,

Relatos Bizarros #10


Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Pessoas machos, pessoas machas fêmeas, fêmeas machos, machos fêmeas, indecisas, heteros, deficientes e afins: AQUELE ABRAÇO!!!

Aquele abraço porque hoje é SEXTA-FEIRA! Dia de aterrorizar o fígado, a vagina, o ânus e o pênis! Hahaha!

Bom pessoas, estou meio “sumidinho” pois estou estudando bastante como foi explicado no ultimo Relatos Bizarros, e se não foi, problema! Eu não me lembro! rs

MAS, de forma alguma vos deixareis órfão de uma das categorias mais elucubratórias (chance boa de usar essa palavra – pesquisem sobre ela) do site.

Somente a título de conhecimento, gostaria de mandar um super abraço para o Dani Frankenstein, Edu Rorscharch, Luiz Primo Itt, Fabiano Freeza, Cayky Nissim Ourfali, Isis Succubus e para mim, Draft Kid Bengala (imagina o que é bizarro nele? Pois é…) pois hoje é o nosso dia! Vamos bater no peito, vamos gritar amém, aleluia, saravá, hadouken e SOMOS FODAS! Hoje é o dia do blogueiro! o/

 

Não sabe como enviar o seu relato? Simples, meu chapa!

Há três meios

O primeiro: basta clicar aqui e você será direcionado à nossa página de relatos.

O segundo: envie-nos um e-mail -> [email protected]com

O terceiro: basta começar a ler os relatos que, ao final, haverá um formulário idêntico ao da nossa página de relatos para preencher com sua história surpreendente.

A título de esclarecimento: se o seu relato não apareceu aqui, não fique chateado. Nas próximas semanas ele com certeza aparecerá. Eu posto os relatos por ordem de chegada. Basta só aguardar. Semana que vem tem mais, não se preocupem! :)
Seus relatos com certeza aparecerão só basta esperar!

Vamos começar então? Bora! :)

#01

Nome: Isabela

Eu e minha irmã dormimos juntas todos os dias , até que um dia eu estava dormindo quando escutei o barulho de alguém lavando a louça e pensei “Minha mãe , lavando a louça a esta hora ?”ai logo fui no quarto da minha mãe e ela estava dormindo , ai o barulho parou e fui para minha cama e dormi , no dia seguinte o mesmo aconteceu , eu fiquei aterrorizada e perguntei a minha mãe quando amanheceu “Mãe oque minha avó(falecida) gostava de fazer ?” e ela respondeu “Lavar a louça , por que ?” e eu disse “por nada não” 3 dias depois eu estava acordada na madrugada quando vi alguma coisa deitada no meu sofá , logo acordei minha irmã e falei “Olha olha !!” ela olhou e disse “a nossa mãe dormiu no sofá idai ?” ai eu disse “Não ela esta na cama já confirmei” e ela foi confirma e ficou assustada , depois de uns meses sem problemas , minha mãe começou a ir na academia com minha irmã e um dia eu escutei vozes e vi vultos , fiquei muito assustada , ai contei a minha mãe tudo que aconteceu , ela foi em um centro espirita e lá eles disseram que eu via e escutava espiritos , e que minha irmã só viu uma luz branca nada de mais , e até hoje eu vejo e converso com espiritos.

– Vish! O apego pelos hobby material foi tão grande que até mesmo após desencarnada ajudava a galera lavando a louça. Por acaso o nome de sua avó era Amélia? ;)

 

#02

Nome: Felipe

bom esse relato aconteceu atualmente, tenho um grande amigo de infância, e fazia tempo que não falava com ele, quando um dia passei o dia me lembrando dele e uma coisa me avisando pra eu ligar pra ele que tinha alguma coisa, eu liguei e fiquei sabendo nesse dia que o pai dele estava no hospital por ser ex fumante fiquei sabendo que ele estava com um problema no pulmão que eu nunca soube o que era, sei que passou um tempo e ele foi pra casa. Um dia eu voltando do trabalho indo pra aula veio uma voz dizendo pra eu ir pra casa, eu quis teimar e ir pra aula, mas a voz falou denovo e falou mais alto, entao decidi nao teimar denovo, chegando em casa vejo um carro parado em frente a casa dele parecido com uma ambulância. Quando eu entro em casa ja vou pegando o telefone pra ligar pra ele pra saber se o pai dele tinha piorado, não deu nem tempo eu pegar o celular meu pai ja foi logo dizendo: “soube o que aconteceu? o pai do pedro faleceu!”. Dei meia volta e fui la, e vi que o que eu pensava ser uma ambulância na verdade, era um carro funerário. A voz que eu ouvira estava certa, da onde veio nao sei, mas essas sensações sempre me acompanharam!

– Estranho, viu?! Bem curioso.

 

#03

Nome: Rodrigo

Eu já me considerei ateu por muito tempo e hoje me considero cético.
O fato aconteceu a muito tempo atrás comigo, eu devia ter de 7 a 11 anos, não lembro exatamente. Estava eu na casa de um primo brincando de se esconder com mais alguns primos e amigos, la fui eu correndo me esconder deitado entre a cama do meu tio e a parede de modo que por debaixo da cama eu conseguia ver quem entrava no quarto, de repente eu vejo alguns pés caminhando em direção a cama (não me lembro a fisionomia dos pés) e subindo na cama, logo imaginei que meu primo tinha me achado e me levantei e então me deparei com uma cama vazia e não sei por que eu voltei a me esconder e continuei normalmente com a brincadeira.
Agora que vem a parte interessante da historia, o avô do meu primo havia falecido a pouco mais de um ano antes deste fato e aquele quarto do meu tio era antigamente do pai dele, ou seja, do avô do meu primo. Por isso na época não quis tocar no assunto, e também por que ninguém ia acreditar em uma criança.
Sigo muito cético em relação a tudo mas isso até hoje me deixa muito curioso.

– Pode ter sido a sua imaginação também. As crianças são uma dádiva de Deus por que elas conseguem ver espíritos com mais facilidade e tem uma maior imaginação – algo que a idade adulta suaviza devido ao nosso suposto entendimento de mundo. Tabula Rasa de John Locke.

 

#04

Nome: Michel

Bom, aconteceu o seguinte, eu tinha um tio chamado Renato, ele morava em POA, em Janeiro como de costume, uma parte de minha família foi pra lá, visita-lo, faziam o de sempre, almoçavam e depois iam passear pela cidade, que é muito bonita né, então foram em uma parte onde o Rio Guaíba estava sendo aterrado (não sei direito se era isso, pois é oque me contam.) estavam caminhando por lá, quando cai meu primo Daniel e minha prima Luciana (ambos sobrinhos de meu tio Renato) caem dentro de um buraco com lama e água, meu tio sem pensar duas vezes pula no buraco e consegue salvar minha prima, e volta lá para tentar salvar meu primo, mas passou-se alguns minutos e nem um dos dois voltou, nesse tempo minha mãe estava quase pra me ganhar, no dia 24 de Janeiro de 1994, os corpos de meu tio e meu primo são encontrados já sem vida. No dia 31 de janeiro de 1994, dia da missa de sétimo dia deles, minha mãe estava no hospital, dando a luz, eis que nasce eu. Depois desta tragedia na família, eu virei o xodó, pois em um momento de muita tristeza da família, vem uma criança e da um pouco de alegria pra todos, principalmente pra minha tia que perdeu o filho. Aí começa a parte “estranha” (não sei se seria isso que eu poderia dizer, mas enfim.) Certo dia, minha mãe estava lavando roupa no tanque, que ficava ao lado da porta de entrada da casa, (conta ela que sempre que meu primo Daniel ia lá, ele dava um assovio para ela saber que era ele) minha mãe ouve um assovio, semelhante ao dele, percebe que um vulto passa pela porta, ela assustada, corre para ver oque era, e diz ver uma sombra, que parecia muito ser meu primo, ai depois de alguns segundos a sombra desaparece. Algumas semanas depois, nos mudamos para a casa que ficava na frente da nossa antiga casa, e lá, minha mãe disse que eu olhava muito para cima do guarda-roupas e chorava muito. Ela foi a um centro espírita e ela falou que eles que riam me conhecer, mas como criança é bem sensitiva, ela sente a presença, e talvez consiga enxergar. Hoje em dia eu percebo muito vultos nos lugares, sinto coisas em ambientes. Um abraço!

– Bom, eu não entendo muito do mundo espiritual mas, de acordo com “O Livro dos Espíritos”, vez ou outra os espíritos tem direito a dar umas voltinhas e ver como tá o pessoal aqui embaixo. Se alguém tiver maiores explicações, não se intimidem. Comentem!

 

#05

Nome: Jessica

Ola pessoal!
Bom, como boa descrente de tudo eu ainda duvido de mim mesma desse relato, mas a sensação que eu tive na hora foi horrível! Eu sempre senti e vi coisas estranhas!

Eu moro em uma casa grande, um sobrado!
Os quartos ficam no andar superior e todos ligados por dois corredores, quando criança eu tinha muito medo de fantasmas, espíritos e demônios, e eu sempre via sombras, principalmente como se estivessem olhando para dentro dos quartos pelo canto das portas ( como se estivessem bisbilhotando tentando se esconder). Hoje a credito que seja pura imaginação, e formas que os olhos criam!
Depois de um tempo, já crescida e sem ter visto mais nada do tipo, eu resolvi ir dormir mais cedo! E eu sempre dormi de porta aberta e a janela fechada.
Lembro-me que neste dia estava frio, então fechei a janela, fui ao banheiro, voltei para o quarto apaguei a luz e encostei a porta, e dormi!
No meio da noite eu acordei um pouco atordoada, não lembro se sonhei algo perturbador ou se tive aqueles pulinhos noturnos hehe!
Quando sentei na cama, olhei em direção a porta, do lado esquerdo tinha uma sombra muito mais escura que o restante do quarto, e de lá saiu uma mulher/menina (não sei dizer, só lembro que era baixinha) com os cabelos negro e longos no rosto e uma camisola de renda branca.
Foi uma coisa de segundos, assim que ela terminou de sair, correu e pulou em cima de mim. Eu só fechei os olhos e coloquei o braço na frente do corpo, eu senti um baque no peito, tontura e meus olhos escureceram por completo, como se tivesse ficado cega por cerca de 10 segundos!
Eu senti um peso muito grande no corpo, mas que logo passou!
Depois desse dia nunca mais vi nada, nada de sombras, nem senti como se tivesse alguém por perto.
Se espíritos, fantasmas e demônios existem e eu tinha alguma conexão com eles, essa mulher/menina tirou isso de mim!

– Quem sabe não pode ter sido o seu anjo da guarda? Os anjos não tem sexo, logo, podem parecer homens ou mulheres. O cérebro tende a assimilar as coisas. Logo, vulto + escuridão = algo aterrorizante.

 

#06

Nome: Fred

Bom, acho que meu relato não é tãão bizarro assim, mas me intrigou muito quando aconteceu. Certo dia estávamos eu e meu pai indo ao banco. Meu pai estava tentando falar com um amigo dele, mas ele não atendia o celular. Quando voltei da agencia para o carro, vi meu pai tentando telefonar mais uma vez, quando veio à minha mente que ele não conseguiria falar com o amigo pois o seu sogro tinha morrido. Pois bem, alguns minutos depois, o amigo retorna a ligação dizendo que não pode atender pois estava no velório do seu sogro. Fiquei pasmo, simplesmente inacreditável! Depois desse dia, vieram à minha cabela 3 numeros, no qual não me recordo agora. Por curiosidade, joguei na mega-sena, e acertei os 3!
Outro dia, estavamos eu e um amigo entrando na casa do tio dele, ja que tinhamos esquecido a chave, pulamos o portão. Na hora que estávamos pulando o portão, me veio a cabeça que o telefone iria tocar, acordando o vizinho (que era muito próximo). 10 segundos depois que falei para o meu amigo, o telefone tocou! Aconteceu parecido no cinema, mas dessa vez eu não cheguei a falar para o meu amigo, só me ocorreu na minha cabeça.
Aconteceram outras vezes fatos parecidos, como certo dia me veio à mente que um Fusion branco estaria passando na rua. Quando olhei pela janela, lá estava vindo um Fusion branco. Além dos que falei, tiveram outras “previsões”, mas não me recordo muito bem…

– Um exemplo de clarividência bem documentado. Se nós conseguirmos ampliar esse seu sentido, conseguiremos ficar milionários fácil, fácil.

 

#07

Nome: Francielle

Yo povo do IéB! Meu relato não é algo muito interessante… Bem, vocês podem achar o que quiserem, sim?

Bem, eu moro no Rj há 11 anos, não sou daqui. Há alguns anos minha avó materna morreu, um ano depois meu avô materno também morreu, e assim, para a casa não ficar abandonada, minha mãe se mudou para cá (a casa dos pais [praticamente todos os filhos deles moram no mesmo quintal, minha mãe, quando veio pro Rj não fez diferente]).
A casa não é muito grande, mas também não é pequena, são três quartos, que estão divididos, 1 para os meus irmãos gêmeos, outro para a minha irmã e o último para mim e para a minha mãe (meu pai não mora conosco).
Eu geralmente fico o dia todo no meu quarto com a luz apagada, saindo apenas em raras ocasiões.
O que vem “acontecendo” comigo são coisas que se passam na hora que eu vou dormir, pois geralmente durmo primeiro que a minha mãe já que tenho de levantar cedo pra ir pro colégio.
A primeira vez foi no ano passado, não sei o dia nem o mês, mas segue até esse ano… Eu coloquei “acontecendo” por que já não acontece há algum tempinho, mas não afirmo que parou por que eu sei que pode ocorrer denovo.
Quando eu me deito, geralmente fico virada de costas pra porta, olhando para a parede, a primeira vez que aconteceu, eu senti alguém respirando perto do meu ouvido, e sussurrando… não um sussurro, parecia mais arfar… não sei explicar. Eu não entendi as “palavras” (se é que houveram palavras), depois senti um leve frio no meu ombro, como se tivessem tocado nele, e uma leve pressão na parte inferior da cama, como se estivessem subindo por ela em minha direção. Como uma boa corajosa que eu sou, eu olhei para trás, eu não vi nada físico, mas havia uma sombra no canto do meu guarda-roupas, e, apesar do quarto estar TOTALMENTE escuro, dava para ver um pouco da sombra daquilo na parede para o qual eu estava virada anteriormente. Na segunda vez o meu visitante era um pouco desastrado, ele esbarrou no guarda-roupas, fazendo um barulho ( que me assustou -.- ), novamente, quando olhei para trás não tinha nada, também não tinha a sombra, mas tinha o mesmo reflexo na parede à frente do guarda-roupas. Houveram outras vezes, umas 5 talvez, mas não me lembro direito delas, essas são as únicas que tenho lembranças.
Antes disso tudo, antes de eu vir morar na casa dos meus avôs, quando eu ficava aqui com eles, geralmente acontecia alguma coisa na cozinha, copos que caiam dentro da pia ( NÃO, eles não estavam na beira, eles estavam encostados a parede, o que é uma boa distância para eles cairem lá sem ajuda), colheres que eram jogadas dentro da pia causando um barulho horrível, pratos que faziam barulho, etc… Lembro que não gostava de ficar aqui sozinha, tinha medo de ver alguma coisa por causa dos barulhos, mas acabei me esquecendo disso depois que vim para cá. Geralmente quando esses eventos aconteciam ou eu estava sozinha aqui na casa dos meus avós ou meu avô (minha vó já tinha morrido) estava no quarto dormindo.
O pior de tudo era/É quando a nossa cadelinha fica parada na frente do corredor abanando o rabo ou latindo, ou apenas olhando… Dizem que os animais podem ver os mortos, eu não sei se acredito, mas garanto que dá um nervoso tremendo quando ela faz isso…

– Já sei! Podemos chamar a equipe do T.A.P.S.! É verdade que dizem que os animais conseguem ver coisas além do permitido pela visão humana. Algum veterinário poderia ao menos dizer se há essa possibilidade e quais seriam as diferenças da vista canina para a vista humana? Algum veterinário nos lê?

 

#08

Nome: Paccola

Salve galera do IEB , bom vo contar apenas uma historia que aconteceu cmg estranha demais e nao foi a unica … eu estava numa festa de aniversario do meu vizinho , eu tinha 10 anos , e no mesmo dia do aniversario tinha a inauguração da igreja catolica aqui do meu bairro, e nesse dia estava tendo queima de fogos e sai da casa do meu vizinho para ir la ver de la na esquina … entao nisso veio um cara andando com a roupa toda amarela e com um chapeu ( o mascara ? kkk) mas a sombra do chapeu tampava seu rosto todo e eu nao conseguia ver de longe , eu nao tive nenhuma reaçao a nao ser esperar ele sentar do meu lado ,assim ele sentou e ficou olhando para o chao pelo que eu sei ele nao olhou direto para mim desde o final , e ele veio falar comigo e perguntou o meu nome com um tom de voz de um idoso mas um pouco diferente um tom mais grave , eu disse meu nome a ele … e assim ele me fez outra pergunta , me perguntou o que eu achava da festa da igreja , eu disse que era muito bonita e estava gostando , ele me respondeu dando risada .. disse que nao gostava nem um pouco da festa da igreja , eu me calei assustado e olhei pra queima de fogos esperei algums minutos , e me virei pra ele pra ver seu rosto .. era muito mais muito enrugado , nao consegui ver seus olhos pois ele estava com a cabeça para baixo e a sombra do seu chapeu nao deixava eu ver mais detalhes , assim eu perguntei o nome dele , ele disse ” meu nome e diabo ” peguei e sai correndo e chamei meu pai .. mas quando nois voltamos nao tinha mais nada la , e ate hoje lembro de todos os detalhes me parece tao surreal , sei que nao foi delirio meu e ja disse pra tudo mundo que eu ja tive o encontro com o dito cujo ,mas nao adianta ninguem acredita .. sou catolico mas so meio ateu fico em cima do muro mesmo acontecendo isso comigo.

– Infelizmente pode ter sido algum idiota tentando te assustar. E isso sim é mais real do que pode parecer.

 

#09

Nome: Klaus

Bem tenho varios relatos mas este é o mais recente, eu meu irmao e minha cunhada sempre fomos espiritas mas meu irmao nunca acreditou direito ele só ia pois era meio forçado a ir pela minha cunhada, até que certo dia meu irmao me disse que queria uma prova que os espiritos existissem, e aconteceu, um dia depois, minha cunhada deixou o livro de francisco candido xavier que estava lendo no lugar de sempre encima da bancada do lado do notebook dele, ambos foram tomar banho juntos e eu fui comprar um refri pois a padaria ficava um pouco longe, quando meu irmão saiu do banho ele viu o livro aberto numa pagina encima da cama, procurando informações perguntamos aos professores e eles disseram que isso podia ser uma manifestação dos espiritos devido a meu irmão nunca ter acreditado direito, apartir daquele dia ele começou a acreditar, a casa dele é muito estranha tenho varios relatos de quando estava sozinho e ouvi arranhoes na parede batidas no banheiro…

– Compartilhe-os conosco, Klaus! Se forem tão surpreendentes como esse será uma honra postá-los aqui. Essa sua descrição me lembrou do filme sobre a vida de Chico Xavier, na hora em que os supostos jornalistas estrangeiros fazem perguntas a ele e, ao final das perguntas, ambos ganham um livro dele, de Chico. Abrem e não vêem nada. Posteriormente, reabrem e vêem o autógrafo de Emmanuel.

 

#10

Nome: Vanderson

bem vou contar uma das coisas que aconteceram comigo, o primeiro espirito que vi na vida. foi quando eu estava na 5° seria em um colegio publico. por ser brankinho loiro de olhos verdes com cabelo sorvete todas as funcionarias gostavam de mim, pois moro em belém essas caracteristicas aqui sao dificeis de achar, a aula da manha termina as 12h e da tarde começava só as 13:30 mais todo dia eu ia pra la 12h para ficar sozinho na sala estudando, sim eu era um cdf na epoca um belo dia resolvi andar pelo colegio e ao xegar em um corredor que da para ver outra parte da escola inclusive a escada que dava para o 3° andar que sempre vivia fechada no cadeado. vi uma moça de blusa e shorte preto, por nao conheçer fikei com medo dela me brigar e manda descer, pois sabia que eu era o unico que deixaram subir para ficar na sala. eu me escondi para que ela nao podesse me ver em uma sala vazia mais fikei olhando pela brecha da porta para onde ela iria e ela simplismente atravesso o portal da escada que dava para o 3° andar e subiu a escada. eu corri para minha sala peguei minhas coisas e desci para o 1° andar e fui perguntar para as funcionarias se mais alguem tinha subido elas falaram que só eu quem elas deixavam subir dai contei o que vi la encima, e elas falaram que serventes ja viram algo parecido no turno da noite mais era a primeira vez que alguem via no turno da tarde, apart desse dia eu sempre era o ultimo a entrar na escola, hoje com 23 anos tenho vontade de ir nessa escola no mesmo horario que ia para estudar para tentar algum contato com ela mais assumo que tenho medo do que possa acontecer e não acho ninguem para ir comigo la

– Se você fosse do Rio eu iria na boa. Só que não.

 

#11

Nome: Lara

Era um domingo, perto do meio-dia e eu a minha irmã mais velha ainda estávamos dormindo (no mesmo quarto), enquanto minha mãe organizava o armário da sala, pois tinha muita coisa dentro que nem era utilizada, e estava acumulando muita tralha mesmo. Eu acordei normalmente, e fui ajudar minha mãe a organizar e separar as coisas da minha irmã (que por sinal ocupavam muito espaço mesmo no armário). Quando minha irmã acordou, viu na sala todas as coisas dela espalhadas e em sacolas como se fossem “lixo” e começou então a briga entre a minha mãe e ela, teve até cabo de vassoura no meio dessa história. Quando acabou, a minha irmã estava aos prantos e me contou que enquanto dormia, mas nesse momento ficou consciente, um homem todo de preto sentou ao lado dela na cama e falou que a mãe estava jogando todas as coisas dela no lixo, principalmente as fotos dela com a outra mãe no Japão e várias outras coisas que ela gostava muito. Esse homem também disse que estava sendo pago para atormentar a nossa família, e como não conseguia alcançar a minha mãe, chegava nela (que tem mediunidade) e que enquanto não destruísse a nossa família, não sairia da casa. Nos dias seguintes, ela era atormentada toda noite por esse mesmo homem, e levantava na madrugada chorando e ia correndo pro quarto da mãe, e dormia lá (e eu também, óbvio!). Um tempo depois, descobrimos que isso era um “trabalho” (macumba), que uma mulher fez para afetar-nos, pois essa mulher separou-se do marido e o mesmo começou a namorar a minha mãe. Depois que o trabalho foi desfeito, tudo voltou ao normal.

– Eu tenho uma tendencia, inexplicável, de não querer acreditar em feitiços de macumba. Eu deveria acreditar mais pelo o que já vivi.

 

#12

Nome: Eduardo

O que vou contar pode nao ser assustador mas SIM muito bizarro, pelo menos para mim.
Eu nunca tive medo de me machucar, sempre que eu caia quando era pequeno me levantava e continuava correndo, nunca tive prolemas com dor e acho que eu nao ter esse medo de me machucar é a causa do que vou contar.
Todos sabem que quando voce sonha que morre, você acorda exatamente na hora em que você morre. Mas eu me lembro de uma noite estar assistindo um documentário sobre pessoas que saltavam de parapente de aviões, montanhas e picos, que arriscavam suas vidas apenas para sentir a adrenalina ser solta em seu sangue, me lembro que no documentario tinha videos que quem pulava filmava enquanto caia. E um dos videos mostrados era o de um homem que nao deu tanta sorte no seu salto e acabou morrendo.
Depois de assistir o documentario fui direto para a cama pois ja eram 00:45 e eu tinha aula cedo no outro dia. Durmi e comecei a ter o melhor sonho que ja tinha tido até aquele dia, eu estava a bordo de um dos aviões que levam as pessoas para saltar, um por um meus companheiros saltavam do avião (por algum motivo “meus companheiros” eram todos meus colegas), então antes de saltar eu liguei a câmera que estava presa a meu capacete e saltei, porém meu parapente enrolou e acabei me estatelando no chão, mas estranhamente eu não acordei quado meu corpo atingiu o chão com tanta agressividade, por outro lado, quando acertei o chão foi como se meu corpo tivesse morrido mas “eu” ainda estivesse ali, e eu estava, estava ali de pé ao lado de meu corpo(que ja nao podia mais ser chamado de corpo,mas de enorme montanha de merda vermelha uASHUashuah) que só tinha a cabeça inteira ainda,meu rosto estava totalmente ensanguentado, com sangue saindo dos olhos, boca e ouvidos, me lembro de no sonho ter pego a câmera em meu capacete e assistir a gravação, estranhamente quando era “eu” me explodindo no chão eu nao acordei, mas vendo a gravação aí sim eu acordei.

– Eu sonhei algo parecido. Eu sempre tive um sonho em uma parte que eu não lembrava nem mais que existia, em um bairro próximo, tinha um dinossauro gigante. Eu fugia dele nos demais sonhos. Só que esse foi um sonho lúcido. O primeiro e único da minha vida. O que houve foi que eu sempre morria quando o dinossauro me ataca e me fazia de petisco. Só que dessa vez, quando fui morrer pensei: vou ver o que tem depois da morte. Morri e continuou o sonho. Depois disso acordei pra ir à escola.

 

#13

Nome: Guilherme

Bom, este relato é pequeno, e já que vocês do IEB se interessam por paralisia do sono, eu vou contar a minha experiência.
Já fazia algum tempo que eu estava buscando ter sonhos lúcidos, procurei na Internet, livros, usei todos os métodos possíveis, acabei tendo sonhos lúcidos, sim, mas com isso venho a paralisia.
Aconteceu há não muito tempo mesmo, eu dormi na cama ao lado do meu pai, não lembro de estava tendo sonhos lúcidos ou não, pois nesse dia eu não coloquei nada no meu Diário dos Sonhos, (Técnica usada para ter sonhos lúcidos na qual quando você acorda, coloca todas suas recordações dos sonhos em uma agenda/caderno) mas no meio da madrugada acordei subitamente, e na paralisia do sono.
Normalmente eu teria pulado da cama, mas eu não conseguia. No começo me desesperei, tentei levantar o braço, não consegui, tentei falar, não saia nada. Eu podia ouvir meu coração batendo! Podia ouvir minha respiração também, de modo anormal. Aos poucos fui me acalmando, fui relaxando… Eu já havia ouvido falar sobre a paralisia, então não me desesperei. Quando estava no auge do relaxamento, foi como se tudo fizesse “ZUM” e eu estava de volta ao normal. Me levantei sorrindo, puxei meu pai da cama e gritei pra ele : “Pai! Finalmente consegui ter uma paralisia” ele resmungou e voltou a dormir. Mesmo assim eu levantei animado, e fui assistir TV.
Eu tenho certeza que isso não foi um sonho, foi real. Nunca mais aconteceu comigo, pois parei de buscar tendo sonhos lúcidos.

– Eu creio que tive um caso similar. Não conseguia falar mas queria acordar. Foi então que comecei a rezar dentro do sonho em italiano: In Nomeni Patri, Et Fili, Spiritus, Sancti, Amen!

 

#14

Nome: Rodrigo

Em 2009 me converti ao cristianismo, mas bem antes disso, em 1999 aproximadamente, já havia visto possessões demoníacas etc, mas ainda era cético. Enfim, em meados de 2010, sempre buscando conhecer mais desse mundo espiritual que me intriga, tive um sonho: Eu estava no segundo andar de uma casa bem grande, e no andar de baixo estava minha mãe. Havia uma escada grande de madeira nos separando e dessa escada descia alguém, ou alguma coisa, e estava com uma capa toda preta indo em direção à minha mãe. Nessa hora acordei, e sei que estava consciente porque olhei a primeira coisa que vi foi o teto, respirei fundo por causa que no sonho ja me dava uma sensação ruim e fui levantar da cama. Quando me viro para levantar, ao meu lado está parada essa mesma imagem de capa preta, sem mexer ou falar nada, simplesmente me olhando com uma cara toda branca (estilo filme Pânico, rss) mas bem diferente. Na mesma hora fiquei paralisado, não conseguia mexer, falar, pensar nada. Meu corpo tremia e fiquei encarando essa figura que estava ao meu lado. Sem nem piscar, de uma hora para outra ela desapareceu. Segundos depois ouvi a porta da sala abrindo, e era minha mãe chegando em casa.. Levantei, liguei a luz, e esperei um tempo. Nunca mais vi algo relacionado a isso.

– Mais um ataque do Homem da Capa Preta. Rodrigo, aqui no blog fiz um post sobre esse suposto ser astral. Confira!

 

#15

Nome: Rodrigo H.

Então, primeiramente um olá pros brothers que tão lendo isso agora. Err… Vou direto ao ponto. O fato aconteceu ano passado, quando eu tinha 14 anos. Sempre tive muito medo de fatos sobrenaturais, sou daqueles que não teme mas também não duvida. Nas férias, estava eu, como de costume, mexendo no computador até altas horas. Uma vez meu irmão me contou que 3:00 da madrugada é a ‘hora da zica’, acontecem coisas estranhas nessa hora. Ele me contou uma vez que ouviu passos em volta da cama nesse horário, mas não foi checar o que era.
Então, voltando. Estava eu mexendo no computador vendo vídeos no Youtube, pra ser mais preciso estava vendo vídeos do Mestre Dalborga (Alborghetti, um jornalista paranaense muito foda. Pra quem assiste o Pânico, ele é o cara da vinheta: “Existe, meu Deus. O capeta existe.” ou “Vá a merda, porra. Vá a meeeerda!!!” Um jornalista muito foda mas infelizmente ele já morreu.); achava graça nos ‘pitis’ que ele dava, gritos e palavrões… Então, era 2:59 da madrugada e eu vendo vídeos dele, até que dá 3:00 em ponto e eu abro mais um vídeo. Nesse vídeo, Alborghetti está dando mais uma bronca nos bandidos até que acontece alguma coisa lá nos aparelhos dele e ele grita alto: “AH OOOOWWW DESGRAÇA! SATANÁS… SAI DE MIM CRAMUNHÃÃÃÃO!”
Logo quando ele termina de falar essa frase, às 3:00 da madruga, o PC e a casa simplesmente desligam e ligam novamente. :)
Fiz a cara do Yao Ming (meme: foda-se esta merda), desci as escadas, entrei no meu quarto e hibernei debaixo das cobertas. Saí só no outro dia quando tava tudo claro. HUAHUAHUAHUAHU

– Vish! E aquele freio na cueca, hein?!

 

 
Agora, caso queiram, preencham o formulário com o seu relato bizarro.

Written by DraftL

O que está em cima é igual ao que está embaixo e, o que está embaixo, é igual ao que está em cima, para realizar os milagres de uma coisa única.


Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Comentários


Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46