,

Relatos Bizarros #13

Após pouco tempo de espera, o seu, o nosso, o do jovem, o do mancebo, o do ululante, o pululante RELATOS BIZARROS #13!!!

Pois é, pessoas! Sei que é uma falha minha fazendo o nosso público esperar tanto mas é que as coisas andam bem corridas e vocês pouco vêem os meus posts também devido à essa correria.. Mas saibam que eu estou aqui e ESTAREI ATÉÉÉÉÉÉÉÉ… rs

Não sabe como enviar o seu relato? Simples, meu chapa!

Há três meios

O primeiro: basta clicar aqui e você será direcionado à nossa página de relatos.

O segundo: envie-nos um e-mail -> [email protected]

O terceiro: basta começar a ler os relatos que, ao final, haverá um formulário idêntico ao da nossa página de relatos para preencher com sua história surpreendente.

A título de esclarecimento: se o seu relato não apareceu aqui, não fique chateado. Nas próximas semanas ele com certeza aparecerá. Eu posto os relatos por ordem de chegada. Basta só aguardar. Semana que vem tem mais, não se preocupem! :)
Seus relatos com certeza aparecerão só basta esperar!

Hajimemashou, ne?!

#01

Nome: Rudi

Bom, a mais ou menos 2 anos atrás (quando eu tinha 15 anos) , 3 acontecimentos me deixaram um pouco curioso e também um pouco amedrontado. Eu moro em um apartamento, não muito grande, e aqui no meu quarto aonde eu ficava a noite (geralmente sozinho), a porta ficava aberta e como quando eu ficava no computador eu ficava de costas para a porta, eu sentia como se uma mão viesse encima do meu ombro e puxasse com uma força tremenda, que eu não conseguia me negar ou ignorar esse puxão, então como reflexo eu olhava para trás, e via no fundo do corredor, uma mulher, preta (não negra kkk) em que eu não conseguia definir roupa ou algo do tipo, era como se ela estivesse nua, então ela andava de cabeça baixa e bem devagar em direção a sala, e algumas outras vezes eu via um homem entrando no quarto do meu irmão, que é mais ou menos na metade do corredor (que não é muito grande) e ele também era preto (de novo, não negro), ele era alto, e parecia q estava vestido com roupas grandes, um colete cheio de bolsos, com sangue na boca, pescoço e inicio do colete, e quando eu sentia esse puxão no meu ombro, as vezes escutava um grito, muito alto que gritava o nome do meu irmão. Algumas coisas em que isso acontecia, enquanto eu estava dormindo, eu acordava em um horário aleatório e via 1 menina com um vestido branco ate os joelhos e cabelos lisos, com os olhos todos pretos ( tipica menina de filme de terror) mas ai que vem a parte estranha, eu sentia asfixia e demorava um tempo até voltar ao normal, eu batia no guarda-roupa (do lado da minha cama) para garantir que se fosse um sonho eu acordaria com o barulho, mas não era. Certa noite em que aconteceu de novo (não sou uma pessoa medrosa), fui na sala ver o que aquela mulher queria, e quando cheguei la, ela tinha sumido, voltei ao meu quarto, e quando o homem apareceu uns 6 dias depois fiz o mesmo, fui no quarto do meu irmão. e o homem não estava mais lá. Depois desse dia em que resolvi encarar, nunca mais aconteceu isso e nunca mais vi a menina no meio da noite. Espero que gostaram da estória, por esse final, pode parecer que eu inventei, mas acreditem, isso realmente aconteceu. Só que eu nunca contei a ninguém, e depois de ver muitas dessas histórias, resolvi compartilhar a minha.

#02

Nome: Mimimi

Olá a todos do IEB! Primeiramente, gostaria de declarar que sou uma fã do site, que acompanho há um certo tempo.

O caso que irei relatar aconteceu com meu namorado. Namorávamos à distância e, em 2006, com 18 anos, vim para a cidade dele passar uma semana com ele. Na época, ele morava na casa da família dele, um imóvel bonito, mas que estava mal cuidado e com uma aura pesada (sério – até eu que não tenho sensibilidade pra essas coisas sinto o ar ruim do local), que ficava longe do centro da cidade. Como eu fiquei num hotel, ele foi pra lá ficar comigo. Dormimos juntos a semana inteira, abraçados, com saudade, pois nos víamos pouco. Fui embora pra casa e ouvi um estranho relato dele, ao nos comunicarmos depois: ele havia voltado pra casa, normal. Foi dormir… só que, de madrugada, sentiu alguém abraçando ele na cama. Começou a falar, achando que era eu! Ele sentia o peso de um corpo de uma pessoa com a minha compleição física, e garante que até sentiu o lençol quente no local onde esse peso estava. Disse ainda que chegou a abrir os olhos e não ver nada, mas que o peso continuava lá, o paralisando. Acordou assustado e esperou o dia amanhecer…

– Pode ter sido o chamado “Paralisia do Sono”.

#03

Nome: André

Olá leitores do IEB, estou aqui para comentar algo q ocorreu cmg,

Tenho 15 anos, moro em Ourinhos interior de SP, de dois anos pra cá,
comecei a ter sonhos muitos reais, muitos reais mesmo, e vários desses sonhos
acabam acontecendo na vida real, como se fosse uma premonição, sempre sonhei com coisas normais do dia-a-dia (conversa entre amigos por ex), então nunca me preocupei com isso. Lembro perfeitamente do que acontece em cada sonho meu. Um dia sonhei com um acidente de caminhoes que bateram de frente, mas lateralmente, na visão do meu sonho, eu estava em um carro bem atrás de um desses caminhoes, e vi com detalhes o acidente, acordei assustado e até comentei com o meu tio. Após uns tres dias aproximadamente, estava vendo algumas noticias da minha cidade, quando me deparei com isso: http://reporternarua.com.br/index.php?conteudo=noticias&id=6182

Fiquei assustadissimo, principalmente quando vi as fotos dos caminhoes, um deles era uma carreta. Pode até ser uma coincidência, mas foi muito bizarro ver os mesmos caminhoes do meu sonho. Parece que eu estava no corpo de outra pessoa, sei la o que é isto, alguém podem me dizer oq é?

OBS: As vezes sonho com coisas que tenho medo, e parece que nao consigo me mexer, como correr e me defender da coisa tão assustadora.

– Bem intrigante o seu relato, André! Eu só posso falar por mim mas geralmente quando eu sonho eu não consigo correr. Entretanto, nos últimos anos consegui desenvolver uma técnica de corrida e vôo nos sonhos. E o pior é que é verdade. Só não me perguntem como. ;) – Se alguém souber o que se passa, postem nos comentários.

#04

Nome: Joilson

Olá, quero falar sobre um fato estranho que aconteceu comigo, não sei dizer oque realmente aconteceu.
A uns 5 anos atrás uma tia minha perdeu a luta contra o cancêr, e eu era muito ligado a ela, era como uma segunda mãe pra mim. Passei boa parte da minha infância viajando pra casa dela, então em meados de 2007 ela começou a adoeçer e ninguem sabia o motivo, então depois de uns exames foi diagnosticado, era cancêr de traqueia, durante esse perído eu não mantive mais contato. Meus pais me diziam que não me faria bem vê-la naquele estado. Algumas semanas depois meus pais concordaram em fazer uma visista a ela no hospital e me levar junto, fui e passei algumas horas conversando com ela e tentando anima-la, e durante a conversa ela me disse que era pra eu aproveitar a vida o maximo possivel porque tudo passa rapido, eu chorei muito, não me conformava com a situação, é muito doloroso saber que nada podia ser feito para mudar aquilo.
Mais ou menos uma semana depois, eu acordei de madrugada entre 3 e 4 horas da manha, me levantei e fui ao banheiro dar uma ~mijada~, até ai tudo bem, então ao sair do banheiro eu senti uma presença, não senti nada ruim, apenas uma presença, então continuei indo para o quarto, quando abri a porta vi a minha tia sentada na minha cama, eu fiquei parado olhando aquilo por uns 30 sengudos, fiquei sem reação, voltei ao banheiro e lavei o rosto ainda muito perplexo com a situação, quando retornei ao quarto não havia mais nada lá, 3 dias depois eu recebi a noticia de que a minha tia havia falecido entre 3 e 4 horas da manha na quarta-feira, foi umas das piores noticias que ja recebi, o curioso é que eu a vi no meu quarto na segunda-feira.
Isso é oque eu tinha pra contar, não sei dizer oque aconteceu ou oque é, mas nunca ocorreu nada do gênero comigo fora isso.

#05

Nome: Thainá

Bem tenho 18 anos mas esse relato aconteceu ha 13, quando eu tinha apenas 5 anos. Eu era uma criança normal, não fazia arte nem nada. Uma noite, minha mãe me colocou para dormir normalmente e foi ver tv. Já se passava da meia noite (eu acho, não tinha muita noção da hora ainda) eu a chamei e pedi água ( a casa era grande e a cozinha ficava muito longe(esqueci de mencionar que morávamos em uma fazenda)), ela me trouxe e apos cerca de 1 hora eu a chamei de novo e pedi água novamente. Apos isso ela foi deitar e eu tentei dormir foi quando eu vi vários “espíritos” vindo para o meu lado e eles falavam para eu ir com eles pois eu iria para um lugar melhor. Chamei a minha mãe ela falava comigo e ela estava lá somente eu via mesmo depois de acordada minha irmã que dividia quarto comigo também não viu nada. Depois disso aconteceu mais uma vez eu já era mais velha,tinha 10 anos e um motoqueiro com a mesma aparência daqueles que me chamaram quando eu tinha 5 anos parou na minha frente e eu gritei e logo ele sumiu. Não sei o por que aconteceu mas foi muito bizarro.

#06

Nome: Rafael

ola pessoal, uma vez estava eu e mais tres amigos era de noite por volta de umas 7/8hrs da noite a umas 2 hrs antes na casa de um dos meu amigos vimos que tinha um vidrinho de pinga como adolescentes curiosos fomos beber um pouco(eu quase nao bebi) chegando por volta das 7/8 hrs fomos anda esse meu amigo mora perto de um pesqueiro estavamos nois tres andano quando ele começam a gritar cuidado maia(meu apilido) tem um cara com uma arma ai na frente eu olhava mais nao via ninguem e continuei andando quando olho para tras os tres ja tinha saido correando no que eu colhei para frente vi um vulto passando nisso meus amigos ja tinham sumido eu peguei e corri ao chegar perto dos meus amigos eles perguntaram si eu nao tinha visto nada eu disse que sim mais so depois que eles sairam coreno
parece um pouco estranho mais isso aconteceu comigo e com os meus amigos(depois daquilo nunca mais bebi nada de alcool)

– Eita cana da braba. :)

#07

Nome: Michel

Essa história foi contada pela minha avó, e, segundo ela, aconteceu mais ou menos entre os anos de 1900, 1910, com uma tia dela. Na época, obviamente, minha avó não era nascida, e a história foi contada a ela por sua mãe, e, como já faz muito tempo, detalhes acabaram se perdendo.

Bom, naquela época, essas histórias de fantasmas e espíritos aconteciam com bastante frequência, e, sem ter muitos meios de informação, as pessoas acreditavam com facilidade nessas histórias. Um dia, essa tia da minha avó começou, sem mais nem menos, falar com as pessoas de uma forma estranha, ninguém entendia nada. Minha avó não sabe, mas aparentemente ela apenas agia como outra pessoa, nada de atitudes violentas ou coisa do tipo, ela simplesmente parecia falar em outra língua, como se fosse outra pessoa. Preocupados, e sem muitas opções, seus familiares a levaram a um padre, na tentativa de resolver o problema, acreditando que talvez ela estivesse possuída. Para a surpresa de todos, o padre conseguiu se comunicar com a mulher naquela “língua” estranha, e conversavam normalmente. Logo, o padre revelou que ela estava falando em latim. O estranho é que essa mulher era analfabeta, nem mesmo o português falava corretamente, não havia a mínima possibilidade dela conhecer latim, e, apesar do problema resolvido, ficou o mistério. Como eu disse, os detalhes são escassos, não se sabe sobre o que eles falaram, nem quantas vezes isso aconteceu, mas acredito na história pelo fato de ter sido há muito tempo, e numa situação onde aparentemente o impossível aconteceu, realmente não vejo nenhuma explicação para isso.

– Michel, embora não pareça, isso é muito mais corriqueiro do que parece. Existem até mesmo caso de pessoas falando na linguagem babilônica.

#08

Nome: Glauber

Olá,gostaria de relatar coisas paranormais que aconteceram comigo na minha infância e as mais recentes..a primeira coisa estranha que eu vi foi quando era menino,eu morava em Osasco, São Paulo,e estava na cozinha de casa,e a porta de um dos quartos estava aberta,e tinha uma janela,pela janela eu podia ver o quintal, quando eu estava olhando para a janela do quarto que estava com a porta aberta,e ficava do lado da cozinha,eu vi um vulto de uma mulher ‘cigana’ passando bem rápido..isso me marcou tanto na mente,que até hoje eu me lembro disso.
A última e mais recente expêriencia, aconteceu comigo em meados de agosto – setembro do ano de 2011,aqui em fortaleza ,ceará,quando tinha 19 anos,eu estava na internet pesquisando sobre aliens,e fui para o quintal de casa olhar para o céu,era um dia de domingo,
eu ja havia feito isso varias vezes as nunca tinha obtido nada,e acreditava que os aliens tinha o poder de telepatia..e então mais uma vez fui para o quintal olhar para o céu,meio cético,pouco tempo depois que estava olhando eu vi uma luz meio amarelo alaranjado passar muito, mas muito rápido sobre minha cabeça,e parecia estar em baixa altitude..foi uma coisa muito rápida,coisa de 1 segundo ou menos..é oque eu posso dizer, foi que eu vi isso..se era Alien, eu não sei,mas posso garantir que o que eu vi foi real e não vejo necessidade em ficar mentido para ninguém,acredite quem quiser..

#09

Nome: Jhonatan

Eu sou cheio de relatos, igual a muitos que já vi aqui, mas o curioso e que todos, TODOS eles aconteceram perto da minha mãe e/ou com ela.
Desde pequeno eu sempre tive muito medo de fantasmas e etc, e tenho até hoje, mesmo assim me considero espírita, assim como minha mãe, talvez pela crença, talvez pra vencer o medo ou os dois juntos. Minha mãe costumava ser ativa, frequentava centros espíritas (que ao contrário do que muitos pensam, não tem nada haver com macumba -.-) e ajudava as pessoas nele, com conforto espiritual, desfazendo as famosas macumbas e conversando com pessoas que acreditava ter alguma coisa atrapalhando suas vidas. Quando criança, gostava de ir no centro pra ver, mas eu nunca podia ver as sessões nas mesas, apenas as festas que ocorriam e tudo mais, mas do lado de fora, eu conseguia ouvir os gritos das pessoas lá dentro, vozes de pessoas que não estavam no quarto. Nesse centro, “conheci” um menino da angola chamado Lucas, e eu costumo “conversar” com ele antes de dormir, pedi proteção e me iluminar quando estou confuso. Até ai tudo bem, o problema começa quando minha mãe voltava dos centros espíritas. Um dos relatos que mais me deixou impressionado e que tenho curiosidade até hoje, foi um em que, depois de uma briga feia com meu pai, minha mãe incorporou, quase no fim da briga percebi que ela estava estranha até que a discussão “acaba” e ela vai pro fundo do terreiro e senta em um banco de baixo do pé de jabuticaba, a luz da varanda não chegava muito bem lá, e eu naturalmente morrendo de medo, fui conversar com a coisa que estava na minha mãe. Lá fui eu para o fundo do quintal pra ajudar a acabar com aquilo. Meu pai vivia dizendo que era mentira, mas ele sabe que não é, talvez tem mais medo que eu, pois uma vez ele foi bater na minha mãe e desistiu, disse ele que viu uma mulher grande e feia atraz dela, tavez seja essa mulher que estivesse na minha mãe.
Chegando perto da mulher(a coisa na minha mãe) eu percebia que era mesmo outra pessoa, os trejeitos com as mãos, modo de sentar, olhar, e até a voz mudava, minha mãe tem um grau de sensitividade alto, e conseguia ter duas vozes ao mesmo tempo, a dela e a do espírito. Chegando perto, meu medo diminuiu e eu estava apenas surpresso com a situação, meu pai dizia coisas de longe, que era muito difícil de se ouvir, mas minha mãe respondia todos, até que teve uma hora que minha mãe ouviu alguma coisa e gritou brava “Então olha na sua carteira, procura a minha foto! Cadê ela? Ela sumiu” , e de fato a foto não tava lá, percebi isso por que meu pai abriu mesmo a carteira e deu pra ver a cara de espantado dele quando não achou, logo em seguida, minha mãe responde a minha vó, que NÃO TINHA DITO NADA! Essa parte foi muito tenso, por que minha mãe disse quando acabou “Você não disse mas você pensou” e minha vó ficou calada, por que ela tinha mesmo feito isso. Daí comecei a conversar com a coisa, e ela me dizia que ia se matar e eu retrucava com voz firme que não, pois o corpo era da minha mãe e que não ia fazer isso, foi então que numa jogada de mão (JURO, EU TAVA DE FRENTE, OLHANDO PRA ELA) apareceu um gilete, e quando ela ia se cortar, eu dei um tapa na mão dela e o gilete se perdeu, ela dizia olhando pra mim, com as pernas juntas batendo os calcanhares e se balançando pra frente e pra traz ” Tudo bem, eu tenho mais” Nesse momento perdi meu medo todo, estava mais preocupado com minha mãe do que com a situação. Depois de conversar com a e ouvir a briga entre eles, eu perguntei o que iria acontecer, e é essa parte que eu nunca vou esquecer. Minha mãe parou de se balançar e de bater os calcanhares no chão, parou de olhar pra baixo e olhou dentro dos meus olhos e disse “Com você nada, não precisa se preocupar, você está protegido.” Fiquei sem reação, pensando, como assim protegido?
Pouco tempo depois disso minha mãe volta ao normal, chorando muito, muito mesmo, ela voltou do nada e me assutou, tentei ajudar e perguntei por que ela estava chorando, ela me disse que viu a foto dela (sim, a foto que deveria estar na carteida do meu pai) dentro de um caixãozinho roxo, enterrado e que isso era uma coisa forte, feita por que desejava a morte dela. Meu olho encheu de lágrima e minha mãe continuava chorando, levei ela pra dentro e ela foi pro banheiro, quanto estava quase acabando, ela olha pro espelho e volta a chorar, chorar muito, talvez o dobro que estava quando voltou ao normal. Dessa vez ela não me disse o que viu no espelho, e ela não costuma me esconder essas coisas, fiquei muito assustado essa hora e fiquei perto dela até ela se acalmar de novo.
Até hoje eu não sei o que ela viu no espelho, e vivo pensando sobre aquele papo de protegido. Muitos outros relatos aconteceram depois desse, e como é o meu primeiro, vou guardar os outros que são bastantes curtinhos pra próxima vez.

– O relato mais intrigante que eu já li depois do da nossa leitora Lilianna. É simplesmente intrigante. As pessoas se dizem espíritas porque os orixás nas religiões afrobrasileiras são espíritos, ou seja, já viveram. Mas me corrijam se eu estiver errado. minha noiva rss
ninguém vai ver isso hahahaha, só vc xD

#10

Nome: Bruna

Quando eu tinha uns 6 ou 7 anos de idade, meu pai morreu assassinado pelo amigo dele, duas semanas depois do acontecido a policia encontrou o corpo do assassino no mato bem perto de casa, mas não deram nenhuma explicação da morte dele. Minha mãe já estava planejando mudar de casa por segurança, pelo acontecido e também porque que desde o ocorrido, as coisas em casa estavam meio estranhas, copos estouravam ou caiam sozinhos, cadeiras se mexiam e luzes piscavam, como minha mãe era (e ainda é) muito religiosa não viu outra explicação a não ser espíritos, para ser mais exata, o do “amigo” do meu pai. Minha mãe nunca tinha ido muito com a cara dele desde que a amizade entre ele e meu pai começou.
estava de noite e minha mãe estava no quarto e eu fiquei na sala assistindo tv com o meu irmão que tinha uns 12 anos, quando de repente tudo desligou, ouvi o barulho da cadeira arrastando, fiquei apavorada e meu irmão correu para o meu lado e me abraçou, então todas as luzes começaram a piscar freneticamente, minha mãe saiu do quarto, pego meu irmão e eu pelo braço e fomos em direção a porta, mas ela não abria, voltamos pro sofá, minha mãe começou a rezar e ouvi uma segunda voz rezando com minha mãe, senti um frio no meu ombro, olhei para o lado e de relance vi um vulto branco, ouvi uma risada no meu ouvido e tudo parou, as luzes ficaram apagadas uns segundos e ascenderam. Minha mãe nos levou para a casa da vizinha, minha mãe voltou a nossa casa e pegou algumas roupas, ficamos na casa da vizinha por umas 3 semanas, que foi o tempo de minha mãe achar uma casa. Até hoje acho que o vulto que vi não foi do assassino e sim do meu pai, alguma coisa no toque dele fez com que sentisse isso. Quando sinto saudades dele, sinto algo no meu ombro e pode ser estranhos para alguns mas o toque é totalmente reconfortante pra mim. Tenho 17 anos hoje e lembro do acontecido como se fosse ontem.

– Ele está em um lugar muito melhor do que nós. Isso eu lhe afirmo. :)

#11

Nome: Rafael

Olá pessoal, não é um relato que aconteceu comigo, foi minha avó que contou pra mim, que aconteceu com o pai dela.
No passado, toda a família da minha avó, morava num interior aqui perto, em Aquiraz, o pai de minha avó era pescador, e ele tinha um amigo chamado Verselau, e nesse interior corria um boato que tinha um lobisomem pelas redondezas (antigamente isso era quase “comum”), e certa noite, o pai de minha avó tava vindo da praia, pois ele tinha deixado o bote lá e vinha a pé com o seu companheiro de pescaria, o dito Verselau. Ai minha avó conta que quando os dois entraram em uma clareira no mato, que tava tudo escuro, o amigo do meu bisavô pediu pra ele segurar os peixes dele, que ele ia no mato da uma “cagada”, ai meu bisa segurou os peixes e ficou esperando o amigo voltar.. minha avó conta, que nessa hora, meu bisa viu um barulho dentro do mato, e quando reparou, viu aquele monstro grandão vindo em direção dele, ele contou que tinha os pelos negros e bem duros, tinha quase o tamanho dele, só que o bicho tava de quatro do chão, ele disse que tinha uma aparência de porco, com os dois dentes pra fora, e ele apoiava no chão, não as mãos, mas sim os cotovelos.. sinistro (até me arrepiei agora)… ai o bicho tava vindo pra cima do meu bisa, e como meu bisa tava com os peixes nas mãos, ele começou a tacar os peixes no bicho, e deixou lá, e o bicho ficou comendo! Quando meu bisa chegou em casa, cansado, pois ele tinha vindo correndo, a mãe de minha avó perguntou cade os peixes e cade o Verselau. Ele contou que o Verselau tinha virado um bicho no meio do caminho, e que tinha tacado os peixes nele e que ele tinha ficado comendo la os peixes… De manhã cedinho, o Verselau apareceu, como cabreiro, e todo arranhado… Ai meu bisa foi lá falar com ele, e perguntar porque ele tinha feito aquilo… ai minha avó não me contou mais! Mas é sinistra a história…
P.s.: Tem tantos outros casos que aconteceram lá no interior…

#12

Nome: Erica

Desde os meu 12 anos que pesquiso magia, bruxaria, e outras coisas ocultas. Com 20 anos eu namorava um rapaz e com 3 meses de namoro sem termina comigo ele começou a namorar uma evangélica,passava por mim fingindo que não me conhecia,fiquei quieta não pedi satisfação nem corri atrás dele e com 2 meses de raiva foi acumulada, resolvi fazer uma bruxaria pra ELE vir ate mim.
Eu sempre fiz magia dessa vez acho que fiz do jeito certo.
A noite comecei o ritual de preparação para a magia: limpei o quarto, tomei banho,meditei com musica e incenso, fiquei nua, desenhei um pentagrama enorme, sentei no centro do pentagrama ,coloquei meu colar de pentagrama consagrado, fiz a magia com UM PIRES,VELA,E PAPEL DE COR PRATA com o nome dele e deixei no centro do pentagrama pra queimar ate o final da vela.
Me vesti tomei água e sai do quarto fechei a porta e sentei na frente de porta pra ninguém entra.depois de umas meia hora escutei o pires caindo levantei rápido abri a portas liguei a luz o pires tava de cabeça pra baixo no pentagrama no chão, e pequei e vi que o pires tava limpo sem vela nem o papel com o nome nem respigo da vela,revirei todo o quarto e não o achei o resto da magia. Limpei tudo e fui dormir.
Dois dias depois ele veio me procurar eu falei tudo que tava engasgada e deixei ele falando sozinha no portão. Isso já fazem 7 anos ate hoje quando me encontra ele tenta falar comigo.

– De acordo com um amigo meu: “Esse mundo tá muito doideira”. Não sabemos nem da metade do está ao nosso redor.

#13

Nome: Erica
A minha família e cheia de relatos estranhos quando eu tinha 7 anos e o meu irmão 11 meu pai(era alcoólatra) chegou tarde da noite bêbado e queria bater em nos , minha mãe pegou a gente e corremos pro quintal estava muito frio, ficamos esperando ele dormir pra gente entra .
Como ele não dormia e foi pro banheiro se aliviar, mamãe entro rápido e pegou dois colchões colocamos do lado da casa no nosso quintal e no quintal as 3 da manha para dormimos.
Eu e minha mãe não dormimos estávamos no mesmo colchão e ficamos conversando, meu irmão dormiu. Passados uns 20 minutos minha levantou rápido aos gritos mandando a gente entra eu perguntei por quê? Ela disse que um vulto encosto nela e disse no ouvido dela que era o diabo e iria mata-la, no meio dos gritos meu pai saiu na porta da cozinha gritando que tinha visto um vulto no banheiro que era pra gente entra ele ficou ate sóbrio e começou a ler a bíblia ate de manha com todo mundo na sala.

– Eita! Não é por nada mas eu ri demais! HAHAHA!

#14

Nome: Leonardo

Ola pessoal, me chamo Leonardo, tenho 22 anos e me mudei para Portugal a alguns dias serao trés contos. Sao grandinhos mas se vcs lerem pelo menos um eu ja gradeço.
conto 1: sera que sou um fantasma?
como eu acabei de chegar de viagem la em Portugal eu encontrei meu antigo amigo da 4 serie conversamos e tudo e ele disse que eu poderia durmir no ap dele pois o filho (adotado) dele durmia la e ele viajou para
tokyo eu concordei e chegando la ele disse ae manolo toma cuidado com a tranca ta com cara de feliz.
eu nao entendendo nd disse ok eu durmi e no dia seguinte ele me pregou uma peça , ele fez mo treta la eu sei que quando eu sai do meu quarto a tranca se fechou e logo apos isso ele saiu correndo dali para me dar medinho.
a noite ele disse
– Leo eu vou ter que ir trabalhar 1 hora mais cedo (ele só ia trabalhar as 8 a mesma hora que eu) então eu acordei as 7 e levantei para ajudar ele, o telefone tocou logo após, era o chefe dele dizendo que eles iriam viajar para brasil e que so voltariam depois de 7 dias, ele me deu a noticia e eu disse
– ok Nicolas eu me viro sozinho aki,
depois disso eram umas 7:20 da manha e eu fui deitar para um cochilo ate ai blz mas a bizarrice vem agora…
eu acordei e tirei meu pijama pondo minha roupa de trabalho eu sai do quarto e lembrei que esqueci de pegar meu celular quando eu olhei para tras fiquei pasmo meu pelos ficaram arrepiados fiquei branco e quase passei mal quando vi que a tranca do quarto estava fechada eu estranhei pq eu lembro de ter ajudado meu amigo a sair e ainda puis as 3 trancas da porta e so dava para abrir as trancas por dentro, janelas fechadas, tudo fechado nao tinha como ele entrar la, pensei nao hipotese de eu ter deixado alguem entrar mas lembro que eu nao deixei ninguem entrar.
conto 2: experiencia estranha com minha mae
Como vc leram o titulo essa experiencia aconteceu com minha mae
ela sempre me conta essa historia.
um dia normal começou com uma tristeza o irmao da minha mae morto todo nos choravamos continuamos o dia e a noite a cama da minha mae começou a balançar e isso se repetiu por 3 dias ate que ela conversou com o espirito do irmao dela dizendo.
– Irmao sinto muito pela sua morte mas por favor para de balançar minha cama.
Desde entao a cama nunca mais balançou
3 conto: conversas espirituais
Na epoca eu tinha 8 anos,eu era gordo e muito medroso andando pela rua a noite pois minha mae me deixou na minha vo e disse que eu ja devia ir para casa sozinho( eu morava na cidade tiradentes na epoca entao era fodz andar por la sozin) eu andei andei e andei morrendo de cansaço faltando mais 5 quilometros na metade do caminho ouvi uma voz dizer:
– Leo, Leo eu sei que vc esta ai responda (barulho de nevoa continua) eu olhei para tras e nao vi nd andei andei e denovo a mesma coisa eu olhei e nd mas dessa vez quando eu me virei para frente estava ela uma linda moça de cabelos loiros,olhos azuis, e um lindo vestido vermelho, pele limpa e sedosa aperentemente com feiçao de alguem com 38 anos fiquei ali olhando e ela disse:
– Essa noite
e logo apos ela desapareceu
eu a noite durmi no mesmo quarto que minha Avó pois ela me encontrou no caminho e me levou ate em casa eu acordo no meio da noite e vejo ela de novo a mesma mulher de antes ali olhando para minha ela disse que era o anjo da guarda da minha avó e logo apos apareceu outro homem dizendo ser meu anjo da guarda no dia seguinte eu pensando que era um sonho aquilo fiquei normal, meu ligou a tv no jornal dele e o homem disse:
ontem a noite houve um acidente na rua tiradentes envolvendo um carro e uma moto veio na minha cabeça como foi o acidente se eu tivesse ali foi horrivel um pedaço gigante da moto iria bater em minha cabeça a estourando-a depois disso eu entendi o anjo da guarda da minha avó levou ela ate mim para livrar da morte. pessoal as historias sao fracas eu sei mas eu precisava desabafar com alguem obrigado galera do IEB

– As histórias não precisam ser horripilantes, só precisam ser reais. Além disso, esse espaço também é para vocês desabafarem. :)

#15

Nome: Thaís

Olá leitores do IéB. Eu tenho mais do que um relato para contar a vocês.Bom,então vamos la.

Eu estava com 7 anos,eram meados de Junho e eu estava num tédio total. Eu tinha lido a lenda da Loira do Banheiro. De repente,virei-me pra porta do banheiro e notei que tinha se fechado a uns 2 minutos atrás,quando comecei a ler a tal lenda. Eu,claro, me levantei lentamente da cadeira e encarei a porta,com a sensação de alguém me observar. Como sou muito audaciosa, esperei 5 segundo e BAM! Abri a porta rapidamente,e,como ela só abre para o lado de dentro,(meio obvio de mais,porque,como ela abriria pro lado de fora?)eu fui puxada com a porta e vi uma mulher,com os cabelos loiros caindo até a cintura,vestido branco rasgado em algumas partes e os olhos vermelhos me olhando. De repente,ela passou por mim.Como eu explico? Bem,assim,eu cai no chão e ela “voo” por cima de mim.Quando olhei pra trás,ela tinha sumido. Eu me levantei,sai do banheiro e rapidamente fechei a porta. Corri até o quarto dos meus avós.Fiquei por la o dia todo. Quando voltei,a porta estava aberta.Apertei o botão -Desligar- do meu computador e sai correndo .

Eu ainda tinha 7 anos quando uma coisa terrivel aconteceu.Estava eu toda pimpona no sofá,vendo tv e olhei para a escada.Uma mulher descia flutuando. Ela tinha o cabelo cor de sangue descendo até o ombro,um vestido preto longo e os olhos cor BRANCA. Eu gritei.Minha irmã correu até a sala,onde eu cobria os olhos com a mão. Ela perguntou : O que houve? Apontei a tal moça,mas ela disse que não havia nada.Olhei para la e vi: realmente,a mulher que vi sumirá.

Eu estava dormindo.Tinha 9 anos.De repente,um clarão invadiu meu quarto.Eu abri os olhos e olhei a janela menor destapada.Eu tinha abrido a cortina antes e adormeci sem fecha-la.Quando olhei,tinha clarões “saindo” do céu noturno.Parecia que naves estavam fazendo aquele clarão.Isso durou uns 4 minutos.No outro dia falei com vizinhos e tals,ninguem tinha visto nada.Estavam dormindo *-*

Bom,é isso. Parece que é idiotice,mas é verdade *——*

#16

Nome: Mario

Vou contar algo que me perturba até hoje..
Hoje tenho 18 anos, quando isto aconteceu eu tinha 16, estava em Botucatu na casa de um primo meu, não me recordo que horas eram…
Ele tem um cachorro branco daqueles peludões (de madame) e ele sempre dorme no quarto com a minha prima…
Minha prima fechou a porta do quarto com o cachorro lá, como de costume, e algum tempo depois meu primo foi escovar o dente, eu estava na cama dele mexendo no note e tal, passando o tempo, a cama dele é aquelas que tem colchão em baixo, portanto sem espaço para algo ir para baixo da cama. Eu estava no aguardo dele para logo em seguida ir escovar os dentes, quando de repente eu vejo pelo canto dos olhos algo branco, da estatura do cachorro, porém menos gordinho vindo em minha direção, quando eu vou olhar, o “negócio” em uma velocidade um tanto quanto alta pula o colchão que fica no chão aonde eu iria dormir e vai para baixo da cama… Eu senti a cama vibrar, ou algo parecido, só sei que senti algo indo para baixo da cama
Nessa hora eu já tava sem palavras, soando frio, mas achando que foi o cachorro, quando vejo confirmo que não havia espaço para nada entrar de baixo da cama… Meu primo chega e eu conto para ele o que aconteceu, ai perguntei onde tava o cachorro e ele também confirma que estaria trancado no quarto da minha prima…
Enfim, até hoje não sei o que foi isso, só sei que foi muuuuuito estranho, caso alguém saiba de algo

Agora, caso queiram, preencham o formulário com o seu relato bizarro.

Written by DraftL

O que está em cima é igual ao que está embaixo e, o que está embaixo, é igual ao que está em cima, para realizar os milagres de uma coisa única.

Comentários