fosse um peixe grande. Tá daniel, e depois? Depois o mergulhador subiu e contou o que viu e resto dos mergulhadores também subiram com medo… menos um. Até hoje ta faltando subir um mergulhador e o resto não tiveram coragem de voltar. Passou bastante tempo para que as pessoas de lá voltassem entrar no rio. Hoje ta normal, até eu tomei muito banho lá. Mais de vez em quando desaparece um por lá. Pessoas que nadam muito bem vão e não voltam.

O que eu acho: existem muitos animais, criaturas, bichos que ainda não foram descobertos. Talvez por viverem em locais de difícil acesso, ou por estarem praticamente extintos e os poucos que ainda vivem são dificies mesmo de encontrar. Não sei. Mais que exitem muitos mistérios nesse velho rio, existe. A criatura podia ta só de passagem por lá por causa do cardápio. Não sei.

2ª história: Possessão na 6ª série.

Essa eu estava lá. Em 2006, acho que no mês de março, na escola municipal de ensino fundamental São Francisco, em óbidos, aconteceu uma coisa muito bizarra, que EU fiquei com medo. Duas mulekas de outra turma estavam brincando de jogo do copo em horário vago na sala de aula. Quando vi todo mundo correndo pra lá pensei que fosse briga, coisa bastante normal lá. Claro que o curioso aqui foi lá ver o que era também né. Enquanto tinha pessoas entrando pro meio da multidão tinha outras saindo, algumas com a mão no coração, outras quase chorando. Fiquei pensando: que diabo é isso?? Consegui ver. Duas meninas no chão toda se arranhando, de cabeças baixas e riscando uns papeis com o sangue das mãos. Elas arranhavam o pescoço e o rosto. Uma tinha rasgado a blusa de farda. Dois professores seguraram as meninas e conseguiram imobiliza-las. Eu era muleque e fiquei com medo e fiquei de longe. Aí levaram as meninas pro hospital e depois de duas semanas elas voltaram a frequentar a escola. Antes disso a diretora foi em cada sala pedir para que ninguem tocasse no assunto com elas pois elas não se lembrariam do que tinha acontecido. O que aconteceu: as meninas estavam brincando dessa brincadeira do copo e sei que tinha uma caneta na brincadeira também. Foi quando ela comessaram a rezar o Pai nosso de traz pra frente quando as duas gritaram e começaram a fazer o que fizeram. Sei também que teve a presença de um padre na história. Depois que elas voltaram pra escola elas ficaram mais fechadas e não sei mais de nada.
O que eu acho: já tentei usar um tabuleiro de ouijia mais não aconteceu nada. Só usei o tabuleiro e o copo. Desconheço o uso da caneta. Se tiver algum corajoso aqui pra fazer isso e rezar o pai nosso de traz pra frente por favor, me diga como é.

Pra terminar, enquanto eu estava digitando isso eu tive um dejavu bem forte. Uma sensação estranha que todo mundo tem mais niguem sabe explicar.

#014

CASAL DEFORMADO
Esse “caso” se passou no ano 2001 na cidade de Luzilândia do Piaui, sou policial militar e na época estava com exatos 23 anos de idade. Fui destacado da cidade de Parnaiba para reforçar o policiamento depois de dois assaltos seguidos em um banco de Luzilândia, logo na apresentação pude ver que o prédio onde se encontrava o GPM, fora um hospital na década de 70 e que agora a prefeitura teria cedido o lugar ao estado para a instalação desse GPM .
Não há novidade em falar de mortes ao se referir a hospitais, todos nos sabemos que sempre houve e haverá óbitos em unidades de saúde. Mas o que me chamou a atenção foi o estado de conservação do lugar, a cerâmica ainda impreguinada com o cheiro de desinfetante misturado com odor de sangue, na entrada ainda armado o balcão da recepção que servia como um tipo de contenção para os doentes que chegavam a procura de atendimento, armários de ferro entupidos de prontuários bastante velhos corroídos por traças, no alto da parede um crucifixo de metal gasto pela ação do tempo, cadeiras semi brancas de ferro que para arrastá-las seria necessário um esforço considerável, as luminárias no alto do teto com foro de madeira ainda funcionavam de maneira que a noite dentro do ambiente parecia dia, armários de madeira enfileirados na cozinha e um fogão velho já sem cor no canto do cômodo, e finalmente chegando no quarto onde iria alojar meus pertences e passar noites tentando descansar , só não imaginava no desconforto das camas, fico imaginando com uma pessoa doente passava a noite em uma padiola armada com ferro molas e manivelas do lado e outro, seria quase impossível para uma só pessoa arrastar aquilo que denominaram de cama, estava mais para uma maquina de tortura.
Mesmo com todo esse ambiente sombrio fui passando os dias trabalhando com meus irmãos de farda, éramos ao todo na formação do GPM seis “PMs”, e logo vieram as estórias de fantasmas, ruídos, vultos e outros acontecimentos presenciado por parte dos presentes, lembro que dois desses irmãos de farda sempre tentavam me pregar algum tipo de peça, repetiam com avidez que o quarto onde eu dormia havia um casal que no passado sofria de hanseniase e que estavam só esperando a hora da senhora morte ceifar suas vidas, contavam ainda que o senhor moribundo todas as noites levantava de sua cama e se arrastava até a cama de sua esposa desfigurada devido ao estado avançado da doença em seu corpo já debilitado, ela por vez sabendo das condições grotesca do estado do rosto cobria-se por completo com um cobertor manchado dos fluidos que escorria de suas chagas, até as próprias enfermeiras já tinham um certo receio de entrar no quarto, o velho não gostava que mais ninguém chegasse perto de sua senhora desfigurada, por vezes ele atacou enfermeiras avançando com suas ataduras enroladas nos locais afetado pela doença, e assim passavam os dias e o velho sempre reunindo forças para chegar a cama de sua amada, afastava o coberto da face da velha, e ela sempre respondia que ainda estava viva. Uma noite qualquer, com o passar das horas tudo corria normal, até quando a barreira do silencio é quebrada com um grito que gelaria ate a alma do mais bravo guerreiro, um grito que misturava angustia com desespero, enfermeiras e outras pessoas que ali estavam correram para o quarto do casal desfigurado, era assim que chamavam os velhos do quarto, quando viram a cena de uma velha magra de pele escura caída no chão frio estendendo o braço fino tateando com dois de seus cinco dedos restantes, a velha tentava pegar a mão do seu amado que não teve como chegar a sua cama fazer a mesma pergunta todos os dias de hospedagem no leito do hospital, pois ali estava o corpo inerte do senhor que vivera os últimos dias de sua vida sofrendo em estado vegetativo. A senhora deformada veio a óbito logo em seguida próximo do seu amado, com um sorriso no rosto deixando a mostra seus poucos dentes amarelados e com um dos olhos abertos, pois não havia pálpebras e dava a ilusão que ela estava olhando para as pessoas que ali estavam.
Com o tempo fiquei pensando se realmente teria acontecido isso tudo, surgiram mais estórias de moradores que falavam que o velho teria infectado a velha a pedido da mesma, fiquei curioso e fui revirar os arquivos antigos que encontrei nos armários, para minha surpresa encontrei uma copia do obituário do casal e revirando mais ainda os documentos velhos pude ver o atestado de óbito do casal desfigurado, aquilo tudo tinha um fundo de verdade, sempre fui muito cético e pessoas morrem, aquilo não afetaria minha estadia no lugar de trabalho. O tempo foi passando e com o tempo veio o mês da quermesse da cidade, comemoração das festividades da igreja de santa Luzia, lembro que estava de serviço com os dois brincalhões do GPM, por volta de 23 horas estávamos voltando das rondas corriqueiras, um dos “PMs” logo ao chegar no GPM tirou a farda e vestiu uma roupa civil e saiu para casa da sua namorada, ficando um “PM” e eu, arrastamos duas cadeiras ate a frente do GPM e ficamos conversando, quando ouvimos do fundo do quarto um tipo de grito, confesso que fiquei assustado, o “PM” que estava próximo a porta de entrada saiu correndo e como um gato saltou sobre o balcão caindo do outro lado já com a pistola em punho adentrando no quarto de onde vinha o grito e onde eu dormia, fiquei do lado de fora do balcão para dar cobertura na tentativa de fuga de alguém tentar sair, passaram-se alguns minutos e o silencio reinou no quarto, corri ate a porta e quando me deparei com a visão do “PM” caído no chão com os olhos arregalados olhando para o nada no estado catatônico, logo dei uma busca no quarto e voltando a atenção ao “PM” caído e já voltando a consciência, pude notar a cor de sua pele mudar de bronzeado para uma cor pálida, perguntei o que houve e ele não respondia, apenas tremia feito vara verde em vento forte, insistir em perguntar, foi quando ele levantou e falou que ali ele não trabalhava mais e nem passaria a noite, rapidamente passei um radio para o outro “PM” voltar para o GPM, com dez minutos no Maximo, o “PM” já se encontrava no GPM, relatei o acontecido e varias vezes insistimos em perguntar o que teria acontecido naquele quarto, depois de muita insistência o “PM” veio a contar com a voz tremula que ao entrar no quarto viu uma pessoa coberta com um cobertor com manchas e ao se aproximar estendeu a mão para levantar o cobertor algo o agarrou e o derrubou no chão e na queda viu um braço caído por baixo do cobertor com apenas dois dedos na mão. Se foi uma brincadeira, eu não sei falar, só sei que depois desse dia o “PM” pediu transferência para outra cidade.
– Sério, gente! Quando eu digo que algum psicólogo ou entendido de assuntos espirituais poderia dar algum parecer sobre estes casos, eu o digo de verdade. Façam destes depoimentos um lugar de treino de suas habilidades ou de ajuda. Eu gostaria muito de saber o que pode ter se passado para o rapaz pensar que aquilo aconteceu ou o que engendrou esse aparecimento dos espíritos para o PM. Ah! Eu acredito sim. Acredito pois passei por experiências semelhantes.

Nesse próximo quase que um rapaz se vai devido à uma suposta previsão do jogo do compasso. Leiam só…

#015

Nome: Nayara
Localização: Curitiba
Bem, eu não acreditava muito em coisas sobrenaturais mas isso nunca me impediu de sentir medo e o medo nunca me impediu de pesquisar sobre o sobrenatural, certa vez uns amigos me chamaram para jogar o jogo do compasso, perguntamos quem iria morrer primeiro, o dia, a hora, até então era uma brincadeira até que em uma das rodadas apareceu que alguém da roda com a letra C morreria as 14 horas do dia seguinte e na roda tinha a Camila e o Cassio. Ninguém acreditou mas resolvemos nos encontrar as 14 horas do dia seguinte, era 13:30 quando todos chegaram a arvore. O Cassio segurou em um galho e começou a contar os minutos que faltavam para as 14 horas, 10 minutos, 5 minutos, 3 minutos… e quando faltava 2 minutos o galho em que ele segurava-se apoiado quebrou e ele caiu com a cabeça nos pés do nosso outro amigo, Marcelo, todos levaram um super susto, o Cassio se levantou e o Marcelo tirou o pé do lugar e vimos que ele pisava em uma pequena pedra, pontuda, lógicamente não mataria o Cassio bater a cabeça nela, mas machucaria muito. Depois desse dia nunca mais brincamos. Pode não ser muito emocionante, mas é verdadeiro e quem esta lendo pode não se assustar, mas eu fiquei assustada e nunca mais brinquei disso!

– Pode não ser muito emocionante mas que pode ser real, aí pode. E é bizarro. Quanto a esse delay de dois minutos, poderia demorar 2 minutos para o rapaz morrer. Ou o relógio estava diferente.

Neste próximo poderia ter sido um encontro com o famoso Exu-Caveira. Segundo o Relatos Bizarros #01, as descrições batem.

#15

Nome: Débora
Desde pequena sinto coisas estranhas. Antigamente, via e sentia frequentemente. Tentei não me abalar, e fui me acostumando.
As primeiras vezes me atormentava muito. Aconteciam coisas desde a cama tremer na madrugada e não ter ninguém no quarto até ver vultos dentro de casa.

O que conto agora é o seguinte caso: Por volta dos meus 13 anos, minha mãe arrumou um namorado que frequentava a casa de espiritismo. Ele já era “”Umbanda””. Medium-vidente e essa caralhada toda. Sempre trocavamos idéias e experiências. Até que um dia, na madrugada, eu estava dormindo, lembro até hoje, era exatamente 3hs da manhã. Acordo de barriga pra cima com os olhos vidrados pro teto. Lá em cima tinha uma coisa preta e com olhos vermelhos se movendo e só me olhando. Entrei em pânico, nunca tinha me acontecido aquilo. Eu não conseguia me mover, meu pescoço não virava, não conseguia falar e muito menos gritar. O quarto havia ficado totalmente frio e eu não me sentia bem… Eu estava lá parada e totalmente sem movimentos algum no corpo. A cena se passou durante uns 3 minutos. Quando tudo se passou olhei para o meu irmão que estava dormindo ao lado. Ele estava assustado sentado na cama me perguntando o que estava acontecendo já que eu estava com os olhos esbugalhados, pálida e olhando fixamente pro teto. Eu mal conseguia falar e expressar o que tinha acontecido.
Naquela noite nem dormi. No dia seguinte, o namorado da minha mãe veio para casa e eu contei o que havia me acontecido. Ele me mostrou uma parte no livro em que dizia o que aconteceu comigo foi a passagem do espírito. Acontece que o portal se abre as 3hs da manhã, e é nesse horário onde nossas almas saem para vagar, porém, a consciência ainda continua em nós. O que aconteceu foi exatamente isso, minha alma quis passear e eu acordei antes dela voltar. O que não entendi até hoje é o que era aquilo no teto.

– É muito bom conversar com uma pessoa com um esclarecimento maior no assunto. Essa pessoa salda as suas dúvidas.

#16
Nome: Amanda
Localidade: Rio de Janeiro (PARA NOOOSSA ALEGRIA)

Na época em que eu era criança, meus pais estavam com certos problemas financeiros, então tivemos de nos mudar de nossa casa, indo morar num apartamento pequeno e antigo. (era de um andar, e só haviam três apartamentos – todos simples, um quarto sala, cozinha e banheiro-, o que meus pais e eu morávamos, e os outros dois, em cada um deles morava uma senhora viúva. E do lado do meu apartamento, tinha tipo um “”sótão””. Acho que era pra ser uma moradia tbm, mas estava abandonado, não tinha nem as paredes que dividiam os cômodos… era só um espaço… escuro, sujo e… bizarro).

Os relatos que tenho para contar são as “”coisas”” que vi, enquanto morei por lá.
Uma vez, minha mãe havia saído para ir no mercado, e como meu pai estava no trabalho, estava sozinha em casa. Gostava muito de ver desenhos, então estava sentada no sofá, que ficava perto do corredor, logo, eu estava sentada de costas para o corredor. Me lembro de ter ouvido um barulho, como se tivesse algo se contorcendo, ou esbarrando, na parede, e quando olhei pra trás, vi um homem, branco (quando digo branco, quero dizer totalmente branco – corpo, roupas, cabelos, barba comprida, olhos – tudo) SAINDO da parede, e acenando pra mim. Uma criança normal teria gritado, ou saído correndo do apartamento, mas eu simplesmente virei de volta pra tv, e quando fui olhar de novo, por trás dos ombros, não havia mais nada lá.

Teve outra vez também, nesse mesmo local, as mesmas circunstâncias (ah, o banheiro ficava no fim desse corredor), em que – sim – ouvi um barulho e olhei pra trás, e vi uma mulher, andando em minha direção – roupas escuras e cabelos curtos e lisos.

Me lembro também que, quase todas as noites, eu acordava de madrugada, e olhava pra porta (que sempre ficava aberta), e sempre havia lá, uma figura parada na entrada, encostada. Pelo tamanho, parecia ser uma criança.

Me mudei de lá quando tinha uns 8 anos. Nunca mais vi nada.

– Realmente é um relato bem peculiar. Quando eu era mais novo algumas coisas bizarras aconteciam aqui em casa. Mas depois eu conto esta história porque agora, é um relato meu!!

#17

Nome: João Nascimento
Localização: Rio de Janeiro (VIVA O CARNAVAL!)
Bom… eu sempre fui muito interessado por assuntos espirituais, ufológicos, criptozoologia dentre outros. Resumindo: sempre fui obcecado por qualquer tipo de assunto anormal e incomum. Aqui perto de casa tem um posto Shell que vende uns livros – que nos quais eu achava que só eu comprava até que vi um amigo gastando uma farpela ($) bonita comprando – dentro de uma lojinha de conveniência. Certo dia quando eu me deleitava com um salgado assado, comecei a rodar a prateleira e procurar alguns livros para eu comprar e ler. Havia alguns livros interessantíssimos mas eu sempre busco comprar livros pragmáticos – aqueles que eu possa utilizar em uma situação no dia a dia. Foi quando dentre esses livros eu comprei um chamado “OSHO – Aprendendo a silenciar a mente”.
Agora que começa o relato. Eu sempre quis saber como é entrar em um estado de meditação e sempre tentava ler alguns tutoriais na internet mas nunca consegui nada. Então estava mais do que certo que eu precisava conseguir dessa vez. Devorei o livro, que tem pouco menos de oitenta páginas. E como já era noite, decidi pôr em prática o que tinha lido. Qual não foi a minha surpresa a conseguir entrar neste estado maravilhoso que é a meditação?! Eu ainda tive a certeza de que poderia sair do meu corpo só que não tinha o ensinamento correto para isso. Já estava querendo abusar. O método que eu usei foi baseado na respiração, diminuir bastante a respiração para desacelerar os batimentos cardíacos relaxando inteiramente o corpo em níveis. Mas isso não estava no livro, eu que fui tentando nesse tempo. Depois de certo tempo tentando entrar em estado de meditação, é como se você desmaiasse e acordasse lúcidamente. Só que o meu corpo estava em estado de sono enquanto minha mente estava mais ativa do que eu estava agora. Estava lúcido. Meus pensamentos eram claros e intermináveis mas sempre serenos. É uma experiência excelente! Entretanto, agora é que começa o bizarro. Eu estava aproveitando essa sensação quando de repente eu ouvi um estalo em algum lugar do meu quarto. Acho que foi o móvel do meu computador se dilatando ou se contraindo pois não lembro se estava calor ou frio. Quando esse estalo acontece, eu começo a sentir uma sensação de paz, amor, carinho, tranquilidade, serenidade, felicidade e, principalmente de prazer vindo do meio do meu cérebro. Não me perguntem como eu sei que veio de lá, eu apenas sei.
Transbordando essa sensação, eu não consegui mais permanecer nesse estado e acordei quase chorando de prazer, felicidade e todas essas coisas boas. Todas essas coisas “Genki”. Em japonês essa palavra representa todas as coisas boas que existem no universo. Eu, espantado, entrei na internet e comecei a falar com uma grande amiga minha e tudo o que eu a tinha descrito, segundo ela, aparentava que eu tinha tido um orgasmo. Eu fiquei sem entender porra nenhuma. Quando estava em estado meditativo, eu consegui acordar e voltar ao mesmo estado imediatamente. Era como se eu estivesse em um estado ininterrupto de meditação.
E uma grande curiosidade é de que esta foi a melhor semana da minha vida. Foi em Abril do ano passado que isso aconteceu. Todas as coisas desse final de semana deram certo. Eu acordei no outro dia após a minha experiência radiante, o céu estava mais azul, o verde estava mais verde, eu conseguia sentir a alegria do canto nos passarinhos. quando eu saí à rua, todos me olhavam porque eu não conseguia parar de rir de tamanha felicidade. Eu estava transbordando em paz, amor e alegria. À noite, quando já estava na balada, a minha presença podia ser sentida a distância. Parecia que eu tinha me transformado num espírito de genki. Nada poderia me tirar dessa serenidade. Eu conseguia enxergar tudo com muito mais clareza do que uma pessoa normal. Eu fiquei nesse estado durante dois dias. O final de semana inteiro. Até hoje eu imploro por uma exlicação. Eu espero que alguém possa me ajudar quanto a isso.

Sério, galera! Isso realmente aconteceu comigo!

Espero que tenham gostado do Relatos Bizarros desta semana. Ah! E semana que vem tem mais, hein! Nos envie o seu relato abaixo! :D

Agora, caso queiram, preencham o formulário com o seu relato bizarro.

Written by DraftL

O que está em cima é igual ao que está embaixo e, o que está embaixo, é igual ao que está em cima, para realizar os milagres de uma coisa única.

Comentários