,

Relatos Bizarros #12

Olá pessoas extremamente bizarras! Mais uma semana – de provas pra mim por sinal – da seção que é a nossa “Garota de Ipanema” que de tão velha já se tornou bizarra.

Não sabe como enviar o seu relato? Simples, meu chapa!

Há três meios

O primeiro: basta clicar aqui e você será direcionado à nossa página de relatos.

O segundo: envie-nos um e-mail -> [email protected]

O terceiro: basta começar a ler os relatos que, ao final, haverá um formulário idêntico ao da nossa página de relatos para preencher com sua história surpreendente.

A título de esclarecimento: se o seu relato não apareceu aqui, não fique chateado. Nas próximas semanas ele com certeza aparecerá. Eu posto os relatos por ordem de chegada. Basta só aguardar. Semana que vem tem mais, não se preocupem! :)
Seus relatos com certeza aparecerão só basta esperar!

VAI COMEÇAR A PUTARIIIAAAA!!

 

#01

Nome: Alexander

Olá Pessoal do Isso é Bizarro.

Não se trata apenas de um relato, mas também um comentario sobre algo que tenho visto sendo constantemente citado nas mensagens de outros leitores e já vi em muitos relatos de pessoas que foram supostamente abduzidas ou visitadas por espiritos : a paralisia total do corpo quando se é acordado bruscamente durante o sono.
O fato é que durante o periodo mais profundo do sono é que o cérebro provoca os sonhos, seleciona e grava nossas lembranças do dia e mantem uma fortissima atividade. Durante este periodo o cerebro também desliga completamente nossos movimentos conscientes, e é por isso que muitas pessoas alucinam e se sentem presas quando acordam no meio da noite, por que acordaram durante um periodo onde o cerebro esta concentrado numa atividade completamnete fora do “expediente normal”.
O segredo é se acalmar e respirar longa e profundamente por diversas vezes, e os movimentos do corpo voltarão gradativamente. O fenomeno é citado no livro O MUNDO ASSOMBRADO PELOS DEMONIOS, de Carl Sagan, que trata de dar explicações lógicas sobre alguns fenomenos supostamente inesplicáveis.
Foi assim que não me apavorei quando essa situação passou comigo.
Tenho um sono muito bagunçado, por dormir muito tarde e acordar em horas diferentes, e por diversas ocasiões passei por essa situação.
Para aqueles que gostam de sonhos conscientes, este tipo de ocorrencia, com o uso de alguma concentração, pode ser usado para induzir sonhos controlados.
Eu por exemplo já consegui voar por uns 10 minutos e até participar de um suntuoso jantar em um palácio árabe, mas tive que parar de fazer essas experiencias por que já estava dormindo no trabalho.
Para quem quiser uma explicação mais técnica do que é este periodo do sono onde parece que o cerebro ta cheio de lsd, segue o link abaixo, vale muito a pena ler: http://pt.wikipedia.org/wiki/Paralisia_do_sono

– Eu – corriqueiramente e sem esforço – consigo controlar o meu sonho. Não sei o motivo. Tiveram algumas vezes, até mesmo na vida real, que eu não sabia se estava sonhando ou se poderia voar mesmo. Algo como se fosse “A Origem”.

 

#02

Nome: Guilherme

Bom, este relato é pequeno, e já que vocês do IEB se interessam por paralisia do sono, eu vou contar a minha experiência.
Já fazia algum tempo que eu estava buscando ter sonhos lúcidos, procurei na Internet, livros, usei todos os métodos possíveis, acabei tendo sonhos lúcidos, sim, mas com isso venho a paralisia.
Aconteceu há não muito tempo mesmo, eu dormi na cama ao lado do meu pai, não lembro de estava tendo sonhos lúcidos ou não, pois nesse dia eu não coloquei nada no meu Diário dos Sonhos,(Técnica usada para ter sonhos lúcidos na qual quando você acorda, coloca todas suas recordações dos sonhos em uma agenda/caderno) mas no meio da madrugada acordei subitamente, e na paralisia do sono. Normalmente eu teria pulado da cama, mas eu não conseguia. No começo me desesperei, tentei levantar o braço, não consegui, tentei falar, não saia nada. Eu podia ouvir meu coração batendo!
Podia ouvir minha respiração também, de modo anormal. Aos poucos fui me acalmando, fui relaxando… Eu já havia ouvido falar sobre a paralisia, então não me desesperei. Quando estava no auge do relaxamento, foi como se tudo fizesse “ZUM” e eu estava de volta ao normal. Me levantei sorrindo, puxei meu pai da cama e gritei pra ele : “Pai! Finalmente consegui ter uma paralisia” ele resmungou e voltou a dormir. Mesmo assim eu levantei animado, e fui assistir TV.
Eu tenho certeza que isso não foi um sonho, foi real. Nunca mais aconteceu comigo, pois parei de buscar tendo sonhos lúcidos.

– Por que parou? Parou por que?

 

#03

Nome: Laura

Olá leitores do IÉB. Me chamo Laura e tenho 13 anos. Desde quando era criança presenciei várias situações estranhas e bizarras. Entre tantas vou lhes contar uma:
Eu acordei de madrugada com muuuita dor de barriga e saí do meu quarto (durmo sozinha), e fui até a sala para poder respirar um pouco. Como estava de madrugada meus pais estavam dormindo e meus irmãos também. Sentei no sofá e fiquei um tempo, e então comecei a escutar um barulho, um barulho de uma bola batendo na parede, lá fora ( na área). MEU DEUS eu pensei, eu achava que era o vento, mas logo percebi que não, eu fui a até a cozinha que tem acesso a área do fundo, (a porta é de vidro e a janela também) então se eu acendesse a luz poderia visualizar facilmente o que estava acontecendo, mas não tive coragem, fiquei apenas um tempo encostada na geladeira, escutando e escutando o barulho….
No outro dia eu vi as marcas da bola na parede e contei tudo. Minha família é espirita mas todos ficaram com um pé atrás… Passaram-se uns dias e depois que a minha vó saiu do centro espírita veio até a minha casa e me contou que: era um menino de 7 anos pedindo ajuda e me procurou pois sabia que eu iria ajudá-lo contando para ela.
Eu confesso que fiquei feliz por tê-lo ajudado, mas também fiquei com medo.

– O desconhecido causa medo. Normal. Creio que para a sua avó é relativamente mais fácil lidar com essas situações, posto que, ela já é mais entendida.

 

#04

Nome: Jéssica

Olá IEB!

Bom o que eu vou contar pra vocês,não aconteceu comigo,e sim com a minha mãe.E só fui saber quando cheguei no Brasil,pois minha mãe não contou pra mim,pois sabe q eu cago de medo dessas coisas! UHAUHA
Na época,morava no Japão,em um apartamento que era meio velho.Meu pai trabalhava a noite,e então ficava eu,minha mãe e meu irmão na casa só.
Como tinha dito,só fui saber quando cheguei no Brasil,e a história é a seguinte: minha mãe estava no quarto a noite já,dormindo com meu irmão que era pequeno,ficava apenas uma meia luz acesa (quem mora/morou lá sabe oq é),e então nos pés da cama dela,ela via um soldado q ia de um lado ao outro.Assustada,não quis contar nada para mim,e então pegou o telefone e ligou para a minha tia (aqui no Brasil,e que ja era de manhã) e disse pra ela oq estava acontecendo,e então minha tia disse que ligaria para uma benzedeira,e que enquanto ela não ligava era para a minha mãe rezar de olhos fechados.Foi o que ela fez,e então ele sumiu,e ela acabou dormindo.
Quando amanheceu lá no Japão,minha tia ligou aqui do Brasil e disse q entrou em contato com a benzedeira e ela havia dito que era um soldado da guerra e que não ficou em paz,mas que não iria fazer mal algum,e que ela já havia “dado um jeito” nele.

Bom verdade ou não,ainda bem que minha mãe não me acordou no dia! UHAUAHUHA,mas quem morou lá sabe o quanto é tenso as noites no Japão.

Beijossss

– Em qual cidade? Os americanos fizeram um grande estrago não somente – como muitos pensam – em Hiroshima e Nagazaki mas como em diversas partes do Japão como as ilhas de Iwo Jima.

 

#05

Nome: Douglas

Bom meu relato é bem simples.
Eu sempre vi coisas estranhas desde de pequeno, sempre via vultos, porém nada que fosse realmente uma pessoa.
Porém num dia chuvoso eu sai de casa pra comprar pão era por volta das 6:30 da manhã, Nessa minha ida eu vi uma senhora de blusa azul e saia meio marron com alguns detalhes brancos, ela parecia ta bem triste eu como sempre fui uma pessoa educada fui falar com ela pra ver se conseguia animar a senhora em questão. Porém tudo que eu perguntava ela ão respondia ela ficava apenas resmungando algo sobre como a familia dela não se importava com ela e como que ela era triste. Bom depois de ficar uns 10 minutos ali eu segui meu rumo e fui comprar pão, na volta eu passei pelo mesmo caminho porém a senhora já não tava ali eu achei que ela tinha cansado de ficar na chuva e tinha entrado. Apos chegar em casa minha mãe de diz meu amigo me ligo e me disse que a avó dele havia morrido de AVC, ele me chamo pra ir no velorio como um bom amigo eu fui. Porém ao chegar no lugar pro meu susto a avó dele era a mesma mulher que eu vi na chuva quando eu ia comprar pão. Eu um pouco assustado fui falar com ele sobre isso porém ele não acredito até que eu falei a roupa que eu vi ela usando que era a mesma roupa que ela usou quando morreu. Até hoje não sei se foi um alucinação ou se realmente aconteceu porém depois daquele dia. Eu passei a não ser mais vultos porém de vez em quando ainda vejo pessoas que simplesmente somem no ar.

– Pessoas que somem no ar? Já sei!

Smoke seu safadinho!

 

#06

Nome: Pablo

Oi galera do IEB *-*
bem, vou contar algo que aconteceu comigo há uns 3 anos atrás, ou mais, não sei ao certo. na época que isso aconteceu, eu estava num fase meio doida, queria ser ”gótico”, queria ser diferente haha.
tinha dois melhores amigos do colégio (um deles ainda é meu amigo, o outro não mais =/ ) e se não me engano, estavamo na semana da quaresma( eu sou ateu, mas lembro das coisas que minha mãe dizia que não se podia fazer nessa época)Estudavamos de manhã, e combinamos que á noite nos encontrariamos no centro para irmos ao cemitério. meus amigos resolveram passar em casa me buscar, saimos apenas com uma lanterna e fomos ao cemitério, que fica bem afastado da cidade. lembro que naquela noite nem precisamos usar lanterna, já que a lua clareava quase tudo. chegamos ao cemitério, caminhamos um pouco por lá, e resolvemos sentar na calçada, ao lado de um jazigo( acho que é assim que se chamam os tumulos que se parecem casas ‘-‘ ).
nessa época eu comecei a fumar cigarro, lembro que eu e meus amigos fumamos dois maços e ficamos entediados. como estava esfriando, e ficando tarde, resolvemos ir para casa. estavamos passando entre tumulos e jazigos, quando ouvimos um barulho vindo de longe, como se fosse uma torneira jorrando água muito forte. resolvemos ver o que era, pensamos que algum pedreiro que estava trabalhando lá a tarde poderia ter esquecido uma torneira aberta. andamos mais um pouco, e o barulho foi ficando mais intenso, até que conseguimos nos aproximar do lugar de onde ele vinha. vinha de um jazigo, de um homem chamado romano. em torno do jazigo haviam plantas, então pensamos que poderia ter uma torneira embaixo de uma delas. um dos meus amigos chegou mais perto e afastou as plantas pra ver, mas não tinha torneira lá. o barulho ficava mais intenso, e ao mesmo tempo que parecia agua jorrando, se ouvia arranhões. então, logo concluímos que deveria ser um tatu, ou algum bicho daqueles que escava a terra. demos a volta no tumulo, afastamos todas as flores e plantas que estavam ao redor dele, e não encontramos nada. ficamos parados, ouvindo aquele barulho, e tentando identificar o que era.meu amigo resolveu chegar mais perto da porta do jazigo, pra ver se conseguia ver alguma coisa, então, eis que a surpresa. ficamos todos em silêncio, olhando, quando percebemos que o tal barulho vinha de dentro do tumulo. lembro de ter paralisado, começado a tremer, e quando me dei conta, meus amigos tinham corrido, e eu tinha ficado sozinho. lembro de ter corrido tão rapido a ponto de ficar cansado, e do medo que senti. até hoje quando contamos essa história todo mundo acha que é mentira, mas só quem sente sabe o pavor que é.

– Este é um ateu destemido! :)

 

#07

Nome: Samuel

Á uns anos atraz eu me mudei para a minha atual cása , eu tinha por volta de 9-10 anos ( atualmente tenho 15 ) , e eu tinha muito ( MUITO ) medo de dormir sózinho , e entaaum por mais que eu tentasse ,toda madrugada eu ia para o quarto da minha mãe com muito medo ( não sei doquee , maais eu tinha )
uma certa noite eu estava indo para o quarto da minha mãe , e o caminho do meu quarto para o quarto da minha mãe é relativamente curto , e entaaum a hora que eu entrei no quarto da minha mãe , eu estava indo para a cama da minha mãe quando eu vi algo como um Vulto (pois estava escuro e eu só consegui ver a silhuêta ) encima de uma vélha maquina de costura da minha mãe , e para min não acordar meu pai eu tinha que passar ao lado da maquina para poder deitar com a minha mãe , eu fiquei PARALIZADO na horaa e volteei correndo para o meu quarto , na hora que eu entrei no meu quarto a porta estava fechada ( e eu lembro perfeitamente de não ter fechado a porta antes de sair , e em casa só tem eu e meus pais ) , e eu vi pelo buraco da porta , algo como um fogoo brilhaante dentro do meu quarto , e entaaum eu griteei e chamei pelo meus pais , eles vierão disisperados perguntando oque aconteceu , eu conteei e entaaum ( como eles são religiosos ) me acalmarão falando que Deus nos protegia , não sei ao certo oque eu presenciei , sei que isso foi no minimo ESTRANHO

– Não creio que só porque aparenta ser fogo, é algo maléfico. Sim! Sei que você não disse nada sobre isso, apenas um comentário. Deve ter sido um puta susto! Eu ainda não vi nada disso. Espero também não ver.

 

#08

Nome: Vinícius

Daee pessoal ^^
Depois de muito tempo querendo enviar este relato, finalmente vou conseguir..haha
Bom, este relato nao aconteceu comigo, mas com a minha avó..entao vou contar o que me foi contado.
Na terra onde meus avós moravam (e moram ainda), diversos relatos estranhos aconteciam (tais como bolas de fogo vagando pela noite, pessoas eram vistas rezando e carregando velas pelo campo, sussurros de parentes que ja morreram sendo ouvidos do lado de fora de casa durante a madrugada, entre outros). O mais interessante deles (e assustador), na minha opinião, foi quando minha avó estava indo para a missa. Na época ela deveria ter uns 14~15 anos, e a estrada da casa dela até a igreja era um tanto quanto deserta…com apenas algumas casas no caminho. Certo dia indo para a missa, como de costume, ela passou por um celeiro…aqueles aonde tem a porta na parte do sótão para colocar feno, em cerca de uns 5 metros de altura. Quando do nada ela disse que viu uma noiva saindo por aquela porta do celeiro, voando, sumindo por entre os arbustos. Depois disso ela foi pra missa, mas aquela certamente foi a ultima vez que ela foi sozinha uhehuehueu nao sei qual é a opinião de voces… mas eu nao acredito em religiões, mas acredito que há algo além de nós e do nosso plano que quer de alguma forma se manifestar..e provas disso é o que não nos faltam. Tenho outras histórias bizarras também, mas aquelas ficam para os próximos relatos.
Abraços.

– Ponto de vista interessante, Vinícius. Isso parece até um conto de Silent Hill.

 

#09

Nome: Kainan

Bom, meu nome é Kainan e tenho 15 anos, o que eu vou contar não foi a coisa mais bizarra que já me aconteceu.
Ha uns 5 anos atras, eu tive um dia normal, cheguei da escola, conversei com meu pai pelo telefone, pois ele era separado da minha mãe devido a problemas da bebida alcoólica.Fui dormir umas 11 Horas da noite, mas eu lembro que eu estava com algum persentimento estranho, até ai tudo bem. Como tenho um sono leve e qualquer coisa que acontece a noite eu escuto, ouvi uns passos vindo em minha direção da cama, na hora eu fiquei com um cagaço pois nunca tinha me acontecido alguma coisa daquela, mas eu senti que o que estava no quarto com migo não era uma coisa “do mal”, foi um sentimento bom, e aquela coisa me acariciou minha cabeça umas 3 vezes e eu achei muito estranho (Lembrando que eu não abri os olhas nenhuma vez). ai aquilo parou e o quarto ficou calmo e eu senti uma paz… abri os olhos e estava tudo normal. eram umas 3:00 Horas em ponto, e voltei a dormir.
Mais ou menos umas 5 horas da manhã ouço minha mãe chorando, vou até ela e pergunto por que o choro? ela me da a noticia, Seu pai esta morto.
Na hora eu lembrei o que tinha acontecido de madrugada comigo, e falei pra ela, e chorando perguntei ha que horas tinha ocorrido? ela falou umas 3 horas.
Lembro que fiquei alegre porque com certeza era meu pai que tinha me visitado, pois eu tinha um vinculo muito forte com ele.
Bom esse foi meu relato Bizarro. desculpem os erros de virgula e ponto escrever textos não é o meu forte.. rs’

– Bom Kainan, inicialmente lhe presto minhas condolências. Geralmente quando um espírito sai do corpo, ele se aproxima dos outros que ele gosta, talvez para uma última visita pós-morte. No pós-vida, creio eu que ele deva ter mais chances de aparecer. Isso de acordo com o Livro dos Espíritos. Me corrijam se estiver errado.

 

#10

Nome: Erica

Quando eu tinha 5 anos meu avô morreu e a missa de sétimo dia foi no cemitério ao redor do tumulo dele. No meio da missa eu olhei para trás e o meu avô estava uns 5 metros de mim vestido todo de branco(ele foi enterrado de terno) e com 6 homens idênticos de terno também,indo embora num clarão de luz e atravessando por entre os túmulos e olhando fixamente pra frente,eu virei pra mostra pra minha ele falou que não estava vendo nada e não acreditou em mim pois ela e medrosa como eu ,eu era criança então nem entendi que era um espirito se fosse hoje teria desmaiado de medo. com 15 falei que tinha visto isso mesmo ai ela acreditou em mim. tenho mais outros relatos depois conto mais.

– Não deixe de nos contar mais relatos! :)

 

#11

Nome: Allan

Desde criança eu vejo e, principalmente, ouço coisas estranhas. Mas duas das coisas mais esquisitas que já me aconteceram foi quando eu sonhei com uma mulher, na verdade, eu estava no ponto de vista dela, vendo o que ela viu nos últimos momentos de vida. Ela sai de uma igreja de modelo bem antigo, de madeira, mas que não fora desgastada pelo tempo, abre a porta com um golpe do ombro, e corre em direção a um bosque.

Eu lembro vividamente de ver pelo canto do olho as ondulações de um vestido cinza claro, daqueles antigos que pareciam feitos a mão, que ela usava no momento, de sentir ela movendo os cabelos loiros cor de areia que entravam na frente dos olhos enquanto ela corria, e muitos outros detalhes mínimos. Me lembro de ouvir gritos numa língua estranha, vinham de um homem que a perseguia, o homem portava uma espada medieval, e apesar de não entender o que ele estava falando, eu sabia que eram ameaças. Ela corre até tropeçar numa raiz de árvore, e cair com os cotovelos na terra, e isso foi muito estranho: doeu. O homem a alcança, ela se vira se encolhe, cobrindo o rosto com as mãos, ele dá um chute mesmo assim, eu sinto o gosto de sangue na boca e dor no maxilar, ela fica de barriga para cima e se arrasta no chão, de costas, ela olha bem para ele. O homem usa roupas marrons, que parecem de couro crú, tem uma barba preta desgrenhada e estava com a espada desembainhada, exatamente acima dela. A espada desce, primeiro uma dor aguda no abdome, a sensação de que o sangue está deixando o corpo rapidamente, primeiro o calor depois o frio, uma sensação de torpor quebrada abruptamente por um movimento da espada, que foi girada, ainda dentro do corpo dela, a sensação da garganta se enchendo de sangue, já estava difícil respirar antes, ela está sufocando, a cabeça dela cai para o lado, vejo os troncos das árvores, o céu ao longe, a visão foi escurecendo, e depois, o vazio. Depois disso eu acordei, assustado, suando, e naquele momento ainda sonolento, sem uma boa percepção das coisas, eu ví um vulto de uma mulher de cabelos longos e vestido, saindo do meu quarto.

O próximo não é tão tenso, mas ainda bem intrigante, e ainda com visão em primeira pessoa: Um homem de meia idade, obeso, viajou com a família para uma casa de praia, era no Brasil, eles falavam português. Churrasco, esposa, duas filhas e um filho já quase adulto e sua noiva, mais parentes, festa, cerveja, conversas, piscina, tudo mais. Ele estava indo pegar mais uma cerveja, sente tonteira, as pontas dos dedos ficando dormentes, abruptamente, uma dor aguda que se alastra das costas para todo o peito, a cabeça dói também, de novo, dói em mim, ele cai no chão, e em pouco tempo a visão começa a escurecer, a última coisa que lembro é de ver pessoas em volta, tentando ajudar. Acordo, sonolento, e adivinhe? Vejo a silhueta de um homem obeso saindo do meu quarto.

– Tem espírito pra tudo mesmo. Mas de qualquer forma, é incrível a sua forma de descrever os detalhes. Bem articulado.

 

#12

Nome: Sábattha (Curti demais o nome!!!)

Minha família é do interior de São Paulo, Ouroeste, Guarani d’ Oeste… bem depois de São José do Rio Preto. E como toda boa família tem umas histórias que são contadas para os mais novos.

Minha avó materna conta uma história de uma moça que se casou, minha bisavó era costureira e foi ela quem fez o vestido de noiva dessa moça. Todo o mês o marido dela em determinado período aparentava estar doente, aparecia em casa magro, apático, machucado, só que naquela época mulher não questionava o marido. Ela engravidou, teve o bebê, um dia a criança ficou doente e ela estava sozinha, no desespero de levar o filho para um médico ver, colocou a charrete no cavalo, cobriu o bebê com uma mantinha, subiu na charrete e foi para a cidade, ao atravessar o mata burro (são uns ferros colocados no chão nos sítios (um ferro, espaço, outro ferro, outro espaço) para que animais pequenos não passem de um lado para outro), um bicho enorme, negro, cheio de pêlos, com a boca com os dentes enormes pulou pra cima dela e do bebê. O cavalo desesperado, empinava e tentava escapar, e o bicho tentava pegar o bebê de todo o jeito. Ela protegia o bebê como podia. Pegou a mantinha do bebê que era de lã azul e jogou na cara do bicho, bateu com a vara no cavalo e ele saiu correndo. Na cidade ela foi no hospital, o bebê foi atendido e com medo de voltar para casa sozinha ela foi pra casa dos pais, dormiu na cidade e de madrugada levantou, pediu para seus pais acompanhassem ela até em casa. Chegando em casa, ela foi até o quarto, onde o marido estava dormindo na cama. Ela o chamou, como não houve resposta foi até seu lado e o virou, para seu espanto, entre seus dentes estavam os fiapos de lã de cor azul. Minha avó tem 84 anos e jura que essa história é verdade. O famoso lobsomen.

Nesse relato eu faço parte…

Meu pai teve 11 irmãos, ele é o caçula. Quando nasci, três já haviam morrido. Não conheci dois tios e uma tia. Quando a mãe do meu pai morreu (pausa pra mais uma história bizarra. Nessa época, morávamos em Ribeirão Preto, meu pai tinha ido para Ouroeste para ver a mãe que estava internada há 3 meses com problemas no coração. Numa madrugada, eu estava dormindo com minha mãe, tinha 9 anos, nosso portão era daqueles de ferro, enorme, de correr. Alguma coisa bateu no portão com tanta força que acordou eu e minha mãe, parecia que o portão ia cair. Assim que nos recuperamos do susto, o telefone tocou. Era meu pai na linha avisando que a mãe dele tinha acabado de falecer), eu e minha mãe fomos de Ribeirão para Ouroeste. No velório, meu pai me levou a cemitério para visitar a tumba dos meus tios, andando pelo cemitério eu apontei para uma quadra e falei ” Pai, é alí que o tio Braz e o tio Zuca estão enterrados?”, ele me olhou espantado, “Como vc sabe?”, ” É que eles estão lá, abanando as mãos pra gente e sorrindo!”. Ele deu meia volta comigo e voltamos para o velório. Lá ele contou isso pra minha mãe que disse pra ele não se assustar, era coisa de criança, que eu devia ter ido lá com outra pessoa que me mostrou onde eles estavam enterrados. Só que meu pai teimou que desde que tinhamos chegado no velório eu não tinha saido de perto dele por nenhum minuto.

– Tecer algum comentário estragaria.

 

#13

Nome: Leonardo Moreira

Bem , eu tenho 18 anos e acho que já esta na hora de compartilha minha historia. Eu a 4 anos atras fui na festa da minha prima de 15 anos, essa festa foi num local aqui de Campo Grade (RJ) , no Rio da Prata , e esse local e uma área cercada de morros. EU estava na festa , e minha mãe que era viva na época estava indo pro centro do rio da prata com o pai da minha prima e a irmã dele. Chegando lá , como eu era a única criança lá fiquei brincando sozinho pelas calçadas e foi quando eu vi, algo grande que parecia está sendo iluminado na parte de baixo. Eu olhei bem e vi que estava no alto , estava bem longe é na hora eu fiquei muito assustado , não sabia oque era aquilo . Então depois de eu estar olhando a um tempo comecei a notar que tinha umas luzes que estavam aparecendo e ai fui ficando mais assustado e foi ai , muitas luzes aparecendo no céu, e de repente um dos objetos mando um raio de luz em outro que estava bem longe e era de cor diferente e ai que eu comecei a passar mau e pedi para minha mãe me levar embora , sem saber oque estava acontecendo , minha mãe não queria ir , mais comecei a ficar tonto e ela falo que eu estava ficando pálido e decidiu me levar . Antes de sair do local eu expliquei o motivo de estar assim e apontei pra eles aonde estava , e realmente continuava lá e depois eu só vi de longe , em quanto o carro se distanciava de lá . Essa e minha historia , eu creio em Deus mais depois desse dia passei a olhar um outro lado do mundo , um lado onde a duvidas sobre a existência de vida em outros planetas !

– Deus os deu a razão para raciocinarmos. Não tenho preconceitos quanto às Igrejas mas o que me deixa realmente triste é ver que esses templos – em sua maioria – estão profanados por representantes capitalistas que guiam seus fiéis não tão bem instruídos cegamente. Isso faz com que eles não usem a razão e que tudo de bom e de ruim seja Jesus. Como se os homens mesmo não existissem. Enfim, sem mais delongas.

 

#14

Nome: Marco

Bem, isso aconteçeu com uma amiga minha. Ela escreveu e pediu para mim postar: Foi assim: eu estava bem bela lendo um livro no meu quarto, deitada na minha cama sozinha em casa em um dia chuvoso de outubro. Dai a luz do meu quarto começou a piscar do nada e teve uma hora que ela apagou e depois voltou ao normal, eu achei estranho, mas nem dei bola,(na verdade eu tava me cagando). De repente a lampada estourou e eu senti uma presença a mais comigo no quarto, eu sentia alguem respirando no meu ouvido e no momento em que a lampada estourou algo me puxou pra traz prendendo-me na parede. EU ME CAGUEI TUDO começei a chorar e não sabia o que fazer porque eu tava no escuro, até que eu consegui achar a luz do corredor e eu liguei. Naquilo que eu liguei a luz, tinha uma fumaceira e muito cheiro de queimado e quando eu olhei no tapete tinha um monte de furo. MINHA MÃE BENZEU A CASA DEPOIS DISSO. Até hoje, se a casa estiver toda fechada, meu quarto cheira a queimado.

E já que to aki fazendo parte do site vo sugeri uma musica!

Essa é da minha banda AXICALL. tá mal gravada mas espero que gostem :)

– O arranjo da música é muito show de bola. Pelo menos eu gostei. Olha, existe uma coisa na umbanda e no candomblé chamada de defumador. Com o advento do capitalismo inventaram até um defumador em forma de incenso. Sempre que puder acenda um incenso, isso ajuda bastante a dar um clima mais leve ao seu quarto. Vai por mim, eu sei como é isso. :)

 

#15

Nome: Igor-O

Olá galera do IEB, vi um relato aki sobre uma pessoa q olhou o relógio e marcava uma determinda hora e pouco tempo depois olhou novamente e ja tinha passa cerca de 2 horas, e isso me lembrou de algo parecido q aconteceu comigo ja faz um tempo, eu tenho mania de olhar a hora, eu estava na sala do meu apartamento vendo tv, e minha mãe na cozinha, o aparelho de som fica a baixo da tv, logo olhei para ele e o relógio marcava 17:59h voltei a olhar para a tv poucos segundos olhei novamente marcava 18:00h, apenas desviei o olhar para a cozinha para ver o q minha mãe estava fazendo e pra minha surpresa quando olho para o relógio, marcava novamente 17:59h, fiquei assustado e ao msm tempo curioso, como tem um relógio na cozinha perguntei as horas pra minha mãe e ela disse 17:59 olhei meu celular e eram 17:59, tenho certeza q a hora voltou pois tem um relógio aki q apita quando dá hora certa ele deu um apito normal na msm hora q olhei, pior q aconteceu uma segunda vez depois disso mas não me lembro a hora q foi, porém não fiquei assustado, apenas pensei, “outra vez isso”.
Ainda tenho mta coisa BIZARRA pra contar mas postarei aos poucos.
Abraços a todos.

– Então continue nos enviando mais bizarrices, Igor! :)

 

 Agora, caso queiram, preencham o formulário com o seu relato bizarro.

Written by DraftL

O que está em cima é igual ao que está embaixo e, o que está embaixo, é igual ao que está em cima, para realizar os milagres de uma coisa única.

Comentários