,

Relatos Bizarros #06

POVOS E POOOVAS BIZARRÉÉÉÉÉZÉÉÉÉMOOOS! Muito boa noite, boa tarde, bom dia, boa madrugada para todos vocês. Mels Bambiiiaaanoss

Gostaria de pedir minha sinceras desculpas por não ter postado o Relatos Bizarros de semana passada devido ao pouco tempo que dispus. Tanto semana passada como essa semana estou anormalmente atarefado estudando para as provas. Mas que se foda, né? Vocês não querem saber de porra nenhuma disso. Então, que se foda de novo. Hahahaha!

Não sabe como enviar o seu relato? Simples, meu chapa!

Ha três meios

O primeiro: basta clicar aqui e você será direcionado à nossa página de relatos.

O segundo: envie-nos um e-mail -> [email protected]

O terceiro: basta começar a ler os relatos que, ao final, haverá um formulário idêntico ao da nossa página de relatos para preencher com sua história surpreendente.

A título de esclarecimento: se o seu relato não apareceu aqui, não fique chateado. Nas próximas semanas ele com certeza aparecerá. Eu posto os relatos por ordem de chegada. Basta só aguardar. Semana que vem tem mais, não se preocupem! :)
Seus relatos com certeza aparecerão só basta esperar!

Hanasu wo hajimemashou!

#01

Nome: Ariel

Há época, nos tempos Elíseos da infância, residia minha família e eu em uma casa simples, em pequena rua, num bairro que aos poucos prosperava.
O aspecto humilde da casa era vencido pela aquarela de cores de belíssimas flores que num pequeno jardim em frente da casa cultivávamos.
Belezas que atingiam seu ponto culminante à noite quando o brilho das estrelas se misturava às luzes de diversas velas que iluminavam pequena capela de Nossa Senhora, que fora construída em pedra e instalada num dos cantos do jardim.
É nesse cenário que aconteceu um fato que achei oportuno relatar:
O sol tinha se posto e as estrelas começavam a aparecer, finalizando uma tarde de calor e de um céu límpido que tanto nos agradava.
Minha mãe e minha irmã depositavam apressadas em sacos os últimos resíduos da limpeza que fora feita no jardim. Minha querida avó, num sinal de reverência à santa, acendia as velas na capela para iluminar o caminho de quem pela rua passasse.
Encontrava-me no interior da casa quando ouvi, vindo do jardim, palavras de espanto e admiração. Curioso, dirigi-me para lá e vi minha avó, mãe e irmã estacadas em torno de uma imagem que aparecera na parede da casa; a imagem tinha a silueta do perfil do rosto de Jesus e parecia estremecer, dando a impressão de se mover. Olhei atentamente para a figura e percebi que era o resultado da sombra de fortuitas combinações de ramos, flores e folhas; a luz vacilante das velas é que fazia a imagem tremer.
Esse quadro causou em todos nós uma impressão muito viva, como a lembrar as sutis revelações que a natureza eventualmente nos traz.

– Primeiro relato de uma pareidolia que nós temos. Definição de pareidolia segundo o Wikipedia: A pareidolia é um fenômeno psicológico que envolve um estímulo vago e aleatório, geralmente uma imagem ou som, sendo percebido como algo distinto e com significado. É comum ver imagens que parecem ter significado em nuvens, montanhas, solos rochosos, florestas, líquidos, janelas embaçadas e outros tantos objetos e lugares. Ela também acontece com sons, sendo comum em músicas tocadas ao contrário, como se dissessem algo.
Ainda está difícil de entender?

Apesar de essa figura não ser de um rosto real, muitas pessoas podem identificar a semelhança com um.

#02

Nome: Carolina

Eu tenho 19 anos e nasci e morei boa parte da minha infancia em uma cidade pequena no sudoeste do paraná, aos tres anos de idade eu e minha familia fomos morar no centro dessa cidade e eu passei a fica durante boa parte do dia sozinha eu não tinha medo de nada tanto q na época o filme do CHUCK ainda estava em circulaçao e eu sempre assistia na sbt, só que em um determinado momento (segundo o que minha mae, pai e familiares e amigos próximos contam) eu acordava a noite e começava chorar ou gritar para meu pai ou mãe que tinha alguem no meu quarto minha mãe cuidava de mim e meu pai dizia q era coisa da minha cabeça.
Tempos depois minha mãe estava na cozinha lavando loça quando um vaso de porcelana q ficava em cima da mesa voo e foi para do outro lado da cozinha.

– Seria Lacerta? ;)

#03

Nome: Thaynara

E ai pessoar tenho 19 anos e o que eu vou contar acho que todos já sentiu e tal… Desde pequena eu sou assim e quando leio sobre fantasmas as sensações voltam… Mas vamos lá… Eu já fiz o jogo do tabuleiro mas fiz sozinha em casa depois disso, começaram a acontecer algumas coisas comigo, como por exemplo eu pegava em uma caneta e quando eu via ela estava escrevendo sozinha, em uma noite que na época eu dormia na casa da minha tia eu estava dormindo e acordei sentindo alguém puxando minha orelha, e tipo quando peguei estava mesmo virada sabe nossa me deu muito medo, já vi um rosto na minha porta do quarto também quando fui dormir era bem pálido e sofrido, já senti alguns cheiros também mas esses foram que se fosse um perfume que nunca havia sentido era muito gostoso esse cheiro vinha do nada… Tem muitos outros acontecimentos mais o que mais me assustou ou achei interessantes para compartilhar com vocês foi esses ^^ !!!! Espero que gostem… Beijos beijos :D

– Esse jogo do tabuleiro, hein… tá em quase todas. Não incentivo ninguém a fazer isso. Brincar com forças ocultas nunca cai bem. Logo, se os ateus quiserem provar a si mesmos, também não o façam. rs

#04

Nome: Acauã

Olá, meu nome é Acauã e eu vou contar pra vocês uma coisa bem tensa que aconteceu ano passado (2011) comigo e com duas amigas.
Bom, pra começar, eu sempre mechi com o ‘oculto’ por assim dizer, pratico bruxaria branca (Wicca) e tento manter minha mente aberta ao máximo.
Quando se trata do mundo dos espíritos, eu sempre fui cuidadoso, porém, curioso, sempre fiz pequenos rituais de invocação de espíritos e visitas à lugares supostamente assombrados.
Um dia, eu fui a casa de uma amiga, que tinha me convidado para almoçar, e para tirar o Tarôt dela, e de outra colega da faculdade. Depois do almoço, a gente assistiu o grito 3, e a mãe dela (uma troll) botou uma peruca preta e pulo encima da gente, claro que a gente quase se urinou, pq pudera, bem no clímax do filme tudo apagado vem aquela coisa, mas foi bem divertido, lembrando hoje a gente dá boas risadas. Enfim, algumas horas depois, nós fomos para o pátio do prédio dela, e entramos no salão de festas, ele era bem escuro, e o chão era sujo e empoeirado, era cheio de teias de aranha e sombras estranhas q pareciam pessoas, mas, era o único lugar que não batia aquele vento típico de pátio-de-prédio que fica a 1000 km por hora -q
Brincadeiras e risos a parte, eu abri minha caixinha de bruxo (que nada mais é do que um baúzinho velho cheio de velas,ervas e etc) ascendi uma vela preta, uma branca e uma vermelha, montei a toalha de Tarot e comecei a seção. Estava indo tudo muito bem, até que a minha outra amiga, que estava entediada, teve a idéia de brincar de “tábua Ouija”, eu por um acaso, tinha um daqueles triangulozinhos furados, que tem 3 patinhas arredondadas, e a dona da casa, tinha um tabuleiro de xadrez.
Estava resolvido, com um pedaço de papel, escrevemos ‘sim’ e ‘não’ nas extremidades, e o alfabeto no meio. Eu comecei brincando, apaguei as velas branca e vermelha, virei a toalha de tarot de ponta cabeça (invertendo o pentagrama que tinha desenhado nela) , estendi a carta do ‘diabo’ a frente de tudo, e disse meio que rindo “Se houver algum espírito aqui, se manifeste, nos dê um sinal !” eu até dei aquelas enfases de vidente de filme, pra assustar mais as meninas. Eu levantei meus braços e chacoalhei eles no ar, só de brincadeira, só que a brincadeira acabo rapidinho, quando a única porta de madeira do salão de festas (a qual nós nem tinhamos idéia que estava aberta, já que ela ficava no canto escuro da sala) bateu com tudo, e ecoou super alto e o vendo que ela fez, apagou as velas. Eu fiquei SUPER assustado, minhas amigas falaram q eu fiquei até meio pálido, eu levantei, e falei que não queria mais brincar daquilo, eu ia começar a guardar as coisas quando minha amiga me deu um pescotapa KKKKKKK (sim, isso mesmo)
e mando eu largar a mão de ser viado, e continuar na brincadeira, eu fiquei meio okay, mas continuei do mesmo jeito. Então eu falei que, se fosse pra continuar, primeiro fossemos ver o que o espírito ( se fosse mesmo um) queria, então colocamos os três o dedo naquele negócinho triangular, e eu perguntei bem alto e claro, o que ele queria. Quase na hora aquele treco começou a se mexer, eu JURO que eu não tava mexendo, e as duas também falaram que não queriam, só que eu não acreditei, falei que elas só tavam querendo me assustar e que isso não tinha graça. Só que elas ficaram sérias também, porque realmente não estavam fazendo nada, então, o negócio se mexeu, mexeu, mexeu, e a gente retirou a seguinte palavra : Temerarium.
Ficamos todos assustados de mais pra continuar, pegamos nossas coisas e saímos. Quando entramos no apartamento dela de volta, a mãe dela estava chorando com um tercinho na mão. Parece que enquanto estivemos fora, os pratos do almoço se jogaram sozinhos no chão, sendo que estavam dentro da pia, e apesar de estar na sala, ela ouviu e foi olhar e ficou aterrorizada. Sério, o mais sinístro vem agora, alguns dias depois, durante um cursinho extra que eu faço de antropoligia, meu professor estava falando (por alguma razão que eu nem lembro) sobre erupções vulcanicas, e como certos mitos antigos, transcritos recentemente do grego e do latim, fazem referencia a premonições em relação ao “episódio” Vesúvio, e outros, e como o mundo espiritual estaria ligado à isso. Agora você deve estar se perguntando, o que isso tudo tem a ver com a nossa experiência paranormal, jogue no Google tradutor, do Latim para o português, a palavra Temerarium, e descubra por que, essa experiência foi perturbadora em todos os sentidos possíveis.

– Tá bom! Tenho um respeito tremendo sobre o mundo espiritual e nem f… faria um tipo de brincadeira dessa. Pois é, galera. Volto a repetir: não mexam com quem está quieto. Ah! Temerarium quer dizer erupção. Relato bizarro, não?!

#05

Nome: Luiz

Bem meus relatos são sobre Clarividência , tenho isto há muito tempo , que eu lembre de fatos que realmente aconteceram deve ser a partir dos meus 11-12 anos , porém sei que ja passei por casos de Clarividência antes , mais não lembro destes relatos , porém eles estão parando , ficando mais raros , estou muito triste com isso , pois gostava bastante quando eles se realizavam , derrepente estajam ficando raros por eu estar ficando mais velho e geralmente são pessoas novas que sentem mais estes fenomenos , agora vamos contar um pouco os relatos , são muito , mais de 100 que ja tive e se realizaram , fora os que ainda podem se realizar.

Tais como eu sonhar que estava atendendo um cliente x , com nome y , roupa tal , com o carro x com a cor y , e devido problema e no outro dia , ou outra semana aparecer está pessoa em minha empresa , com todos os itens batendo minunciosamente. isto aconteceu muitas vezes , e geralmente a concretização do sonho não passava de 3 semanas após o sonho.
Inumeras vezes também sonhei de ter ido na padaria e pedir TANTOS PAES comprar mais algo ( exemplo QUEIJO , TODDY , BALA ) e dar um valor X em que todos o itens fechavam com centavos e tanto as minhas falas quanto a da atente se repetiam sem trocar uma virgula se quer , além de estar tudo organizado exatamente igual ao sonho , muitas vezes em estabelecimentos que jamais havia visto nem estado, a muitas outras vezes que aconteceu mais não irei contar tudo aqui também são apenas exemplos , porém todas as vezes que aconteceu comigo tudo estava perfeitamento igual ao sonho , por isso acredito que não seja coencidencia , pois inumeras vezes centavos bater com centavos , pessoas que não conhecia serem iguais ao meu sonho , roupas iguais , acessórios etc…
Porém os relatos mais bizarros foram de quando os meus avós faleceram , o primeiro eu tinha cerca de 5 anos , estava no quarto vendo tv , quando fui até a cozinha olhei para a minha mae e disse MÃE O VÔ MORREU deu cerca de 20 seg , o telefone toca com a minha vó desisperada dizendo que meu avó acabava de morrer , no segundo eu devia de ter uns 11 anos ou 10 , era madrugada e o telefone toca imediatamente acordo chorando e sabendo que meu outro avó tinha morrido , meu pai vai atender e o que eu já sabia estava confirmado !
o relato mais bizarro que tive mesmo foi quando eu tinha 12 anos , estava dormindo e sonhando que estava andando de ”bike” , quando derrepente eu acordei , acordei mesmo , estava deitado , flutuando a uns 5 – 8 cm da cama pedalando muito muito rapido ( minhas pernas estavam pedalando mesmo ) fiquei naquela de flutuar pedalando por cerca de 1 segundo e meio , 2 seg. , foi algo muito rapido porém para quem já passou por algo parecido , parece que são 30 seg. , eu olhava muito assustado pra todos os lados , quando derrepente eu fui arremessado , arremessado mesmo com violencia para o outro lado do quarto , cerca de 3 mtrs , bati com o corpo e a cabeça na parede , chegou a cortar minha boca , sangrar meu nariz e fiquei com um galo grande e roxo na testa , logo em seguida minha mae corre pro meu quarto perguntando que barrulho fui aquele , nao contei nada para ela , disso apenas q cai da cama , o galo e a boca e nariz sangrando ela achou que foi da queda , sei que até os que mais acreditam nessas coisas ficam receiosos em acreditar , mais juro que aconteceu !

– No mínimo intrigante. Pretendo falar de levitação em meus posts futuros.

#06

Nome: Ravi Lima

Sou técnico de Enfermagem e durante um estágio na disciplina de Pronto Socorro no Hospital Regional de Taguatinga, estava eu no PS qd chega uma senhora de aproximadamente 75 anos tendo um IAM (Infarto) a senhorinha estava muito cianótica (roxa) havia passado na frente de todos os pacientes da emergência (na fila isso acontece qd a situação do outro é bem pior que a sua) e tinha só um cardiologista de plantão. Me mandam chamá-lo, qd bato na porta do repouso ele me diz que estava em horário de almoço e não atenderia, o fela negou socorro mesmo.
Passado alguns minutos esse tal médico sai louco procurando pela paciente, o tel. dele havia tocado e… ERA A MÃE DELE!
Quando ele finalmente resolveu socorrer já era tarde.

Em seguida perguntei pra professora: -E agora? Será q ele vai negar socorro a mais alguém?
E ela me responde:
Acho q sim, a mãe dele já morreu mesmo!

– Sério! Esse relato me deixou triste. Isso é o exemplo verdadeiro de que isso pode acontecer com qualquer um de nós.

#07

Nome: Janis

Esse caso aconteceu em 2006 na época eu fiquei bem assustada mas como quase todos meus amigos acharam que era alguma brincadeira e não me levaram a sério eu meio que esqueci desse fato, só lembrei dele lendo as histórias que foram publicadas aqui.

Como eu disse foi em 2006, eu estava a tarde na escola (fazendo uma recuperação de física), se não me engano o horário era entre 6 e 7 da noite (me lembro que já estava escuro e os corredores da escola estavam um breu só) quando eu e meus amigos resolvemos tirar algumas fotos. Tiramos aproximadamente meia dúzia.
Após tirarmos as fotos cada um foi pra sua casa sem notar nada de estranho, até que quando eu passei as fotos para o computador e as vi ampliadas quase cai de costas.
Na imagem pode-se notar uma forma humana no final do corredor usando roupas muito diferentes (parece usar chapéu e uma capa)
Na época eu usei alguns filtros para poder ver melhor os detalhes (acho que por isso as pessoas acharam que a imagem era fake), e por isso coloquei os círculos, mas garanto que a imagem é real.
Detalhe: não tinha mais ninguém na escola além de nós e o professor e as portas no final daquele corredor estavam fechadas.

– Você poderia ter nos enviado a foto caso ainda tivesse-a, Janis. Geralmente as fotos captam espíritos e não me perguntem o porquê. Logo, vou pesquisar mais sobre isso.

#08

Nome: Dani

Bem, hoje são poucos os casos que me acontecem, as vezes sinto presenças e tal, mas isso já é tão comum que nem dou mais tanta atenção.
Em 2004 que a coisa pegou, na época eu fazia parte de um coven de Wicca (grupo de pessoas que praticam mágia branca), nessa época eu estive muito sensitiva, tive várias visões que realmente aconteceram e toda vez que ia acontecer algo ruim eu passava muito mal.
Porém o caso que quero relatar é um outro.
Certa noite estava em casa sozinha, na sala, era por voltar de umas 20h30, 21h hora. Me lembro porque era o horário que minha mãe estava na igreja, enfim, eu estava vendo TV e ouvi um barulho estranho no quarto, então abaixei o volume da TV pra tentar ouvir de novo, e ouvi, subi olhei tudo, não vi nada de diferente. Então desci e voltei a ver TV. Novamente o barulho, subi de novo e nada. Desci, novamente o barulho, sai procurando em tudo, todos os comodos, banheiro, dentro do guarda roupa, olhei tudo e não tinha nada. Em cima da cama estava minha guitarra, uma Jennifer que comprei sabe-se lá de quantas mãos, bem surradinha a coitada, mas dava pro gasto, sentei na cama e resolvi tocar a guitarra, quando fiz o primeiro acorde. BAM!
Era esse o maldito barulho que eu escutava. Foi um mega susto, até porque costumo deixar a guitarra e o violão com as cordas para baixo, era impossível sair qualquer som dalí. Mas era o maldito barulho que eu havia escutado. Na época fiquei me cagando, até me arrepia as vezes quando comento e tenho um certo receio dessas coisas. Mas sempre me acontece algo…

#09

Nome: Isaqueras

Olha eu poderia ficar horas digitando minhas experiências sobrenaturais, porém me ligo em coisas mais palpáveis, tais como a inesquecível vez em que conseguimos levitar.
Eu sou cético pra essas coisas no que dá e não dá, por isso tentei fazer a experiência.
Em cinco, pusemos um amigo sentado em um banco de praça, cada um colocou os indicadores de forma a apenas tocar um cara nas costas de um joelho o outro no outro joelho, um na axila direita e o outro na outra axila, dizer um de cada vez “ele levanta” e suspender ao último dizer. Fizemos isso umas 100 vezes e não deu certo. Um dos caras já havia dito que precisava concentração e fé. Daí resolvi me concentrar como se realmente eu tivesse poderes (que mico hehhe). Mas não é que deu certo. Levantamos ele a uns 60 cm, mas dai nos desconcentramos e ele caiu estupefado com o ocorrido. Na segunda vez foi com o outro cara e por todas as vezes, levantamos até a minha vez, onde cheguei a uma altura de uns 150 cm do chão. Mas depois de mim não conseguimos mais. Tentamos um monte, mas não logramos êxito.Foi uma experiência indescritível, Procurei explicação científica inclusive no departamento de física da faculdade local e me chamaram de lunático e mentiroso. Mais bizarro que isso só um gato que eu vi descer 4 andares fa fachada de um prédio como se estivesse andando na calçada, mas essa eu não tenho como provar e vai ficar na minha memória como a coisa mais louca que eu já vi na minha vida. E detalhe… eu não estava drogado e nem tinha bebido, estava trabalhando.

– Não sei porque mas eu tendo a acreditar nesses relatos. O nosso conhecimento científico é ínfimo se compararmos daqui a 1~2 mil anos. Não é só porque não há explicações agora que não existem explicações. Como uma amiga uma vez me disse: “As verdades não são absolutas mas são as certezas que temos em um determinado momento.”

#10

Nome: M.

O meu relato trata-se de uma tentativa de estupro contra minha namorada.
Ela tinha começado a trabalhar a pouco tempo numa agência, na qual o pessoal faz filmagens de lugares turísticos de vários estados,e minha namorada era uma das modelos.

Era a segunda vez que ela fazia uma viajem para essa agência,na qual ela iria para a cidade de Redenção no estado do Pará.
Feito as filmagens e tudo mais,ela recebeu parte do dinheiro,e iria fazer um depósito no banco.Pediu um moto táxi. No meio do caminho,ela percebeu que o percurso feito pelo piloto era errado, ele estava se afastando da cidade,ela perguntou para onde ele estaria indo, e ele apenas deu uma risada sarcástica.

Ela viu que algo estava errado e começou a se desesperar,logo ele anunciou um assalto,e disse que ela iria ”ficar” com ele, caso contrário ela teria que saltar da moto, (a velocidade era aproximadamente 70 a 80 Km/h) ela não sabe como pilotar,mas ainda tentou brecar a moto mesmo estando de passageira,mas de nada adiantou. Ela acabou optando por pular,teve machucados muito feios no,pé e no joelho. O cara voltou e disse para ela que era uma brincadeira,que não era pra ter pulado. Ela estava no meio do nada,não sabia voltar sozinha para a cidade,por fim acreditou nele e subiu na moto. Ele foi em direção à cidade,mas antes de chegar, ainda pouco afastado,ele parou a moto,violentou e tentou tirar a roupa dela,e expôs seu órgão genital. Ela correu e pediu ajuda a um homem que passava por ali,o assaltante/estuprador se intimidou e fugiu.

Ela voltou para o hotel aos prantos. e me ligou por volta das 9:10 da manhã e me contou o que aconteceu. Eu,mesmo recém acidentado de moto,ainda com 9 pontos na cabeça não pensei duas vezes, fui na casa do meu pai pois sabia que ele estava viajando (meus pais são separados), e peguei a arma dele. Logo depois liguei para um amigo e ele me levou de carro até Redenção (aproximadamente 3 hrs de viajem).

Chegando lá ela já tinha feito todo o procedimento da ocorrência e estava a caminho do hospital. Por sorte, o policial que nos atendeu é muito amigo da minha cunhada que também é policial civil,mas mora em Brasília. O policial ficou muito indignado com a situação também.

Eu chamei o policial de lado e lhe ofereci R$ 2.000,00 se caso achássemos o FLIHO DA PUTA e deixasse ele sobre minha ”tutela” e de meu amigo. Pra quem não conhece o estado do Pará,ele também é conhecido como ”O estado sem lei”. Nem preciso falar que o policial aceitou. Minha namorada sabia o nome do bandido,contou para os policiais e fomos atrás dele logo após a saída dela do hospital. O policial me mostrou onde o cara trabalhava era numa oficina, era casado e tinha 2 filhos. O policia não podia ir até lá porque se ele pegasse o bandido e o mesmo aparecesse morto depois,iria complicar muito pro lado da polícia. Eu e meu amigo chegamos lá. Ele mesmo mesmo veio atender a gente. Eu perguntei se ele era o Hugo,ele disse que sim, falei pra ele que a gente era de fora, e que outro carro que tava com outro pessoal nosso tinha quebrado, e pedi que ele fosse nos ajudar.

Creio que ele não desconfiou de nada (vai saber ele não tá mais aqui pra contar história) e entrou no nosso carro.

O policial levou minha namorada pra rodoviária. Eu e meu amigo levamos o bandido pra um local distante,eu contei ao bandido quem eu era, e o porque ele estava ali com a gente. Nesse momento,ele percebeu o que iria acontecer começou a falar que tinha família e tudo mais.

As cenas de tudo que minha namorada tinha dito para mim ainda ferviam na minha mente. Apontei a arma para ele, e mandei se ajoelhasse,foram infinitos socos,coronhadas e pontapés,e por final 4 tiros, 2 na região do peito e 2 na cabeça. Eu e meu amigo fomos embora.

Hoje, 14 dias após o acontecido,não me arrependo do que fiz.

Pois só eu sei como é a dor do trauma que minha namorada sente até hoje. Não dorme mais de luz apagada, tem pesadelos todas a noites e sempre fica com medo quando vê alguma moto como a do bandido, uma Bros vermelha.

Bandido bom,é bandido morto! Eu não julguei ninguém,o trabalho de julgar é de Deus,eu apenas promovi o encontro entre eles.

– Não tenho nem comentários. Mas que deu raiva desse pela saco estuprador covarde, deu. Faz merda e pensa depois.

#11

Nome: Igor-O

No ano de 2006 aconteceu uma coisa q até hoje me deixa pensativo, na épocaeu tinha acabado de ganhar um PS2 e como era bloqueado eu fui alugar uns jogos, eu queria alugar um jogo chamado Figth Club, só q sempre q eu tentava alugar ja estava alugado, numa noite de sexta pra sábado eu sonhei q tinha conseguido alugar esse jogo, logo q acordei fui até a locadora e consegui realmente alugar, até aqui td bem um sonho se realizando, o problema é q na msm noite eu tive outro sonho q parecia mto real.
O sonho era q eu estava dentro de um bar q tem aki perto da minha ksa e um cara chegou e puxou uma arma e começou a atira em um outro q estava na entrada do bar e eu vi tudo e deitei no chão com medo, logo depois acordei assustado.
No dia seguinte depois q aluguei o jogo, fiquei o dia todo jogando, quando estava a tarde, eu curtindo o game e me assustei com varios tiros na rua de trás, depois fui ver e era exatamente no bar do sonho q tive, um cara matou o outro do msm modo q eu sonhei, porém eu não conhecia o cara q morreu, depois disso fiquei com medo de alguns sonhos.

– Clarividência? Coincidência? Tirem suas próprias conclusões.

#12

Nome: Marina

Essa é a história de um amigo,ele me pediu que eu escrevesse isso ele ainda não tem coragem de falar sobre isso.
Meu colega era aparentemente filho único,mas a mãe dele um dia tinha ficado grávida mas o irmãozinho dele havia morrido com 1 ano de idade os pais dele ficaram muito chateados e resolveram tocar no assunto.Mas quando ele completou 9 anos de idade coisas estranhas começaram a acontecer,ele via vultos pela casa e quando ele fechava a porta de casa,mesmo estando trancada ela sempre abria sozinha,certo dia depois que o pai dele havia morrido há mais ou menos 2 anos eles estavam limpando o porão e encontraram uma porta que dava mais pra baixo.
Lá eles tiveram uma assustadora surpresa havia um caixão eles abrirão e lá tinha um esqueleto,por que já tinha se passado muito tempo.A verdadeira historia era que o pai dele havia ficado com o caixão pois ele tinha ficado muito triste,hoje em dia ele não toca no assunto,mas me pediu pra escrever isso ele disse que as aparições pararam depois disso!

– Caramba! Que história trash.

#13

Nome: Tammy

Ola, bem o que estou para contar aconteceu não só comigo mas com mais outras pessoas em ocasiões diferente e em épocas diferentes, por isso posso dizer que este fato é mais um motivo para dar ao meu relato uma alibi maior.

Cheguei ao Brasil faz pouco tempo, depois de morar 8 anos fora como é de se imaginar estranhei muita coisa aqui quando voltei, os costumes, tradições e tudo mais, pois fui embora muito novinha.
Quando voltei tive que ficar na fazenda do meu avo por uns 3 meses ate prepararmos (mobiliar) a casa que tínhamos comprado. Neste período em que ficamos na fazenda vários episódios estranhos aconteceram, mas o mais assustador foi este:

Quando voltei tive que tirar minha carta de motorista tudo de novo pois a que eu tinha tirado no exterior não é valida aqui, e como tinha aprendido a dirigir do outro lado do carro e do outro lado da pista falei para meu primo que dirige super bem me dar umas aulinhas antes de começar a tirar minha carta aqui. Então fomos nós dirigir na pampa do meu avo, (claro que ele não iria dar o carro novinho dele para eu dirigir, então ele deu a pampa dele que ele usa para fazer os trabalhos da fazenda).
Dirigimos bastante pela fazenda afora pois lã é um lugar montanhoso e civilização bem afastada, quase não se vê carros por perto, os únicos que se vê são os carros dos fazendeiros mais próximos, então não havia muito perigo para eu bater em outros veículos. Decidimos ir mais longe dentro as montanhas, (essas montanhas que eu digo são trilhas em morros, porem estradas muito boas pois meu avo gasta uma fortuna por ano para mandar os tratores espalharem cascalho para a estrada ficar boa), então, chegando a um certo ponto dessas trilhas existe uma encruzilhada, que como a maioria de vocês devem saber os macumbeiros usam para fazer as suas “obras”. Mas ai tudo bem, nem demos muito a pensar nesse assuntos, decidimos voltar para a fazenda antes que meu avo desse um chilique, na volta, descendo esta encruzilhada do nada entra um cachorro na frente do carro e me faz virar com tudo e bato a pampa querida do meu avo em uma arvore. Ai ferrou tudo, foi eu e meu primo voltando a pé para a fazendo com cara de criança levada que fez arte, e com um medo terrível do meu avo.
Mas chegando la, entramos super em silencio e nas pontas do pé pela a casa para não chamar a atenção dele, mas ele nos viu e começou a rir sem parar, não intendemos nada, e ele falou que estava com o pressentimento que isso iria acontecer, ( vocês sabem como são os avos, sempre pensando que eles sabem tudo melhor que nós, e que nossa geração esta perdida, kkk) mas ele só ria, rimos também, mas eu estava me sentindo culpada por ter batido a pampa dele, ( destruiu a frente da pampa, e não capotou por pouco) então voltamos com ele e com o caminhão dele para puxar a pampa ate a fazenda. Ate ai meu avo sabia que tínhamos batido mas não sabia o local, chegando, meu avo viu a pampa e a arvore e ficou branco, nunca tinha visto ele tão pálido como aquele dia, foi uma mudança e tanto pois a minutos atras ele não parava de rir de mim e me chamar de navaia. Só eu percebi a mudança dele, meu primo não percebeu, mas resolvi deixar quieto o assunto e talvez mais tarde perguntar do que se tratava.
Mas tarde resolvi perguntar do que se tratava aquele reação dele, ele me contou:
Á 10 anos atras, ele estava voltando da igreja com a minha avo, ( só moram ele e minha avo na fazenda, e os animais rsrsrs, o resto da família só visitam eles nos finais de semanas)
eles estavam passando por aquele mesmo trecho do caminho aonde bati a pampa, quando ele sente que a parte de traz da camioneta (é caçamba que se diz?) ele tinha uma F250 na época, então ele sente que a caçamba ficou super pesada e que o peso “invisível” estava tanto que fazia ela tocar o chão, a camioneta não andava mais, ele ficou arrepiado e minha avo morrendo de medo, ele decidiu sair e ir olhar o que tinha acontecido, eles não estavam atolados, nem tinham empacado em nada que pudesse ter feito isso com a camioneta, ele voltou para o carro e tentou sair mais uma vez, mas ainda não andava e o peso ainda estava lá, foi quando ela começou a balançar, como se tivesse alguém na caçamba pulando igual um doido, ele olhou para traz, acreditem se quiserem ele viu 3 chimpanzés enormes pulando na caçamba dele, foi quando ele começou a pedir para Deus livrar eles disso e fazer aquelas coisas irem embora ( meu avo é um homem muito religioso e ele já esta meio acostumado a passar ou ver essas coisas sobrenaturais) minha avo não viu nada mas ela sentia o peso sobrenatural que não deixava o carro sair do lugar.
Do nada a camioneta começou andar mas como se fosse arremessada para longe, e advinhem aonde eles foram bater?
Na arvore que eu bâti a pampa

Galera, quando ele acabou de me contar isso meus pelos do braço estavam todos arrepiados e eu tremia de medo.
Coincidência ou não foi muito bizarro

Isso foi uma das coisas estranhas que aconteceu comigo por lá, mas sao coisas leves, querem alguém que conte coisas pesadas? meu avo tem muitas delas, ;p

ate mais galera

– Tammy, seja esse elo entre o seu avô e a gente. Conte-nos! Ah! E relato bem esquisito por sinal.

#14

Nome: Gustavo

Hoje demanha as 5 da manha, quando sai de casa para pegar o onibus, estava escuro e com uma nevoa (cidades aqui dessa regiao do RS sao muito umidas) caminhei uma quadra em direçao a parada de onibus e olhei para traz pois sou muito precavido em relaçao a assaltos. Tive um dos maiores arrepios da minha vida e meu coraçao acelerou. O que eu vi foi um senhor parado olhando para mim, desviei o olhar e dei mais uns passo e olhei novamente, ele ainda estava la e eu tive outro grande arrepio. Eu passara ao seu lado e nao o percebera. Ele ficou me olhando e nao se mecheunem um pouco. Nao pude ver muito bem pois estava sem oculos, tenho 0.5 grau de miopia.

Acredito que aquilo foi somente uma imagem formada por meu inconciente para tentar compensar minha falta de visao. Porem nunca senti tanto medo em minha vida.

– Talvez sim, talvez não. Quem sabe?

#15

Nome: Micael

Um dia fui à casa de um amigo (kizitu é o apelido dele), com minha ex (Anielli) e um outro amigo (Leoni). Como de costume fizemos café e fomos conversar, jogar videogame etc, até que eu tive a ideia de jogar Ouija ( jogo do copo ).
Anne nao concordou nada com isso pois estava com medo mas eu, Leo e Kizitu fomos jogar.
Pegamos a tábua do Kizitu (sim, ele tinha, foi um presente de um amigo do ensino médio), e começamos a jogar. No começo nao aconteceu nada mas, por incrível que pareça, a peça começou a se mexer, perguntamos o sexo, nome, idade da morte, a quanto tempo tinha morrido e a quanto tempo estava naquela casa. Era um homem chamado Carlos PAIVA (meu último sobrenome é Paiva), morreu com 87 anos há 56 anos atrás e estava naquela casa a 2 horas ( tempo que eu estava lá ). Anne ficou com medo e ameaçou ir embora, pedimos que ficasse mas ela nao atendeu. Quando ouvi barulho de maçaneta, decidi ir pará-la mas, quando tirei meu dedo da peça caí no chão.
Leo me levantou e perguntou o que havia acontecido mas eu nao conseguia responder e foi aí que descobri que estava consciente mas nao conseguia fazer nada, estava todo mole e sem controle de mim mesmo. Eles me deitaram na cama do Kizitu e eu apaguei completamente. Depois de 4 horas eu acordei. Eles haviam chamado o pai do Kizitu para me ajudar mas ele estava trabalhando e nao foi.
Depois disso voltei ao normal fisicamente mas, até hoje, tenho sonhos estranhos em que saio do meu corpo e me observo na cama, que perco meus sentido e fazem o que bem querem comigo e que simplesmente morro (quando eu morro no sonho eu acordo imediatamente).
Bom, gente, essa é minha história. Xau.

#16

Nome: Warley

Olá Galera.. Meu relato é um tanto esquizito .. hehehe bem estava eu uma noite dessas mexendo em meu computador la pelas 3 da madrugada. quando ouvi um barulho num portão que tem perto da lavanderia, parecido com que se fosse alguem batendo, levantei e fui la checar acendi a luz e nao vi nada de estranho, so que derrepente algo bateu no portao, foi tao forte que o cadeado que tinha chegou a balançar.. procurei se era alguem mais nao tinha ninguem sai de perto e resolvi ir dormir.., se passaram 3 dias um primo meu que mora em Goiania veio nos visitar, chegou aki em casa e tudo certo .. fui ligar para um amigo e fui para perto do portão nao me lembro quem era, quando eu estou ligando para ele eu vi uma pessoa vindo em minha direção muito parecido com meu primo veio rapido dei uma afastada para que eu pudesse falar com ele mais quando olhei derrepente para a tal pessoa ela simplismente sumiu.. desapareceu … nao tive reação fiquei calado vendo akilo meu amigo chegou a perguntar o pq que eu tinha calado no telefone, eu nao disse nada pra ele fiquei meio abismado .. mais nao me liguei muito pois nao tenho medo dessas coisas..

hehhhehe estranho pacasss..!

Vlww..

#17
Nome: Danielli

Olá meus queridos bizarrinhos do IÉB ^_^
O meu relato é referente a alguns sonhos que tenho que quase sempre me deixam apavorada.
Em 2010 aproximadamente, quando ainda morava em SP, tive dois sonhos neste ano que me deram uma certa afinidade com o sobrenatural, certa vez sonhei que um amigo do meu pai havia falecido , e que ele estava sendo velado em minha casa , acordei meio abismada com isto e contei a minha mãe, se passou 2 dias, e então um amigo do meu pai veio a ser assassinado, só que este homem que havia sido morto não era o mesmo do sonho. O outro sonho que tivera foi que um ”avô” meu havia falecido , só que este homem já havia falecido há muitos anos, e logo depois disso veio a falecer minha bisavó .Eu vejo vultos em minha casa, escuto meu irmão menor chorando pelos cantos , quando vou ver não há nada , certa vez, quando estava em meu quarto, vi um rosto me encarando na janela.

Agora, caso queiram, preencham o formulário com o seu relato bizarro.

Written by DraftL

O que está em cima é igual ao que está embaixo e, o que está embaixo, é igual ao que está em cima, para realizar os milagres de uma coisa única.

Comentários