, ,

Homem que viveu há 9.500 anos atrás tem o seu rosto reconstruído pela ciência

Seu crânio foi encontrado em 1953 e recebeu recentemente uma reconstituição

Um crânio encontrado no ano de 1953, recebeu recentemente uma reconstituição, a partir de aparelhos de tomografia computadorizada.

O objetivo era descobrir quais eram os traços desse indivíduo que viveu a nada mais e nada menos do que 9.500 anos atrás, durante o período Neolítico.

O crânio recebeu o nome de “Crânio de Jericó”, uma vez que foi encontrado na região que antigamente correspondia a antiga cidade de Jericó.

Todo o projeto foi elaborado e executado pelos arqueólogos do “British Museum”, que fica localizado em Londres.

Nada se sabe sobre a identidade deste homem, mas é conhecido o fato de que ele foi alguém importante, uma vez que muitos cuidados e procedimentos foram realizados com essa parte de seu corpo.

O crânio foi cuidadosamente preenchido com uma espécie de gesso, além de ter sido removido do resto do corpo e recebido uma decoração que incluía uma camada de tinta e até mesmo a inserção de conchas no lugar de seus olhos.

Apesar de nada parecido ter sido descoberto antes, os pesquisadores acreditam se tratar de uma forma primitiva de cerimônia fúnebre.

Outro fator que leva os arqueólogos a acreditarem que o crânio pertencia a uma pessoa realmente importante da época, é o fato de apesar de ter sido encontrado juntamente com outros crânios, ele ser basicamente o mais bem preservado e cuidado de todos eles.

Segundo informações dadas pela a curadora do museu, Alexandra Fletcher, o homem a qual o crânio pertence, nitidamente faleceu já um pouco mais velho. Apesar de nenhuma outra informação ter sido revela sobre a sua procedência ou identidade.

Com o objetivo de descobrir mais informações e revelar todos os segredos do crânio, pesquisadores do Centro de Imagem e Análises do Museus de História Natural de Londres, digitalizaram a peça e fizeram uma varredura completa que revelou uma série de novos detalhes.

Foram graças a essas informações que eles ainda não tinham, que a reconstrução digital do rosto deste homem pode ser feita.

As imagens revelam, então, um homem que viveu na terra 10 mil anos atrás. E veja só, parece qualquer tiozinho aí na sua rua. Foda!

Fonte: Jornal Ciência

Written by Danieu

Fundador do IÉB, o administra desde 2007, e não viu nem 1% da bizarrice do mundo.

Comentários