,

Relatos Bizarros #11


Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Mais uma vez nossa sessão de relatos está saindo quentinha do forno. Galera, dessa vez não escreverei tantos comentários pois estou bem atarefado aqui em casa. :)

Não sabe como enviar o seu relato? Simples, meu chapa!

Há três meios

O primeiro: basta clicar aqui e você será direcionado à nossa página de relatos.

O segundo: envie-nos um e-mail -> [email protected]

O terceiro: basta começar a ler os relatos que, ao final, haverá um formulário idêntico ao da nossa página de relatos para preencher com sua história surpreendente.

A título de esclarecimento: se o seu relato não apareceu aqui, não fique chateado. Nas próximas semanas ele com certeza aparecerá. Eu posto os relatos por ordem de chegada. Basta só aguardar. Semana que vem tem mais, não se preocupem! :)
Seus relatos com certeza aparecerão só basta esperar!

Comecemos!

 

#01

Nome: Felipe

Olá, hoje tenho 20 anos, mas toda essa história aconteceu a 2 anos mais o menos.
Eu namorava com uma menina com quem hoje estou noivo e com data de casamento marcado rs. Eu começei a namorar ela quando ela tinha acabado de fazer 15 anos, e eu tinha 16. Com 3 meses de namoro ela havia me dito que no dia anterior da festa de aniversário dela ela havia sido abusada pelo padrasto, me dizendo ter machucado muito ela, por ele ter violado ela, tanto vaginal como anal. Eu como qualquer (creio eu) fiquei extremamente revoltado querendo matar ele, enfim…
Passando um bom tempo no outro aniversário dela quando ela fez 16 anos, 1 semana depois eu fui para São Paulo fazer um curso e eu fiquei 1 semana fora, e tornou a abusar dela, ele me ligou chorando desesperada que não sabia oque fazer. Quando eu voltei embora eu disse que iria dar um solução para isso e como minha mãe sempre dizia “mente vazia é oficina do diabo” Eu começei a pesquisar formas de tortura, enfim… Depois com muita coragem em faltando quase 3 meses para eu completar 18 anos descidi oque iria fazer. Escrevi uma carta no qual demorei 2 dias para tentar fazer 1 letra que não fosse a minha me passando pelo padrasto dela, dizendo que tinha fugido pois não estava satisfeito com a familia e tinha arrumado outra mulher, etc. Liguei para ele pedi uma ajuda dizendo que a moto que eu tinha não estava pegando e pedi para ele ir me buscar, ele foi. Quando ele chegou lá eu deixei a moto e ele foi me procurar, eu estava escondido em um galpão velho e fui para cima dele com 1 faca que ele tinha de pescar e o atingi na coxa ele caiu, e eu começei a chorar, pois a raiva era tanta que não tinha reação, mais pensei comigo, agora começei e vou terminar. Começei a cortar os nervos dele, do tornozelo, atraz do joelho, nas axilas e disse que isso era pelo oque ele tinha feito, e cortei o pescoço dele. Arrastei ele, e coloquei fogo no corpo dele, fui embora levei a moto encima da caminhonete dele deixei a caminhonete no sitio da minha namorada e fui embora com a moto e deixei a carta embaixo do travesseiro dele. 2 dias depois voltei para dar fim nos restos dele. Hoje em dia agente descobriu que ele abusava da própria filha dele de outro casamento que tinha 7 anos da época e a mãe da minha namorada até hoje procura ele como se ele tivesse idio embora mesmo. E hoje minha namorada que será minha futura esposa graças a Deus ainda tem pesadelos e acorda chorando de madrugada, mais ela da graças a Deus tambem por ele ter sumido.

– Vish! Falei que não ia escrever mas nesse eu fiquei até abismado. Um caso de homicídio no IÉB! :O

 

#02

Nome: Aline

Olá! Passei um tempo sem acessar o IéB e gostei muito desta nova sessão. Pensei logo em participar.
Vou contar uma história curiosa que aconteceu comigo quando eu era criança. Eu tinha dez anos.

Minha avó morava comigo. Ela já era bastante idosa e, por conta de um glaucoma, havia ficado cega há muitos anos (quando nasci ela já não enxergava havia uns três anos). Além disso, ela desenvolveu Alzheimer pouco tempo depois, e por isso, a essa altura, já não falava mais, vivia presa a uma cama e não reconhecia mais ninguém. Era uma vida bastante sofrida e todos nós da família sentíamos muito por isso. Eu tinha uma tia que era quem cuidava dela, e sempre ficava a seu lado, ajudando a dar comida, por vezes conversando com ela, etc.

Um dia, era janeiro e eu estava de férias, por isso fui para a casa de uma tia, que fica bem perto da praia, numa cidade próxima daqui. Nas férias eu sempre ia pra lá e brincava muito com meus primos, por isso me cansava e dormia que nem uma pedra (nunca tive problemas pra dormir). Mas nesse dia tive uma forte insônia. Uma tia e uma amiga dormiram no mesmo quarto que eu, e conseguiram pegar no sono bem antes de mim. A casa ficava no alto, num condomínio fechado, como esses condomínios de litoral, e lá tinha poucas casas portanto estava tudo bem quieto. Sem conseguir dormir, reparei numa espécie de luz projetada na parede. A luz era amarelada e tinha o formato claríssimo de dois olhos humanos. Aquele desenho oblíquo. Fiquei encarando um tempão aquilo, intrigada, e cheguei a me levantar da cama para olhar pela janela e ver se tinha algum farol de carro ou coisa assim virado pra lá. Não tinha nada. Encarei, encarei, e lá pelas três da manhã consegui finalmente dormir. A luz estava ainda lá.

Quando acordei no outro dia pela manhã, minha mãe logo me avisou que minha avó havia falecido. Lembro que não fiquei impressionada, como se já soubesse. E ela faleceu bem por volta da hora que vi a luz, às duas da manhã.

Fico pensando se ela não quis enfim “ver” a neta dela, já que ela em vida não havia me visto com seus olhos. Hoje, ainda moro na mesma casa e sempre fico atenta pra ver se sinto algo diferente mas nunca mais vi nem senti mais nada.

– Quando a saudade é muita, os espíritos gostam de dar mais uma bisbilhotada antes de ir dormir.

 

#03

Nome: Letícia

Isso aconteceu acho que uns dois ou três anos atrás. Não sei exatamente. Na verdade faz um tempo que não penso nisso.

Aqui em casa tem um corredor pequeno que dá em três portas, o quarto dos meus irmãos, o banheiro e meu quarto, não tem porta do corredor, começa na sala e termina na cozinha.
Eu não tinha meu próprio computador então estava no quarto dos meus irmãos, acho que eles não estavam dormindo aqui senão teriam me mandado dormir cedo, quando resolvi dormir eram umas 4:30h.
Desliguei o pc e fui para o meu quarto, o menor da casa, e deitei na cama (encostada na parede onde tem a janela). Tava deitada pro lado da porta, que tinha deixado aberta.

Tinham se passado alguns minutos que deitei quando alguma coisa tipo uma bola de luz, sei lá, apareceu no corredor, no meio da porta, mas do lado de fora do quarto, apareceu e foi embora rápidamente, como um flash, mas era como uma bola brilhando, dificil de explicar. Fiquei paralizada de medo olhando na direção da porta, não tinha coragem pra ir lá ver ou fechar a porta.
Passado mais alguns minutos aconteceu novamente, mas com menos intensidade. Aconteceu mais duas vezes, só que nessas vezes não vi a ‘bola’, vi só a luz dela, uma vez vindo da direção da cozinha e a outra do corredor, mas fora do meu campo de visão. Talvez aconteceu mais alguma vez mas não me lembro muito bem.

Até pensei que poderia ter sido algumas luz vindo através da janela da cozinha, mas só a que veio da direção da cozinha poderia ter vindo da janela e me lembro claramente da bola de luz surgindo do nada no meio do corredor, digamos que ‘irradiando’ luz pras outras direções e não o contrário.

Só sei que hoje em dia eu iria lá olhar se tinha algo (mas ligava a luz antes), e não deixo a porta do meu quarto aberta hoje me dia.

Foi a coisa mais estranha que lembro de acontecer comigo. Acho que teve uma vez que vi algo no céu com meu ex-namorado, mas não me lembro. =/

– Um orbe. Um espírito ou um fenômeno desconhecido?

 

#04

Nome: Amanda

Olá, bizarrentos meu nome é Amanda Garcia e eu moro no interior de São Paulo.
E deixando claro que eu não sou fanática religiosa e não tenho nenhuma convicção.
Sou do tipo, se tá lá tá bom, se não está tá bom também.
Mas, isso me aconteceu em 2009 eu tinha apenas 15 anos.
Me preparei para dormir como qualquer outro dia, mas eu tive um sonho muito estranho.
Eu sonhei que estava andando normalmente pela rua quando três homens me pararam, eles erão altos, peles brancas e estavam vestidos apenas com roupas pretas, e no caso, o que falou comigo tinha uma cartola.
Ele parou e disse as seguintes palavras:
– Eu vou acabar com a sua vida, vou destruir tudo que você ama, eu vou acabar com você e levar todos aqueles que você mais ama embora.
E, eu respondi que não ia acabar com nada pois eu era mais forte do que ele.
Enfim acordei com o sonho na cabeça mas logo passou, até então era só um pesadelo.
Dois dias depois, e nesse dia foi em um sábado eu fiquei em casa, de boa.
De repente minha mãe começou uma discussão a toa com o meu padrasto que é PM.
Logo eles fecharam a porta do quarto e começou-se uma discussão mais séria.
Só que quando a porra ficou séria de verdade a única coisa que eu pensava era na merda da arma que meu padrasto tinha até então guardada.
Então como eu sozinha não tinha força o suficiente para acabar com isso, chamei a policia para pelo menos eles retirarem a arma ( não eu não sou dramática a porra tava séria e eles iam se matar)
Enfim, eles chegaram e levaram a arma, como meu padrasto é PM também foi junto com eles para deixar minha mãe se acalmar.
Até então tudo bem.
Só que a partir dai minha vida nunca mais foi a mesma.
Minha mãe começou a beber descontroladamente, se trancou no quarto e não me deixava mais entrar. Depois de duas horas ela abriu a porta e foi a cena mais horrível que eu vi em toda minha vida.
Ela estava totalmente bêbada e havia se cortado inteiramente, mas não comos os emuxinhos da vida, eram cortes profundos mesmo.
E de novo eu chamei os queridos amigos policiais (literalmente anjos por terem tanta paciência comigo).
Ela relutou bastante para ir no hospital mais foi.
E assim foi a nossa vida durante todo nosso tempo, minha mãe tendo seus altos e baixos, e de certa forma isso acabou com todos a minha volta e principalmente comigo.
Hoje eu moro sozinha, ela anda melhor dos ataques, e enfim achamos uma psiquiatra que conseguiu resolver o caso dela.
E mesmo não tendo fé nem nada do gênero até hoje eu penso nesse sonho e se tudo isso tem alguma relação.
Conversei com um “amigo” que se diz espirita e ele me falou que eu havia tido contato com um demônio e que ele foi atrás da minha mãe por ela ser mais fraca, na hora eu dei risada mais depois eu fiquei pensando, sei lá também, mas de qualquer forma fica aí meu relato para vocês.

 

#05

Nome: Joana

Olha, eu sei que TODO mundo j’a contou uma historia dessas para os amigos, ss’o para ”zuar” mesmo…Mas a alguns anos (4 acho) em 2008 (tinha 10 anos) e havis sido a primeira vez que meus pais sairam de casa e eu fiquei sozinha, então como qualquer criança eu pensei: “eba!vou ver filme de terror” , ta eu acabei desligando a tv antes do filme começar.Mas enfim…Eu estava vendo TVz e comecei a dançar freneticamente em cima da cama da minha mãe balançando a cabeça e tudo, e por um segundo quando olhei para a porta que dava no corredor eu vi uma sombra/pessoa/vulto em p’e bem na frente da porta,eu, sem pensar peguei um travesseiro e joguei no vulto/pessoa/sombra e não havia NADA l’a, logo em seguida eu chequei se a porta estava trancada, e ESTAVA,eu pensei:”ah,deve ter sido os gatos:(a proposito tenho 3) e fui checar na cozinha e estavam todos na caminha, DORMINDO…Sai correndo e fui para o quarto dos meus pais e logo em seguida para debaixo das cobertas escondendo meu corpo completamente.
Na hora de dormir quando meus pais haviam voltado do cinema fui at’e meu quarto e minha mãe me botou na cama,como sempre eu pedia para a minha mãe deixar a porta do corredor que dava para o meu quarto completamente aberta, com a luz do corredor ligada,e como sempre seguindo o manual, ela fez isso.Eu lembro de olhar para o relogio e marcava 3:00 da manhã , com muito frio levantei pra pegar um cobertor,logo que olhei para a porta do corredor eu vi a mesma figura, eu dei um grito muito alto e cai sentada no chão,minha mãe me acolheu e falou que tudo foi um sonho e eu tenho CERTEZA que NAO FOI UM SONHO.
Frequentei uma psicologa por 1 ano e ainda tenho pesadelos com essa figura.E NÃO, EU GARANTO PARA VOCÊS QUE ISSO NÃO É UMA HISTORINHA DE CRIANÇA QUALQUER, ISSO REALMENTE ACONTECEU , EU JURO…

 

#06

Nome: Erica

Aconteceu recentemente comigo uma coisa inexplicável. Eu tinha acabado de me preparar para dormir , meu filho e meu marido ja dormiam. Como eu sempre espero meu bebê pegar firme no sono pra por ele no berço , eu sempre sou a última a dormir , e as vezes eu sinto aquela estranha sensação de estar sendo observada , mas isso não tem muito a ver com o meu relato (ou tem , sei lá). Todas as noites antes de dormir , eu fico pensando em coisas inúteis pra dar sono logo, e nesta noite eu estava pensando na imensidão do universo e em quantas coisas estavam acontecendo naquele exato momento. Pensava que tinha alguém morrendo , alguém sorrindo , nascendo , chorando , fazendo sexo , enfim… e de repente me veio à cabeça que alguem no mundo estava pensando e fazendo a mesma coisa que eu , e como numa visão , tipo essas que acontecem nos filmes mesmo , perece que eu sai de mim , tudo a minha volta desapareceu ,e eu vi a imagem de uma mulher loira , deitada num sofá laranja , com o braço posicionado em cima da testa , assim como estava o meu . Eu acho q essa mulher loira existe e nós nos “conectamos” de alguma forma , foi surreal , eu nunca tinha passado por algo parecido. Minha sogra é espirita , eu disse pra ela uma vez que direto antes de acordar eu me via dormindo , e ela disse que talvez eu tenha o espírito viajante … Alguém teria mais alguma tese sobre o que me aconteceu?

– Talvez tenha sido um caso de Projeção Astral. Não é difícil de encontrar artigos relacionados a esse assunto na internet. Aliás, durante a guerra fria foi ministrada uma dose de LSD (Ácido Lisérgico ou, no popular, “doce”) aos soldados britânicos neste intento. Mas o que conseguiram foi deixar todos doidões. É lógico que os governos sabem do que realmente acontece. Mas espero ter ajudado.

 

#07

Nome: Wesley

Bom essa foi uma das unicas coisas de estranhas que aconteceram comigo.No mesmo dia minha vó tinha morrido na Bahia, uma semana depois de voltar de um estadia de alguns meses aqui em casa. (litoral de SP). Eu estava com minha familia na casa da minha prima. Quando voltei pra casa, o meu celular estava no chão, bem no centro da sala, eu pensei que alguém tinha ligado e a vibração fez ele cair da mesa do PC. Mas quando eu o peguei ele estava desligado, depois de liga-lo eu vi que não havia nenhuma chamada nova registrada, nem mensagem. Eu estranhei porque mesmo que tivesse caido da mesinha onde eu tinha deixado, seria muito dificil chegar até o centro da sala, pois a distancia era de 2,5 metros, eu até testei pra ver se dava e ele sempre caia proximo a mesinha. Eu fiquei assustado pois minha vó acabara de morrer e detalhe: ela sempre atendia o meu celular porque eu o deixava em casa, quase sempre eu chegava em casa e ela estava com o meu celular na mão dizendo que alguém tinha ligado pra mim

 

#08

Nome: Lilianna

Oi DraftL, obrigado por esse espaço!

Tudo aconteceu quando eu tinha 13 anos, na época eu cursava a 7ª série do primeiro grau no Sesi, meu horário era das 15;30 as 20 horas, sempre voltava sozinha para casa, eu tinha vários colegas de classe que faziam o mesmo trajeto mas eu nunca gostei de andar em “bando”. Preferia andar sozinha sempre. Certa noite, voltando das aulas, ouvi passos atrás de mim, passos de alguém que caminhava com pressa, olhei para trás mas não avistei ninguém, achei estranho porque tinha certeza de que ouvi alguém se aproximar, eu continuei meu caminho, ainda ouvindo os passos, olhava desconfiada para as sombras que as árvores projetavam na calçada, havia alguns postes com luzes queimadas, meu coração estava disparado porque eu tinha certeza que alguma coisa me seguia e ia de alguma forma me atacar! Mas eu só ouvia os passos, eu senti vontade de correr, mas mantive a calma até que cheguei em casa, abri o portão, e subi uma escadinha de 5 degraus, e os passos continuavam atrás de mim, seja lá o que fosse entrou em casa comigo! Vi minha mãe na cozinha, eu não contei nada do que estava acontecendo e nem do que estava ouvindo, apenas a beijei e fui tomar banho, sempre sentindo aquela presença atrás de mim, ouvindo os passos nitidamente onde quer que fosse, por todos os cantos da casa, quase perguntei para minha mãe se ela estava ouvindo “alguma coisa” mas fiquei calada, depois do jantar fui me deitar, e já debaixo das cobertas, um homem me abraçou por trás, eu não o via, mas sentia seu corpo inteiro colado no meu, era alto e forte e dele emanava muito calor, nessa situação acho que o normal seria eu ter pulado da cama e ter saído gritando pelo corredor feito uma louca, mas eu mantive a calma porque sabia que era a mesma “coisa” que andou me seguindo naquela noite, o abraço não era sufocante, ele não me apertava, mas apenas me aconchegava como um marido faz com sua esposa, eu sentia o nariz dele e a respiração na minha nuca, foi então que vencendo o medo perguntei num fio de voz: quem é você, porque você esta me seguindo? Ele respondeu, eu não estou te seguindo Érica, eu estou te protegendo. Então eu perguntei: como você sabe o meu nome? Você é um fantasma? Porque você é invisível? Ele respondeu num tom baixo porém divertido: Eu sei teu nome, eu sei tudo ao seu respeito e não, eu não sou um fantasma, sou tão vivo quanto você, apenas me desloquei no tempo para te encontrar, e eu estou “invisível” porque é a minha alma que esta aqui. Eu vou passar um tempo com você.
Ouvindo aquilo me passava tantas coisas pela cabeça,como por exemplo “ele veio me proteger do que? ” o que é se deslocar no tempo?” o que esta acontecendo aqui meu Deus do Céu”? mas ai eu só disse__Deixa eu te ver?
Mas ele disse que não, por hoje chega, amanha você me verá, vou te buscar na escola de novo.
Bom, naquelas alturas eu não sentia mais medo, porque por mais BIZARRA que fosse a situação, a presença dele era muito reconforte, o corpo forte dele emanava paz e calor, tanto que dormi, e na manha seguinte acordei eufórica, feliz, pasma, sei lá, queria ir para escola, terminar o período de aula e ve-lo ver aquela “coisa”! Os passos recomeçaram por volta das 5 da tarde, e me seguiam pelos corredores do Sesi, e por quer que eu passasse, agora não só eu ouvia os passos dele como também sua voz, eu pedia para que ele me “provasse” que estava ali mesmo fazendo mover um caderno, uma caneta, sei lá qualquer coisa e ele fazia! era incrível! Meus colegas de classe me viam rindo sozinha, perguntavam o que estava acontecendo mas eu mantive silêncio,não contei nada e mesmo porque se contasse seria zoada pelo resto da minha existência! Quando a aula terminou eu desci voando pelas escadas em direção ao portão onde ele disse que eu o veria fisicamente e no meio daquela profusão de alunos e vans escolares e pais de alunos eu vi um rosto que jamais tinha visto por ali, e no ato soube que era ele: Alto, acima de 1.90cm, atlético, moreno, olhos verdes, covinha no queixo e uma expressão seria, ele era muito mais bonito do que eu esperava, e me perguntei se as outras pessoas que estavam ali podia ve-lo também mas tive minha resposta quando vi uma senhora passar por dentro dele, ela atravessou o corpo dele como se não tivesse nada ali, eu me aproximei e sem falar nada só comecei a andar tomando a direção de casa, ele quem falou primeiro__Agora que sabe como eu sou pode me chamar de Wagner.
Ele me acompanhava todos os dias, e dormia abraçado comigo todas as noites e isso durou 6 meses até que ele desapareceu por completo.
Nunca mais ouvi passos, nem o vi se “materializar” e nem me abraçar a noite. Claro que antes de desaparecer d minha vida ele me contou muitas coisas. Era incrível ve-lo afirmando categoricamente que não era um fantasma, mas que era tão vivo quanto eu, ele dizia também que um mau terrível iria me acontecer mas que ele chegou em tempo de “me salvar”.
Claro que eu pensava com meus “botões” se não estava imaginando coisas ou que aquilo ali era o capeta que não tinha o que fazer la embaixo e subiu pra me torrar o saco! Mas o fato é que eu nunca soube o que exatamente foi aquilo tudo. Depois de adulta contei para algumas pessoas que se diziam entendidas de espiritismo, mas a resposta é sempre a mesma: Exu!
UHAUHAUHAUHAUH!! Meu Deus, sei lá, nem sei como e nem de onde tirei tanta coragem para expor isso aqui, talvez porque o IEB seja visitado por milhares de pessoas todos os dias e quem sabe , alguma dessas pessoas possa ter uma resposta para isso.
A unica coisa que eu sei dele é o nome completo, mas nunca acreditei que esse nome fosse verdadeiro porque pesquisei em tudo quanto foi lugar e não achei nada, Wagner Pontelli Hutison, o google ainda me corrige dizendo: VOCÊ QUIS DIZER HUDSON….
Tenho também uma carta que ele deixou debaixo do meu travesseiro antes de desaparecer, bom, deixei de contar muitas coisas para isso aqui não ficar muito extenso e maçante.

– Não sei se ela continua ainda precisando de ajuda então, não custa nada.

 

#09

Nome: Heitor

Vou contar dois fatos que ocorreram na minha antiga casa.

1# Esse fato ocorreu, ano passado. Era 3h da manhã mais ou menos, e eu estava jogando no computador ( viciado ). Minha rotina era assim todos os dias, tinha um dia cheio, aula e cursos, e costumava chegar de noite, e passava o resto do dia no computador até de madrugada, mas esse foi o primeiro dia em que eu cheguei até 3h da manhã, eu costumava ir no maximo até as 2h, depois disso que não aguentava. Meu antigo computador (tenho outro agora), não era bom e costumava reiniciar a qualquer momento por aquecimento, mas nesse dia, nessa hora, ele reiniciou do nada, como sempre, mas um vento gelado correu todo o chão do quarto, e o interessante… é que as janelas estavam fechadas, inclusive a porta do meu quarto ( eu tinha um tanto de medo de dormir ou de permanecer no quarto com a porta aberta, pois dava uma linha direta pra sala e a cozinha que eram bastante escuras ). Eu fiquei bastante tenso na hora, e fiquei parado só movimentando o olho para o lado, observando o quarto.

2# Estava no meu quarto, dias antes do primeiro fato ocorrer. Nesse dia eu deixei a porta aberta, a casa inteira estava escura, a unica coisa que iluminava era meu computador e a lamparina que eu usava. Como eu falei, a cozinha fica a visão do quarto. Imagine um corredor, da porta do meu quarto até a cozinha mas no meio dele tinha a sala, era a mesma coisa. E na cozinha tinha uma janela, só uma, que ficava quase colada ao teto, ficava bem alta. Ela vivia constantemente clara durante a noite, pois a lua iluminava bem. Nesse dia escutei o barulho de panelas cairem… Eu me assustei só no momento, mas depois lembrei que eu deixei elas empilhadas de mau jeito na cozinha, mas por curiosidade fiquei encarando a escuridão da cozinha, esperando algo ( por mais medroso que eu seja, eu costumo me desafiar bastante ) , quando de repente surge uma sombra, algo redondo, como um cabeça passar pela janela, como se alguem tivesse passado por ela, na hora, me desculpem o termo, mas eu me ”caguei”. Não lembro a hora que ocorreu, mas deveria ser 11h da noite ou 00h

 

#10

Nome: Luc.

Depois do que eu passei, tive que ficar internado por 3 anos em uma clínica psiquiátrica pela fragilidade mental em que me encontrava. Quando eu tinha uns 17 anos, eu morava com a minha mãe (pois meu pai tinha morrido de câncer em 2003) e minha irmã. Numa noite de Setembro, dia 20 ou 21, estava na sala de tv da minha casa junto com a minha mãe (minha irmã fazia faculdade de enfermagem) quando três homens encapuzados derrubaram a porta da sala. Minha mãe gritou desesperada e levou um tiro na cabeça na minha frente (uma cena que eu nunca conseguirei tirar da minha mente); o homem que atirou, rindo como se aquilo fosse engraçado, falou que se eu gritasse ou fizesse algum barulho, ele iria me matar . Fiquei calado enquanto os três reviravam toda a minha casa, até que acharam um bolo de dinheiro que se encontrava dentro da cama da minha mãe; feito isso, saíram correndo pela mesma porta que entraram. Fiquei em choque, desmaiei e só me lembro de acordar em um pronto socorro, com a minha irmã aos prantos do meu lado.

– Não sei se o que eu falar vai ajudar muito mas espero que você tenha se recuperado.

 

#11

Nome: César

Meu relato não é o melhor,ou o mais assustador,enfim,só quero contar o que aconteceu.
foi há uns dois anos. eu tinha 13 na época,era meu aniversário(de 13 anos uheuhe)
eu lembro de acordar na minha cama,que tem vista pra todo o quarto,era uma bela manhã,o sol tava brilhando.Logo meu irmão mais novo entrou no quarto,ele tinha 7 anos. ele pulou na minha cama,que é um pouco alta,e me abraçou. eu fechei os olhos e disse ‘valeu cé!(ele chama César)
Que lindo o amor fraternal,não?mas esqueci de dizer uma coisa. meu pai estava viajando a negócios na europa,mesmo que ele por semanas reclamasse e ficasse bravo que não poderia passar meu aniversário comigo.me disse antes de ir que estaria comigo quando eu acordasse. mas eu não tinha entendido.afinal,ele estaria fora do país.
Enfim.Quando minha mãe também me abraçou,e meu irmão estava me abraçando do outro lado,pude ver não muito atrás dos dois,meu pai. Não só meu pai,mas meu pai,com as roupas que ele costumava usar,com sua exata altura,mas com um detalhe: sem rosto. nada de olhos,boca,nariz,orelhas,nada. só uma cabeça,branca,em cima do corpo do meu pai. fiquei petrificado. olhei aquilo por uns cinco segundos,depois meu pescoço virou por instinto para o lado,afinal eu estava com medo. minha família perguntou o que houve,e eu disse que foi só pra sentir o cheiro do cabelo do meu irmão. (que desculpa,hein?!)e quando olhei de novo,meu pai sem rosto havia sumido. o curioso,é que esse ano e ano passado,a história se repetiu,mesmo sem meu pai fora do país. eu não tenho mais tanto medo,mas poxa,aquela coisa fica parada,me olhando sem olhos. alguém me explica o que há?

– Alguém tem uma explicação?

 

#12

Nome: Carol

Bom, esse relato aconteceu ( por irônia ou não) no dia 31 de outubro, Haloween. Eu sempre fui meia “paranormal”: Escutava vozes, via vultos e tinha pesadelos horriveis que não gosto nem de lembrar e isso fez com que eu frequentasse tudo o que é tipo de religião mesmo. Mas esse relato foi o que mais me marcou até hoje. Bom vamos a história…

Eu tinha mais ou meno treze pra catorze anos quando isso aconteceu. Estava tomando banho para ir em uma festa a fantasia que sempre acontecia no municipio onde eu morava. No banheiro o box era apenas de cortina e a porta estava fechada, mais eu ainda podia ouvir as risadas da minha mãe falando com a visinha na cozinha. Até que o banho no começo foi normal, até que me deu aquela leve impressão de que tinha alguém em observando. Como eu sempre fui paranóica nem dei muito atenção e começei e cantarolar como sempre faço, só que quando acabei de tirar o shampoo do cabelo eu olhei pra fresta da cortina e vi aquela coisa colocando o rosto pra fora e me espiando… Eu gelei e acho que mudei de cor porque não consegui nem me mexer de tanto medo. Pra mim parecia ser um garoto jovem completamente deformado: Era meio cabeludo, um olho era maior que o outro, o nariz torto e ele tinha um lado da boca puxado pra cima mostrando todos os dentes da boca.
Ele parecia estar rindo de mim ou sei lá, só sei que quase desmaiei de susto. Quando me dei conta peguei e toalha e sai correndo com tudo do banheiro e cheguei na sala chorando apavorada. A minha mãe já achou que era alguém que tinha entrado no banheiro porque eu só conseguia falar que tinha um garoto lá dentro, depois que ela entendeu. Bom, só depois de MUITO tempo que eu fui conseguir entrar naquele banheiro de novo, e hoje frequento casas espiritas para me ajudar com outras coisas bizarras que estou enfrentando. Minha dinda é espirita e me aconselhou a ir em uma casa onde me disseram na época que era um “espirito sem luz”.
Não sei se foi a mais bizarra que aconteceu comigo porque foi a primeira coisa mais concreta que eu vi, mais só sei que deu muito, mais muito medo mesmo.
Acreditem ou não, os espiritos existem e estão ao nosso redor!

– Isso é fato. Pelo menos pra mim.

 

#13

Nome: Yan Lucas

Bom tenho 16 anos e como podem ver eu moro em Fortaleza, o que vou contar ocorreu comigo a muito, muito tempo atras, ta não tanto tempo atras mas faz uma boa quantidade de anos…

Isso aconteceu quando eu era bem pequeno tinha por volta de 10,11 anos e toda noite costumava brincar na rua ate umas 10 horas ou no máximo ate 11. esse dia eu tinha acabado de sair de casa, só estava la eu e minha mãe ela estava tomando banho eu acho, sai e fui atras dos meus amigos na rua vizinha, mas eles não estavam la então eu decidi voltar para casa, minha casa tem o portão e a porta, primeiro você abre o portão e em seguida a porta, chegando em casa estava só encostado então passei a mão por dentro do portão e empurrei logo a porta para adiantar o trabalho, quando fiz isso me deparei com uma pessoa bem alta vestida de branco eu não lembro muito bem mas não era um vulto branco, e sim uma pessoa só com roupas brancas, mas eu não podia ver o rosto, pelo que me recordo isso era em período chuvoso e minha mãe não podia estender as roupas fora de casa por causa da chuva obviamente então ela colocava varias pela sala e outros compartimentos para que as rupas pudessem enxugar, portanto foram esses malditos varais que sustentavam algumas toalhas que me impediram de visualizar o rosto de tal ser que se encontrava a minha frente, uma toalha também branca se encontrava em na frente do individuo, a toalha cobria da cintura ate o restante do corpo acima, Diferente do que eu imaginaria minha primeira reação não foi de medo e sair correndo, mas eu fiquei la olhando a tal criatura, cheguei a piscar os olhos algumas vezes para confirmar que não era algo da minha imaginação ate que eu decidi correr e sentar na calçada um pouco distante da li, sentei e esperei meu irmão ou algum familiar aparecer para mim entrar na casa junto com ele, em menos de 1 minuto sentado eu avistei meu irmão vindo la de longe e então esperei ele se aproximar e acompanhei ele ate em casa mas sem comentar nada, e ao chegarmos na entrada na casa não havia mais nada na sala.

 

#14

Nome: Virgínia

no feriado da semana santa(deste ano) resolvermos passa uma temporada no interior na casa de minha vó,quando anoitecia nós temos o habito de ficar sentado em frente da casa .Porém ,um dia vimos uma coisa no céu que deixou eu,meu tio e minha mãe de boca aberta ,passou uma bola branca de brilho intenso que se movia rapido e quando ela parou ao lado de uma nuvem ela sumiu num piscar de olhos.

 

#15

Nome: Lucas

Anos atrás …..acredito eu que tinha 9 anos estava de viagem em São Paulo com minha tia e meus avós. Eu acabei dividindo o quarto de hotel com meus avós,porém, eles ficaram em um verdadeiro quarto e eu em um escritório com uma espécie de sofá-cama.Nessa época ainda dívidia o quarto com meu irmão mais velho e esta era uma das primeiras vezes que dormia sozinho em um quarto,bom durante a primeira noite senti uma presença se aproximando, me observando (o que era normal quando ficava com medo), mas dessa vez era muito forte, orava muito nesse momento morrendo de medo e chorava também…quando de repente senti uma respiração quente no meu ouvido como se algo estivesse sussurando porém sem dizer nada…..olhei ao redor e não vi nada. Nunca soube explicar o que era aquilo e havia contado isso para poucas pessoas como meu irmão e alguns amigos próximos,se alguém tiver presenciado algo parecido por favor comentem!

 

 

Agora, caso queiram, preencham o formulário com o seu relato bizarro.

Written by DraftL

O que está em cima é igual ao que está embaixo e, o que está embaixo, é igual ao que está em cima, para realizar os milagres de uma coisa única.


Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46

Comentários


Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, null given in /home/issoebizarro/public_html/blog/wp-content/plugins/quick-adsense-reloaded/includes/post_types.php on line 46